Comissão interna de near miss materno em um hospital da Rede Mãe Paranaense no sudoeste do Paraná

implantação, desafios e perspectivas

  • Silvana Aparecida Turatto Longhi
  • Olga Laura Giraldi Peterlini
Palavras-chave: Near Miss, Morte Materna, Gravidez de Alto Risco, Complicações na Gravidez

Resumo

A análise das mortes maternas é fundamental para a compreensão do processo do cuidado obstétrico oferecido pelos serviços de saúde, identificar os problemas existentes durante este cuidado e adotar medidas e ações que possam minimizar estas ocorrências. Dentre as diversas iniciativas para reduzir a mortalidade materna, uma destas está no acompanhamento de casos de mulheres que quase morreram conceituado como Near Miss. É conhecido que para cada caso de morte materna, um maior número de mulheres sobrevive a complicações graves, podendo apresentar sequelas permanentes e recém-natos também podem apresentar alta morbimortalidade. Deste modo, o objetivo deste relato de experiência é descrever a implantação, os desafios e as perspectivas na constituição da Comissão Interna de Near Miss Materno em um hospital de referência em Gestação de Alto Risco localizado no Sudoeste do Paraná.

Biografia do Autor

Silvana Aparecida Turatto Longhi

Enfermeira e Nutricionista. Graduada em Enfermagem e Nutrição pela FADEP. Pato Branco/PR. Especialista em Enfermagem de Urgência e Emergência pelo ESAP. Pato Branco/PR; Especialista em Cuidados Intensivos Neonatais e Pediatria pelo IEPPP – Pequeno Príncipe. Curitiba/PR; Especialista em Nutrição Materno-Infantil, IPGS. Curitiba/PR e Especialista em Gestão Hospitalar – HOSPSUS, ESPP-2018.

Olga Laura Giraldi Peterlini

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Chefe da divisão de Ensino Superior da Escola de Saúde Pública do Paraná-2018. Diretora de Educação da ABEn-PR – 2017-2019.

Referências

1 Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Gestação de Alto Risco: Manual Técnico. Brasília: MS, 2010.

2 Guerreiro DD, Borges WD, Nunes HHM, Silva SCS, Maciel JP. Mortalidade materna relacionada à doença hipertensiva específica da gestação (DHEG) em uma maternidade no Pará. Revista Enfermagem UFSM. 2014;4(4):825-34.

3 Dias MAB et al. Incidência do Near miss materno no parto e pós-parto hospitalar: dados da pesquisa Nascer no Brasil. Rio de Janeiro; 2014.

4 Pattinson R. Near miss audit in obstetrics. Best Pract. Res Clin Obstet. Gynaecol: 2009; 23:285-286.

5 OMS. Organização Mundial da Saúde. CID-10: classificação estatística internacional de doenças e problemas relacionados à saúde. 8ª ed. São Paulo: EDUSP; 2000.

6 Paraná. Secretaria de Estado de Saúde do Paraná. Superintendência de Atenção à Saúde. Linha Guia da Rede Mãe Paranaense, 2018.

7 Brasil. Ministério da Saúde (Brasil). Estudo da Mortalidade de Mulheres de 10 a 49 anos, com Ênfase na Mortalidade Materna. Relatório Final. Brasília, 2006.

8 Brasil, Ministério da Saúde. Manual dos Comitês de Morte Materna. Série A. Normas e Manuais Técnicos. Brasília: Ministério da Saúde, 2007.

9 Viana RC, Novaes MRCG, Calderon IMP. Mortalidade Materna – uma abordagem atualizada. Com. Ciências Saúde. 22 Sup. Brasília: 2011; 1:141-52.

10 Huçulak MC, Peterlini OLG. Rede Mãe Paranaense – Relato de Experiência. Rev Esp para a Saúde. Londrina: 2014, vol.15: 77-86.

11 Paraná. Secretaria de Estado de Saúde do Paraná. Superintendência de Atenção à Saúde. Manual para a Gestão de Caso na Rede Mãe Paranaense, 2017.

12 Morse ML et al. Morbidade Materna Grave e Near Misses em Hospital de Referência Regional. Rev Bras Epidemiol. vol.14 no.2 São Paulo: 2011.

13 Souza MAC, Souza THSC, Gonçalves AKS. Fatores determinantes do Near miss materno em uma unidade de terapia intensiva obstétrica. Rev. Bras Ginecologia e Obstetrícia. Natal: 2015; pág. 498-504.

14 Brasil. Ministério da Saúde. Gestação de Alto Risco – Manual Técnico. 5ª Edição. Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília – DF: 2012.
Publicado
2019-07-17
Como Citar
1.
Longhi S, Peterlini O. Comissão interna de near miss materno em um hospital da Rede Mãe Paranaense no sudoeste do Paraná. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 17jul.2019 [citado 25jan.2022];2:21-0. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/225