Revista de Saúde Pública do Paraná http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp <p>A Revista de Saúde Pública do Paraná<strong>&nbsp;</strong>(RSPP)<strong>&nbsp;</strong>trata-se de&nbsp;publicação periódica institucional da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA), por meio da Escola de Saúde Pública do Paraná (ESPP), que tem por objetivo ser um veículo de comunicação científica de informação especializada em saúde pública, saúde coletiva e educação em saúde.&nbsp;</p> <p><strong>ISSN impresso:</strong>&nbsp;2595-4474.</p> <p><strong>ISSN online:&nbsp;</strong>2595-4482<strong><strong>.</strong></strong></p> Secretaria de Saúde do Estado do Paraná pt-BR Revista de Saúde Pública do Paraná 2595-4474 <div align="justify">Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</div> <div align="justify">A) Autores mantêm os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</div> <div align="justify">B) Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</div> <div align="justify">C) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre).<a name="privacidade"></a></div> Conquistas, desafios e fragilidades de um Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/670 <p style="margin-bottom: .0001pt; text-align: justify; line-height: 150%;"><span style="font-family: 'Arial','sans-serif';">O Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde é um instrumento de gestão através do qual são pactuados compromissos entre instituições de ensino superior e gestores municipais do Sistema Único de Saúde. Esta pesquisa objetiva descrever as principais conquistas, desafios e fragilidades do Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde-Guarapuava. Trata-se de um estudo descritivo de abordagem qualitativa, por meio de uma pesquisa documental. Algumas conquistas do processo de contratualização foram a transparência e equidade na regulação e gestão do acesso aos cenários de prática e o fortalecimento do Comitê Gestor Municipal durante a COVID-19. Configuram desafios e fragilidades a regulamentação das preceptorias, elaboração e execução de contrapartidas disparadoras de educação permanente, lacunas legislativas e o aumento no potencial formador. Despontam como estratégias o fortalecimento das preceptorias, sensibilização e pactuação com todos os níveis hierárquicos envolvidos, elaboração conjunta de contrapartidas disparadoras de educação permanente e a regionalização do contrato local. </span></p> Anderson Vinicius Kugler Fadel Izabel Cristina Meister Martins Coelho Luís Fernando Boff Zarpelon Márcio José Almeida ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-05-12 2022-05-12 5 2 1 21 10.32811/25954482-2022v5n2.670 Desfechos de partos em gestantes que positivaram COVID-19 em município paranaense http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/615 <p>A Síndrome Respiratória Aguda Grave Coronavírus <em>2 f</em>oi declarada pela Organização Mundial da Saúde como pandemia, em março de 2020. O quadro clínico da COVID-19 é bastante variável, visto que alguns pacientes são assintomáticos. Diante desta problemática, objetivou-se quantificar e descrever os principais desfechos de partos em gestantes e recém-nascidos com resultado positivo para COVID-19. Trata-se de pesquisa epidemiológica, documental, retrospectiva, com abordagem quantitativa, utilizando-se das fichas de notificação das gestantes positivas para COVID-19 e da declaração de nascidos vivos dos casos com desfecho do parto. O estudo foi realizado com 119 gestantes, destas, 48 eram puérperas, sendo pacientes que obtiveram resultado positivo para COVID-19, apresentando maior contaminação mulheres em idade fértil de 15 a 39 anos, solteiras e com ensino superior incompleto. Os sintomas mais relatados nas gestantes com COVID-19 foram cefaleia e tosse. A grande maioria dos casos apresentou desfecho positivo em relação à gestação.</p> Lediana Dalla Costa Flávia Cristina Ruaro Alessandro Neves Popp Jadieli Simoni Roll Emily Christina Dorneles Bruxel Gisely Fachinello Emanuelli Girardi Alessandro Rodrigues Perondi ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2022-05-13 2022-05-13 5 2 1 18 10.32811/25954482-2022v5n2.615