Risco de vulnerabilidade dos idosos de uma unidade de saúde da família no oeste paranaense

Palavras-chave: Assistência Integral à Saúde, Saúde do Idoso, Saúde da família, Vulnerabilidade em Saúde

Resumo

O presente estudo buscou avaliar o risco de vulnerabilidade dos idosos pertencentes a uma Unidade de Saúde da Família em um município do Oeste do Paraná através do uso do questionário Vulnerable Elders Survey (VES-13) estratificando estes pacientes conforme o Protocolo de Identificação do Idoso Vulnerável, através do uso do questionário VES-13. A pesquisa foi realizada de forma retrospectiva, de objetivo exploratório e descritivo de abordagem quantitativa. Foram analisados 403 idosos e observou-se que a maioria dele foram classificados como idosos não vulneráveis, predominante da faixa etária dos 60 a 69 anos e a maioria era do sexo feminino. O estudo conclui que os valores encontrados são satisfatórios, visto que apenas um terço dos idosos foram considerados vulneráveis. Ainda, foram muito similares aos dados referentes a média do estado do Paraná.

Referências

1. Lima CAB, Carvalho JL, Aquino RCA. Avaliação de vulnerabilidade do idoso através da adaptação transcultural do instrumento de identificação do idoso vulnerável VES-13. Rev Eletrônica Estácio Recife [Internet]. 2017 Jul [citado 2019 Out 15];3(1). Disponível em: https://reer.emnuvens.com.br/reer/article/view/115/42.

2. Paraná, Secretaria do Estado da Saúde. Oficinas do APSUS: formação e qualificação profissional em atenção primária à saúde: oficina 9: saúde do idoso na atenção primária à saúde. Curitiba: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná; 2014 [acesso em 2019 Abr 06]. Disponível em: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/Apsus_cadero9_1208_14_alta.pdf.

3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010 [Internet]. Brasília: IBGE; 2010 [acesso em 2019 Abr 06]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/panorama.

4. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeção da população do Brasil e das unidades da federação [Internet]. Brasília: IBGE; 2019 [acesso em 2019 Abr 06]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao//index.html.

5. Paraná, Secretaria do Estado da Saúde. Avaliação multidimensional da saúde do idoso [Internet]. Curitiba: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná; 2018 [acesso em 2019 Abr 06]. Disponível em: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/AvaliacaoMultiddoIdoso_2018_atualiz.pdf.

6. Paz AA., Santos BR., Eidt OR. Vulnerabilidade e envelhecimento no contexto da saúde. Acta Paul Enferm. 2006;19(3):338-42.

7. Lampert MA, Barbosa CD, Coelho FL, Santos I. Uso de preditores de risco em idosos no Brasil: uma revisão integrativa. Rev Kairos. 2016;19(3):169-85.

8. Maia FOM, Duarte YAO, Secoli SR, Santos JLF, Lebrão ML. Adaptação transcultural do Vulnerable Elders Survey -13 (VES-13): contribuindo para a identificação de idosos vulneráveis. Rev Esc Enferm USP. 2012;46(esp):116-22.

9. Saliba D, Elliott M, Rubenstein LZ, Solomon DH, Young RT, Kamberg CJ, et al. The Vulnerable Elders Survey: a tool for identifying vulnerable older people in the community. J Am Geriatr Soc. 2001 Dez;49(12):1691-9.

10. Min LC, Elliott MN, Wenger NS, Saliba D. Higher vulnerable elders survey scores predict death and functional decline in vulnerable older people. J Am Geriatr Soc. 2006 Mar;54(3):507-11.

11. Camarano AA. Mulher idosa: suporte familiar ou agentes de mudança?. Estud Av. 2003;17(49),35-63.

12. Paraná, Secretaria do Estado da Saúde. Estratégia de atenção à saúde do idoso: Paraná-2017 [Internet]. Maringá: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná; 2017 [acesso em 2019 Abr 06]. Disponível em: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/ApresentacaoEstrategiadeAtencaoaSaudedoIdoso.pdf.

13. Maia FOM. Vulnerabilidade e envelhecimento: panorama dos idosos residentes no município de São Paulo - Estudo SABE [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2011.

14. Paraná, Secretaria do Estado da Saúde. Linha guia da saúde do idoso [Internet]. Curitiba: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná; 2018 [acesso em 2019 Abr 06]. Disponível em: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/LinhaGuiaSaudeIdoso_2018_atualiz.pdf.

15. Busato MA, Gallina LS, Teo CRPA, Ferretti F, Pozzagnol M. Autopercepção de saúde e vulnerabilidade em idosos. Rev Baiana Saúde Pública. 2015;38(3):625-35.

16. Veras RP. Prevenção de doenças em idosos: os equívocos dos atuais modelos. Cad Saude Publica. 2012;28(10):1834-40.

17. Manaus, Secretaria Municipal de Saúde. Protocolo de atenção à saúde do idoso [Internet]. Manaus: Secretaria Municipal de Saúde de Manaus; 2017 [acesso em 2018 Out 20]. Disponível em: https://semsa.manaus.am.gov.br/wp-content/uploads/2017/09/PROTOCOLO-IDOSO-set-2017.pdf.
Publicado
2019-11-25
Seção
Artigos originais