Violência laboral contra a equipe de enfermagem: revisão integrativa

Palavras-chave: Violência no trabalho, Equipe de enfermagem, Profissionais de enfermagem, Riscos ocupacionais

Resumo

O objetivo desse estudo foi identificar as evidências científicas nacionais e internacionais sobre os tipos de violência laboral sofrida pela equipe de enfermagem. Trata-se de uma revisão integrativa de literatura. A coleta de dados deu-se em dezembro de 2018 nas bases de dados MEDLINE via PubMed, LILACS e na BDENF.  A revisão encontrou 31 artigos que respondia à pergunta de pesquisa. A violência física e psicológica foram as principais violências sofridas pelos profissionais da enfermagem. O local com maior ocorrência da violência foram o serviço de urgência e emergência nas pesquisas nacionais e nas internacionais, foi nas instituições de saúde mental e na atenção primária. Os principais motivos elencados para a deflagração da violência foram a patologia do paciente, sobrecarga de trabalho e estresse dos profissionais. Apesar da violência laboral estar presente em diversos serviços, sua investigação teve inicio recente, sendo importante avançar a respeito desse tema relevante.

Biografia do Autor

Bruna Decco Marques da Silva, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Bolsista de Iniciação Científica CNPq.

Júlia Trevisan Martins, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina

Aline Aparecida Oliveira Moreira, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutoranda em Enfermagem no Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina. Enfermeira do Serviço de Educação e Pesquisa do Hospital Dr. Eulalino Ignácio de Andrade

Referências

1. World Health Organization (WHO). WHO global consultation on violence and health [Internet]. Geneva: WHO; 1996 [citado em 2018 Dez 29]. Disponível em: https://www.who.int/violence_injury_prevention/violence/world_report/en/introduction.pdf.

2. Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE). Relatório sobre o progresso da igualdade entre mulheres e homens no trabalho, no emprego e na formação profissional [Internet]. Portugal: CITE; 2013 [citado em 2018 Dez 29]. Disponível em: http://cite.gov.pt/asstscite/downloads/Relat_Lei10_2013.pdf.

3. Almeida NR, Filho JGB, Andrade LM. Análise da produção científica sobre a violência no trabalho em serviços hospitalares. Rev Bras Med Trab [Internet]. 2017 [citado em 2019 Jan 12];15(1):101-12. Disponível em: http://www.rbmt.org.br/export-pdf/218/v15n1a12.pdf.

4. Fernandes H, Paquier DCS, Horta ALM. Violência em ambientes de cuidados à saúde: repensando ações. Rev. Bras Enferm [Internet]. 2018 [citado em 2019 Jan 12];71(5):2749-51. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v71n5/pt_0034-7167-reben-71-05-2599.pdf.

5. Martino VD, Hoel H, Cooper CL. Preventing violence and harassment in the workplace. European Foundation for theim provement of living and working conditions [Internet]. Dublin: European Foundation for the Improvement of Living and Working Conditions; 2003 [citado em 2019 Jan 12]. Disponível em: http://edz.bib.uni-mannheim.de/www-edz/pdf/ef/02/ef02109en.pdf.

6. Pedro DRC, Silva GKT, Lopes APAT, Oliveira JLC, Tonini NS. Violência ocupacional na equipe de enfermagem: análise à luz do conhecimento produzido. Saúde Debate [Internet]. 2017 [citado em 2019 Jan 25];41(113):618:29. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v41n113/0103-1104-sdeb-41-113-0618.pdf.

7. Zanatta EA, Hermes TC, Krüger JH, Duarte, PL, Vendruscolo C. Interfaces of violence with and nursing education: a possible and necessary dialogue. Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2018 [citado em 2019 Jan 25];22(7). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v22n4/1414-8145-ean-22-04-e20170404.pdf.

8. Bernaldo-De-Quirós M, Piccini AT, Gómez MM, Cerdeira JC. Psychological consequences of aggression in pre-hospital emergency care: cross sectional survey. Int J Nurs Stud [Internet]. 2015 Jan [citado em 2019 Jan 25];52(1):260-70. Disponível em: https://daneshyari.com/article/preview/1076041.pdf

9. Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & Contexto Enferm [Internet]. 2008 [citado em 2019 Fev 6];17(4):758-64. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v17n4/18.pdf.

10. Costa ALRC, Marziale MHP. Relação tempo-violência no trabalho de enfermagem em emergência e emergência. Rev Bras Enferm [Internet]. 2006 [citado em 2019 Fev 6];59(3):337-43. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v59n3/a16v59n3.pdf.

11. Cezar ES, Marziale MHP. Problemas de violência ocupacional em um serviço de urgência hospitalar da Cidade de Londrina, Paraná, Brasil. Cad Saude Publica [Internet]. 2006 [citado em 2019 Fev 6];22(1):217-21. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v22n1/24.pdf.

12. Estryn-Behar M, van der Heijden B, Camerino D, Fry C, Le Nezet O, Conway PM, et al. Violence risks in nursing-results from the European ‘NEXT’ Study. Occup Med (Lond) [Internet]. 2008 Mar [citado em 2019 Fev 6];58(2):107-14. Occupational medicine. [Internet] 2008 [citado 2019 fev 6]. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18211910.

13. Chen WC, Sun YH, Lan TH, Chiu HJ. Incidence and risk factors of workplace violence on nursing staffs caring for chronic psychiatric patients in Taiwan. Int J Environ Res Public Health [Internet]. 2009 Nov [citado em 2019 Abr 9];6(11):2812-21. Disponível em: https://www.mdpi.com/1660-4601/6/11/2812.

14. Barbosa R, Labronici LM, Sarquis LMM, Fátima MM. Violência psicológica na prática profissional da enfermeira. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2011 [citado em 2019 Abr 9];45(1):26-32. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n1/04.pdf.

15. Miranda FS, Garcia DF, Nascimento MRSNB. Situação constrangedora envolvendo profissionais das unidades básicas de saúde do município de Porto Velho/Rondônia. Enferm Foco [Internet]. 2011 [citado 2019 Abr 9];2(supl):94-7.Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/viewFile/92/77.

16. Santos AMR, Soares JDCN, Nogueira LF, Araújo NA, Mesquita GV, Santos CFL. Violência institucional: vivências no cotidiano da equipe de enfermagem. Rev Bras Enferm [Internet]. 2011 [citado em 2019 Maio 5];64(1):84-90. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v64n1/v64n1a13.pdf.

17. Velloso ISC, Araújo MT, Alves M. Trabalhadores de uma unidade básica de saúde na interface com a violência. Acta Paul Enferm [Internet]. 2011 [citado em 2019 Mai 5];24(4):466-71. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v24n4/a04v24n4.pdf.

18. Joa TS, Morken T. Violence towards personnel in out-of-hours primary care: a cross-sectionalstudy. Scand J Prim Health Care [Internet]. 2012 Mar [citado em 2019 Maio 5];30(1):55-60. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.3109/02813432.2012.651570.

19. Oliveira CM, Fontana RT. Violência psicológica: um fator de risco e de desumanização ao trabalho da enfermagem. Ciênc Cuid Saúde [Internet]. 2012 [citado em 2019 Maio 5];11(2):243-49. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/11951/.

20. Vasconcellos IRR, Griep RH, Lisboa MTL, Rotenberg L. Violência no cotidiano de trabalho de enfermagem hospitalar. Acta Paul Enferm [Internet]. 2012;25(Spec No 2):40-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v25nspe2/pt_07.pdf.

21. Oliveira LP, Camargo FC, Iwamoto HH. Violência relacionada ao trabalho das equipes de saúde da família. Rev Enferm Atenção saúde. [Internet]. 2013 [citado em 2019 Maio 5];2(Spec No 2]:46-56. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/enfer/article/view/388/417


22. Silva IV, Aquino EML, Pinto ICM. Violência no trabalho em saúde: a experiência de servidores estaduais da saúde no Estado da Bahia, Brasil. Cad Saude Publica [Internet]. 2014 [citado em 2019 Maio 5];30(10):2112-22. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30n10/0102-311X-csp-30-10-2112.pdf.

23. Itzhaki M, Peles-Bortz A, Kostistky H, Barnoy D, Filshtinsky V, Bluvstein I. Exposure of mental health nurses to violence associated with job stress, life satisfaction, staff resilience, and post-traumatic growth. Int J Ment Health Nurs [Internet]. 2015 Out [citado 2019 Jun 18];24(5):403-12. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/inm.12151.

24. Lima GHA, Sousa SMA. Violência psicológica no trabalho da enfermagem. Rev Bras Enferm [Internet]. 2015 [citado 2019 Ago 29];68(5):817-23. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v68n5/0034-7167-reben-68-05-0817.pdf.

25. Park M, Cho SH, Hong HJ. Prevalence and perpetrators of workplace violence by nursing unitand the relation ship between violence and the perceived work environment. J Nurs Scholarsh [Internet]. 2015 Jan [citado em 2019 Jun 18];47(1):87-95. Disponível em: https://sigmapubs.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/jnu.12112.

26. Silva AG, Silva TL, Wall ML, Lacerda MR, Maftum MA. Unidade de terapia intensiva: violência no cotidiano da prática da enfermagem. Ciênc Cuid Saúde [Internet]. 2015 [citado em 2019 Jun 18];14(1):885-92. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/21914/pdf_305.

27. Hsieh HF, Chen YM, Wang HH, Chang SC, Ma SC. Association among components of resilience and workplace violence-related depression among emergency department nurses in Taiwan: a cross-sectional study. J Clin Nurs [Internet]. 2016 Set [citado em 2019 Jun 18];25(17-18):2639-47. Disponível em: https://doi.org/10.1111/jocn.13309.

28. Silveira J, Karino ME, Martins JT, Galdino MJQ, Trevisan GS. Violência no trabalho e medidas de autoproteção: concepção de uma equipe de enfermagem. J Nurs Health. [Internet]. 2016 [citado em 2019 Jun 18];6(3):436-46. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/8387.

29. Cordenuzzi ODCP, Lima SBSD, Prestes FC, Beck CLC, Silva RMD, Pai DD. Estratégias utilizadas pela enfermagem em situações de violência no trabalho em hemodiálise. Rev Gaucha Enferm [Internet]. 2017 [citado em 2019 Jun 18];38(2): e58788. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v38n2/0102-6933-rgenf-1983-144720170258788.pdf.

30. Freitas RJMD, Pereira MFDA, Lima CHPD, Melo JND, Oliveira KKDD. A violência contra os profissionais da enfermagem no setor de acolhimento com classificação de risco. Rev Gaucha Enferm [Internet]. 2017 [citado 2019 Jul 23];38(3):e62119. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v38n3/0102-6933-rgenf-38-3-e62119.pdf.

31. Kansagra SM, Rao SR, Sullivan AF, Gordon JA, Magid DJ, Kaushal R, et al. A survey of workplace violence across 65 US emergency departments. Acad Emerg Med [Internet]. 2008 Dez [citado em 2019 Jul 23];15(12):1268-74. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/j.1553-2712.2008.00282.x.

32. Abualrub RF, Alkhawaldeh AT. Workplace physical violence among hospital nurses and physicians in underserved areas in Jordan. J Clin Nurs [Internet]. 2014 Jul [citado em 2019 Jul 23];23(13-14):1937-47. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/jocn.12473.

33. Pai DD, Lautert L, Souza SBCD, Marziale MHP, Tavares JP. Violence, burnout and minor psychiatric disorders in hospital work. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2015 [citado em 2019 Jul 23];49(3):457-64. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49n3/0080-6234-reeusp-49-03-0460.pdf.

34. Hogh A, Sharipova M, Borg V. Incidence and recurrent work-related violence towards healthcare workers and subsequent health effects. a one-year follow-up study. Scand J Public Health [Internet]. 2008 Set [citado em 2019 Jul 23];36(7):706-12. Disponível em: Scand J Public Health. 2008 Sep;36(7):706-12.

35. Fang H, Zhao X, Yang H, Sun P, Li Y, Jiang K, et al. Depressive symptoms and workplace-violence-related risk factors among otorhinolaryngology nurses and physicians in Northern China: a cross-sectional study. BMJ Open [Internet]. 2018 Jan [citado em 2019 Ago 21];27;8(1):e019514. Disponível em: BMJ Open. 2018 Jan 27;8(1):e019514.

36. Scaramal DA, Haddad MDCFL, Garanhani ML, Nunes EDFPD, Galdino MJQ, Pissinati PDSC. Violência física ocupacional em serviços de urgência e emergência hospitalares: percepções de trabalhadores de enfermagem. REME Rev Min Enferm [Internet]. 2017 [citado em 2019 Ago 21];21:e-1024. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1160.


37. Olashore AA, Akanni OO, Ogundipe RM. Physical violence against health staff by mentally ill patients at a psychiatric hospital in Botswana. BMC Health Serv Res [Internet]. 2018 Maio [citado em 2019 Ago 21];11;18(1):362. Disponível em: https://bmchealthservres.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12913-018-3187-6.

38. Dal Pai D, Sturbelle ICS, Santos CD, Tavares JP, Laurent L. Violência física e psicológica perpetrada no trabalho em saúde. Texto & contexto enfermagem. [Internet] 2018 [citado em 2019 ago 29]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v27n1/0104-0707-tce-27-01-e2420016.pdf

39. Oliveira AR, D’Oliveira AFPL. Violência de gênero contra trabalhadoras de enfermagem em hospital geral de São Paulo (SP).Rev Saude Publica [Internet]. 2008 [citado em 2019 Ago 29];42(5):868-76. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v42n5/6805.pdf.

40. Souza AAM, Costa WA, Gurgel AKC. Aspectos relacionados à ocorrência de violência ocupacional nos setores de urgência de um hospital. Rev Pesqui Univ Fed Estado Rio J Online) [Internet]. 2014 [citado em 2019 Ago 29];6(2):637-50. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/3158/pdf_1256.
Publicado
2019-11-25
Seção
Artigos de revisão