Uma experiência de resgate da memória da saúde mental do Paraná

Palavras-chave: Hospitais Psiquiátricos, Saúde Mental, Memória, Documentos, História

Resumo

O objetivo deste trabalho é contextualizar sobre a importância da preservação da memória institucional da saúde mental e a implantação do espaço memorial em um hospital psiquiátrico que compõe a Rede de Unidades Hospitalares Próprias da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. Parte-se do pressuposto que além de viabilizar o acesso a objetos e documentos do hospital, o espaço do memorial contribui de forma significativa para a reflexão sobre a evolução dessa instituição, que é o único hospital público especializado em psiquiatria, do Paraná. Assim, entende-se que preservar a memória institucional não é só resgatar o passado. É, sobretudo, contribuir para a percepção das diferenças e reconhecimento dos limites de cada período.

Biografia do Autor

Rejane Cristina Teixeira Tabuti, Secretaria Estadual da Saúde do Paraná

Superintendência de Atenção à Saúde/Departamento de Atenção às Condições Crônicas/Divisão de Saúde Mental

Referências

1 Goulart S. Patrimônio documental e história institucional. São Paulo: Associação de Arquivistas de São Paulo; 2002.

2 Centro de Memória: manual básico para implantação. São Paulo: Itaú Cultura, 2013.

3 Rosen G. Uma história da saúde pública. São Paulo: HUCITEC; 1994.

4 Bertolli Filho C. História da saúde pública no Brasil. São Paulo: Ática; 2001.

5 Fernandes Jr. LR. A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná: suas origens e sua evolução no período de 1853-1983. Curitiba: Fundação Caetano Munhoz da Rocha; 1987.

6 Fernandes Jr. LR. O Centro de Saúde de Londrina. Curitiba: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná; 1992.

7 Fernandes Jr. LR. A Escola de Saúde Pública do Paraná sem aspas. Curitiba: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná; 1995.

8 Juk BV, Fernandes Jr. LR. A tísica (através dos tempos) no Paraná. Curitiba: Casa de Memória da Saúde Pública do Paraná; 1992.

9 Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Estado da Administração e Previdência, Secretaria de Estado da Cultura. Rede Paranaense de Preservação da Memória da Saúde Pública (Rede Memória Saúde Pública). Espaç. saúde. 2017 Jul;18(1):219-21.

10 Casagrande ADB, Wadi YM. Os primeiros anos do Hospital Colônia Adauto Botelho: em busca de uma instituição modelar. In: Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH [evento na internet], 2011 jul. 17-22, São Paulo, Brasil. São Paulo: ANPUH-SP, 2011. p. 1-18. [acesso em 28 ago 2018]. Disponível em: http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1300305291_ARQUIVO_ST58-ArtigoYonissa-Attiliana.pdf.

11 Salles, Tito Moreira. História do HCAB. 1980. Disponibilidade: Espaço Memorial do Hospital Colônia Adauto Botelho.

12 Projeto organiza memória da saúde pública no Paraná [Internet]. CONASS. 2017 ago 6. [citado 2018 Ago 25]Disponível em: http://www.conass.org.br/projeto-organiza-memoria-da-saude-publica-no-parana/.

13 Le Goff, Jacques. História e memória. 5. ed. Campinas: Ed. da UNICAMP; 2003.

14 Arquivo Nacional. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional; 2005.

15 Jardim JM. A invenção da memória nos arquivos públicos. Ci. Inf 1995;25 (2).

16 Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.
Brasília, DF: Senado Federal; 1988.

17 Brasil. Decreto-Lei nº 25, de 30 de novembro de 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. Diário Oficial da União. 6 dez 1937.

18- Brasil. Decreto nº 3.551, de 4 de agosto de 2000. Institui o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial que constituem patrimônio cultural brasileiro, cria o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial e dá outras providências. Diário Oficial da União. 7 ago 2000.

19 Merlo F, Konrad GVR. Documento, história e memória: a importância da preservação do patrimônio documental para acesso à informação. Inf. Inf. 2015 abr;20(1):1-26.

20 Oliveira EB de. O conceito de memória na Ciência da Informação no Brasil: uma análise da produção científica dos programas de pós-graduação. [tese]. Brasília: Universidade de Brasília; 2010.

21 Barros DS, Neves DAB. Arquivo e memória: uma relação indissociável. Trans. 2009 Abr;21(1):55-61.

22 Schellenberg TR. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 2. ed. Rio de Janeiro: FGV; 2002.

23 Medeiros NL de, Amaral CMG do. A representação do ciclo vital dos documentos: uma discussão sob a ótica da gestão de documentos. Em Ques. 2010 dez;16(2):297-310.

24 Paraná. Secretaria de Estado da Saúde. Rede de Preservação da Memória da Saúde Pública do Paraná. Relatório do levantamento de documentos e objetos de valor histórico existentes nas unidades da SESA. 2017. 44p. Disponibilidade: Biblioteca da ESPP/SESA.
Publicado
2018-12-14
Seção
Relatos de Experiência