A percepção da qualidade de vida do idoso disfágico após intervenção fonoaudiológica

Palavras-chave: Transtornos de Deglutição, Qualidade de Vida, Geriatria, Fonoaudiologia, Saúde do Idoso

Resumo

Este trabalho teve o objetivo de identificar a percepção de qualidade de vida do idoso disfágico após intervenção fonoaudiológica. Trata-se de um estudo de caso longitudinal prospectivo de análise quantitativa, realizado com 4 pacientes encaminhados ao serviço ambulatorial de Fonoaudiologia de um hospital referência em saúde do idoso de Curitiba, os quais apresentavam queixa de disfagia e responderam ao protocolo SWAL-QOL antes e após programa de reabilitação. Foi calculado a média dos scores nos 11 domínios do protocolo nos dois momentos da pesquisa e analisado os resultados. Dos domínios avaliados no protocolo, 9 apresentaram aumento da média do score após terapia. Portanto, o estudo identificou mudança da percepção da qualidade de vida destes idosos, o que pode ser atribuído ao programa de reabilitação fonoaudiológica proposto aos participantes. No entanto, sugere-se mais pesquisas na área e com maior número de indivíduos.

Biografia do Autor

Paloma Alves Miquilussi, Fundação Estatal de Atenção em Saúde de Curitiba (FEAES).

Residente da Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso.

Isabel de Lima Zanata, Fundação Estatal de Atenção em Saúde de Curitiba (FEAES).

Coordenadora da Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso.

Ana Paula de Andrade Sartori, Fundação Estatal de Atenção em Saúde de Curitiba (FEAES).

Tutora da Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso.

Janaína Turcato Nonato da Silva, Fundação Estatal de Atenção em Saúde de Curitiba (FEAES).

Preceptora da Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso.

Jasiel da Silva, Fundação Estatal de Atenção em Saúde de Curitiba (FEAES).

Residente da Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso.

Referências

1. Faller JW, Teston EF, Marcon SS. Estrutura conceptual do envelhecimento em diferentes etnias. Rev Gaúch Enferm. [Internet]. 2018 [citado 2018 Nov 12;39:e66144. Disponível em : http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v39/1983-1447-rgenf-39-e66144.pdf.

2. Zen D, Leite MT, Hildebrandt LM, Silva LAA, Van der Sand ICP. Políticas de atenção a idosos na voz de gestores municipais de saúde. Rev Gaúch Enferm. [Internet 2018 [citado 2018 Ago 30];39:e62502. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v39/1983-1447-rgenf-39-e62502.pdf.

3. Silveira MB, Saldanha RP, Leite JC, Silva TO, Silva T, Filippin LI. Construção e validade de conteúdo de um instrumento para avaliação de quedas em idosos. Einstein (São Paulo). [Internet]. 2018 [citado 2018 Dez 1];16(2):eAO4154. Disponível em: http:// www.scielo.br/pdf/eins/v16n2/pt_1679-4508-eins-16-02-eAO4154.pdf.

4. Domingues JP, Oliveira DC, Marques SC. Representações sociais da qualidade de vida de pessoas que vivem com HIV/AIDS. Texto contexto - enferm.. [Internet]. 2018 [citado 2018 Dez 2];27(2):e1460017. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v27n2/0104-0707-tce-27-02-e1460017.pdf.

5. Silva BF, Finard SA, Olchik MR. Qualidade de vida em pacientes com doença de Machado-Joseph sob acompanhamento fonoaudiológico para disfagia. Rev CEFAC [Internet]. 2016 Jul-Ago [citado 2018 Out 31]; 18(4):992-1000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v18n4/1982-0216-rcefac-18-04-00992.pdf.

6. Portas JG. Validação para a língua portuguesa brasileira dos questionários: qualidade de vida em disfagia (SWAL-QOL) e satisfação do paciente e qualidade do cuidado no tratamento da disfagia (SWAL-CARE) [tese]. São Paulo: Fundação Antônio Prudente; 2009.

7. Turra GS. Intervenção fonoaudiológica em pacientes com disfagia, pós intubados e sem morbidades neurológicas [tese na internet]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2013 [citado 2018 Out 31]. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/97953 y.


8. Najas M, coordenadora. I Consenso Brasileiro de Nutrição e Disfagia em Idosos Hospitalizados. Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia [Internet]. Barueri, SP. Minha Editora; 2011. [citado 2018 Nov 5]. Disponível em: https://sbgg.org.br//wp-content/uploads/2014/10/Consenso_Brasileiro_de_Nutricao1.pdf.


9. Cavalcante CMS, Carvalho MCVS, Ferreira FR, Prado SD. Sentidos da alimentação fora do lar para homens idosos que moram sozinhos. Rev Bras Geriatr Gerontol [Internet]. 2015 [citado 2018 Nov 10];18(3):611-620. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v18n3/1809-9823-rbgg-18-03-00611.pdf.

10. Agostinho ACMG, Campos ML, Silveira JLGC. Edentulismo, uso de prótese e autopercepção de saúde bucal entre idosos. Rev Odontol UNESP. [Internet]. 2015 Mar.-Apr [citado 2018 Nov 30];44(2):74-79. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rounesp/v44n2/1807-2577-rounesp-44-2-74.pdf.

11. Nogueira LR, Morimoto JM, Tanakac JAW, Bazanelli AP. Avaliação qualitativa da alimentação de idosos e suas percepções de hábitos alimentares saudáveis. J Health Sci. [Internet] 2016 [citado 2018 Dez 2];18(3):163-0. Disponível em: http://www.pgsskroton.com.br/seer/index.php/JHealthSci/article/view/3119/3299

12. Crary MA, Carnaby, GD. Adoption into clinical pratice of two therapies to manage swallowing disorders: exercice based swallowing reabilitation and electrical stimulation. Curr Opin Otoryngol Head Neck Surg. [Internet]. 2014 June [citado 2018 Dez 3];22(3):172–80. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4104745/pdf/nihms604730.pdf.

13. Oliveira BS, Delgado SE, Brescovici SM. Alterações das funções de mastigação e deglutição no processo de alimentação de idosos institucionalizados. Rev Bras Geriatr Gerontol. [Internet] 2014 [citado 2018 Dez 3];17(3):575-58. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v17n3/1809-9823-rbgg-17-03-00575.pdf

14. Souza IAL, Massi G. A saúde fonoaudiológica a partir do discurso do idoso institucionalizado. Rev CEFAC. [Internet]. 2015 Jan-Fev [citado 2018 Dez 6]; 17(1):300-307. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v17n1/1982-0216-rcefac-17-01-00300.pdf.

15. Sousa IMCB, Vasconcelos VECBC, Ferraz PRR. Reabilitação fonoaudiológica da disfagia orofaríngea após acidente vascular encefálico: revisão de literatura. Journal of Specialist [Internet]. 2018 [citado 2018 Dez 6];1(1):1-11. Disponível em: http://journalofspecialist.com/jos/index.php/jos/article/view/65/29.

16. Alves ICF. Programa terapêutico fonoaudiológico ambulatorial para disfagia orofaríngea em adultos e idosos [tese na internet]. São Paulo: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo; 2015 [citado 2018 Dez 6]. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5170/tde-12012016-110116/pt-br.php.

17. Olchik MR, Ayres A, Signorini AV, Flores LS. Impacto das alterações das estruturas do sistema estomatognático na deglutição de idosos acamados. RBCEH [Internet]. 2016 [citado 2018 Dez 4];13(2):135-42. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rbceh/article/view/5673/pdf.

18. Junior HVM. Evidências de validade do questionário autorreferido para rastreamento de disfagia orofaríngea em idosos – RADI [tese na internet ]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2018 [citado 2018 Dez 4]. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/25636/1/HipolitoVirgilioMagalhaesJunior_TESE.pdf.

19. Chiossi JSC, Roque FP, Goulart BNG, Chiari BM. Impacto das mudanças vocais e auditivas na qualidade de vida de idosos ativos. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2014 [citado 2018 Nov 28];19(8):3335-42. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n8/1413-8123-csc-19-08-03335.pdf.

20. Vilanova JR, Almeida CPB, Goulart, BNG. Distúrbios fonoaudiológicos autodeclarados e fatores associados em idosos. Rev. CEFAC. [Internet]. 2015 Mai-Jun [citado 2018 Dez 1];17(3):720-26. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v17n3/1982-0216-rcefac-17-03-00720.pdf.


21. Alves ICF, Andrade CRF. Mudança funcional no padrão de deglutição por meio da realização de exercícios orofaciais. CoDAS [Internet]. 2017 [citado 2018 Dez 5];29(3):e20160088. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/codas/v29n3/2317-1782-codas-29-3-e20160088.pdf.

22. Rozenfeld M. A percepção do engasgo por idosos institucionalizados. Estud Interdiscip Envelhec [Internet]. 2005 [citado 2018 Nov 16];7:69-85. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevEnvelhecer/article/viewFile/4758/2673.

23. Gaspar MRF, Pinto GS, Gomes RHS, Santos RS, Leonor VD. Avaliação da qualidade de vida em pacientes com disfagia neurogênica. Rev CEFAC [Internet]. 2015 Nov-Dez [citado 2018 Dez 1];17(6):1939-45. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v17n6/1982-0216-rcefac-17-06-01939.pdf.

24. Santiago, LM, Graça CML, Rodrigues MCO, Santos GB. Caracterização da saúde de idosos numa perspectiva fonoaudiológica. Rev CEFAC [Internet]. 2016 Set-Out [citado 2018 Nov 26];18(5):1088-96. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rcefac/v18n5/1982-0216-rcefac-18-05-01088.pdf.

25. Nishida AEN. Associação entre distúrbios de deglutição e estado nutricional em idosos da comunidade [tese na internet]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2018 [citado 2019 Maio 13. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/REPOSIP/332383/1/Nishida_AlineEliasDoNascimento_M.pdf.

26. Chiossi JSC, Roque FP, Goulart BNG, Chiari BM. Impacto das mudanças vocais e auditivas na qualidade de vida de idosos ativos. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2014 [citado 2018 Dez 3];19(8):3335-42. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n8/1413-8123-csc-19-08-03335.pdf.

27. Napoleão M, Monteiro B, Espirito-Santo H. Qualidade subjetiva do sono, sintomas depressivos, sentimentos de solidão e institucionalização em pessoas idosas. Rev Port Invest Comport Soc [Internet]. 2016 [citado 2018 Dez 5];2(2):12-24. Disponível em: https://rpics.ismt.pt/index.php/ISMT/article/view/37/pdf.

28. Mansano-Schlosser TC, Santos AA, Camargo-Rossignolo SO, Freitas DCCV, Lorenz VR, Ceolim MF. Idosos institucionalizados: organização cronológica das rotinas diárias e qualidade do sono. Rev Bras Enferm [Internet]. 2014 Jul-Ago [citado 2018 Dez 4];67(4):610-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n4/0034-7167-reben-67-04-0610.pdf.

29. Sousa KT, Mesquita LAS, Pereira LA, Azeredo CM. Baixo peso e dependência funcional em idosos institucionalizados de Uberlândia (MG), Brasil. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2014 [citado 2018 Nov 29];19(8):3513-20. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n8/1413-8123-csc-19-08-03513.pdf.

30. Aguiar LS, Santos WL. Conhecimento dos enfermeiros quanto ao tratamento da depressão na terceira idade. REVISA [Internet]. 2014 Jul-Dez [citado 2018 Dez 3];3(2):133-40. Disponível em: http://revistafacesa.senaaires.com.br/index.php/revisa/article/view/133/78.

31. Sousa ACSN, Sousa RASA. Contribuições da fonoaudiologia para o envelhecimento ativo estudo de caso: idosa de 78 anos. Rev Por Divul [Internet]. 2012 [citado 2018 Dez 16];2(23):37-46. Disponível em: http://www.portaldoenvelhecimento.com/revista-nova/index.php/revistaportal/article/viewFile/541/579.

32. Melo DM, Falsarella GR, Neri AL. Autoavaliação de saúde, envolvimento social e fragilidade em idosos ambulatoriais. Rev Bras Geriatr Gerontol [Internet]. 2014 [citado 2018 Nov 10];17(3):471-84. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbgg/v17n3/1809-9823-rbgg-17-03-00471.pdf.
Publicado
2019-07-16
Seção
Artigos originais