Características clínicas, epidemiológicas e georreferenciamento da tuberculose em um centro de referência do oeste do Paraná

  • Henrique Rodrigues Thomé UFPR
  • Mayara Angélica Bolson Salamanca Universidade Federal do Paraná
  • Sonia Mara de Andrade Universidade Federal do Paraná
Palavras-chave: Tuberculose. Epidemiologia. Saúde Pública. Tuberculose Resistente a Múltiplos Medicamentos. Perfil de impacto da doença.

Resumo

O estudo objetivou descrever o perfil clínico, epidemiológico e o georreferenciamento dos casos de tuberculose notificados no município de Toledo - PR entre 2014 e 2018. Trata-se de estudo transversal descritivo retrospectivo realizado com todas as fichas de notificação de tuberculose do centro de referência  para tuberculose do município em estudo. No perfil do doente houve predomínio da faixa etária entre 21-30 nos (34,92%), sexo masculino (72,22%), cor branca (50,79%), trabalhadores da construção civil, minério e têxtil (29,37%), escolaridade até o ensino fundamental (62,70%) e coinfecção com HIV (7,94%); houve cura em 76,98% dos casos e drogarresistência em 26,19%; os casos concentraram-se em três bairros (54,72%). Concluiu-se que a incidência da doença é menor que a nacional; o perfil do doente sugere maior vulnerabilidade social; a drogarresistência é significativamente alta e o georreferenciamento mostra três bairros que necessitam de maior atenção para o enfrentamento da tuberculose.

Referências

1. Nogueira AF, et al. Tuberculose: uma abordagem geral dos principais aspectos. Rev Bras Farm [internet]. 2012 fev [citado 2019 set 15]; 93 (1); 3-9. Disponível em: http://www.rbfarma.org.br/files/rbf-2012-93-1-1.pdf
2. World Heralth Organization. WHO End TB Strategy [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2015 [citado 2019 set 15]. Disponível em: https://www.who.int/tb/End_TB_brochure.pdf?ua=1
3. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual de recomendações para o controle da tuberculose no Brasil [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2019 [citado 2019 set 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_recomendacoes_controle_tuberculose_brasil_2_ed.pdf
4. Ministério da Saúde (BR). Doenças negligenciadas: estratégias do Ministério da Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2010 [citado 2019 set 15]. 44(1) 200-2. Disponível em:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102010000100023
5. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Brasil Livre da Tuberculose: evolução dos cenários epidemiológicos e operacionais da doença. Bol Epidemiol [Internet]. 2019 [citado 2019 set 15]; 50(9):1-18. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2019/marco/22/2019-009.pdf
6. Ponce MAS, et al. Diagnóstico da tuberculose: desempenho do primeiro serviço de saúde procurado em São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública [Internet]. 2013 [citado 2019 set 15];29:945-54. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2013000500012&script=sci_abstract&tlng=pt
7. Augusto CJ, Carvalho WS, Gonçalves AD, Ceccato MGB. Miranda SS. Características da tuberculose no estado de Minas Gerais entre 2002 e 2009. J Bras Pneumol [Internet]. 2013 jun [citado em 2019 set 15];39(3):357-64. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1806-37132013000300357&script=sci_arttext&tlng=pt.
8. Pinto, PFPS, et al. Perfil epidemiológico da tuberculose no município de São Paulo de 2006 a 2013 [Internet]. 2017 jul [citado 2019 set 15];20(3):549-57. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-790X2017000300549&script=sci_abstract&tlng=pt
9. Morimoto AA, et al. Soroprevalência da infecção pelo vírus da imunodeficiência humana em pacientes com tuberculose, em Londrina, Paraná. J Bras Pneumo [internet]. 2005 ago [citado 2019 set 15];31(4):325-31. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-37132005000400010
10. Telarolli Junior R, Loffredo LCM, Gasparetto RM. Clinical and epidemiological profile of tuberculosis in an urban area with high human development index in southeastern Brazil. Time series study. Sao Paulo Medical Journal [Internet]. 2017 ago];135(5):413-19. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-31802017000500413&lng=en&tlng=en
11. Pedro AS, Oliveira RM. Tuberculose e indicadores socioeconômicos: revisão sistemática da literatura. Rev Panam Salud Publica [Internet]. 2013 [citado 2019 set 15];33(4):294-301. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/rpsp/2013.v33n4/294-301/
12. Fregona G, et al. Risk factors associated with multidrug-resistant tuberculosis in Espírito Santo, Brazil. Rev Saúde Pública [Internet]. 2017 [citado em 2019 set 15];51(41)327-36. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-89102017000100230&script=sci_abstract
13. Pedro HSP, et al. Clinical and epidemiological profiles of individuals with drug-resistant tuberculosis. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz [Internet]. 2015 abr [citado em 2019 set 15];110(2):235-48. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0074-02762015000200235
14. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Indicadores prioritários para o monitoramento do Plano Nacional pelo Fim da Tuberculose como Problema de Saúde Pública no Brasil. Bol Epidemiol [Internet]. 2017 [citado 2019 mar 15];48(8):1-11. Disponível em: http://portalarquivos2.saude.gov. br/images/pdf/2017/marco/23/2017-V-48-N-8- Indicadores-priorit--rios-para-o-monitoramentodo-Plano-Nacional-pelo-Fim-da-Tuberculose-comoProblema-de-Sa--de-P--blica-no-Brasil.pdf
15. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Coinfecção TB-HIV no Brasil: panorama epidemiológico e atividades colaborativas 2017.Bol Epidemiol [Internet]. 2017 [citado 2019 set 15]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2017/coinfeccao-tb-hiv-no-brasil-panorama-epidemiologico-e-atividades-colaborativas-2017.
16. Hawker JI, Bakhshi SS, Ali S, Farrington CP. Ecological analysis of ethnic differences in relation between tuberculosis and poverty. BMJ [Internet]. 1999 [citado em 2019 set 15];319(7216):1031-4. Disponível em: https://www.bmj.com/content/319/7216/1031
17. Angelo JR, et al. (Re)Produção do espaço urbano de Juiz de Fora e a distribuição espacial da tuberculose [tese]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública, Fundação Oswaldo Cruz; 2008. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/4946
18. Almeida Filho N, Rouquayrol M Z. Modelos de Atenção e Vigilância em saúde. Epidemiologia e Saúde. Saúde-doença: introdução à epidemiologia. 3. ed. Rio de Janeiro: Medci Ed. 2002 [citado 2019 set 15].
Publicado
2020-07-08
Seção
Artigos originais