Avaliação sanitária dos serviços de hemoterapia do Estado do Paraná

  • Renata Pavese 1. Secretaria de Saúde do Estado do Paraná, Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná - HEMEPAR, Curitiba, PR, Brasil https://orcid.org/0000-0001-7698-6716
  • Edson Zangiacomi Martinez Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Vigilância Sanitária. Avaliação de Programas e Projetos de Saúde. Bancos de Sangue. Serviço de Hemoterapia. Gestão de Riscos.

Resumo

O objetivo deste estudo é avaliar os riscos potenciais apresentados pelos serviços de hemoterapia do estado do Paraná no período de 2010 a 2017, e identificar as não conformidades comuns nas Agências Transfusionais no ano de 2017. Foram utilizados dados do sistema informatizado SHTWEB. Utilizou-se o Método de Avaliação de Risco Potencial em Serviços de Hemoterapia (MARPSH). Em 2010, 2013 e 2017, foram inspecionados respectivamente 57,1%, 79,1% e 59,7% dos serviços, sendo esta cobertura relativamente baixa, e respectivamente 41,8%, 51,9% e 67,2% dos serviços foram classificados como de baixo risco. Em 2017, as não conformidades mais frequentes relacionaram-se a equipamentos e dispositivos, infraestrutura, gestão da qualidade, recursos humanos e retrovigilância. Em conclusão, são necessárias medidas para a melhoria dos resultados dos serviços de hemoterapia avaliados, incluindo prioridades com relação a sistemas de informação, equipamentos e dispositivos, gestão da qualidade, recursos humanos e hemovigilância, além da necessidade de aumentar a cobertura das inspeções sanitárias. 

Referências

1. Seta MH, Silva JAA. A gestão da vigilância sanitária. In: Seta MH, Pepe VLE, Oliveira GO, organizadores. Gestão e vigilância sanitária: modos atuais do pensar e fazer. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 195-217, 2006.
2. Luchese G. Globalização e regulação sanitária: os rumos da vigilância sanitária no Brasil. Brasília: Anvisa, 2008.
3. Mota DM, Freitas DRC, Araújo WN. Evaluation of the System of Sanitary Vigilance of Blood at the federal level, Brazil, 2007. Ciênc Saúde Coletiva. 2012; 17(1): 191-202. doi: 10.1590/S1413-81232012000100021
4. Ministério da Saúde (BR). Resolução RDC da ANVISA nº 34, de 11 de junho de 2014. Dispõe sobre as Boas Práticas no Ciclo do Sangue. Diário Oficial da União, Brasília, p. 50, 16 jun. 2014. Seção 1.
5. Ministério da Saúde (BR). Portaria GM/MS nº 158, de 4 de fevereiro de 2006. Redefine o regulamento técnico de procedimentos hemoterápicos. Diário Oficial da União, Brasília, p. 37, 5 fev. 2006. Seção 1.
6. Ministério da Saúde (BR). Portaria Conjunta ANVISA/SAS nº 370, de 7 de maio de 2014. Dispõe sobre regulamento técnico-sanitário para o transporte de sangue e componentes. Diário Oficial da União, Brasília, p. 47, 8 maio 2014. Seção 1.
7. Ministério da Saúde (BR). Resolução RDC da ANVISA nº 20, de 10 de abril de 2014. Dispõe sobre regulamento sanitário para o transporte de material biológico humano. Diário Oficial da União, Brasília, p. 67, 11 abr. 2014. Seção 1.
8. Ministério da Saúde (BR). Resolução RDC da ANVISA nº 151, de 21 de agosto de 2001. Aprova o Regulamento Técnico sobre níveis de complexidade dos serviços de hemoterapia. Diário Oficial da União, Brasília, 22 ago. 2001. Seção 1.
9. Ministério da Saúde (BR). Resolução RDC da ANVISA nº 57, de 16 de dezembro de 2010. Determina o Regulamento Sanitário para Serviços que desenvolvem atividades relacionadas ao ciclo produtivo do sangue humano e componentes e procedimentos transfusionais. Diário Oficial da União, Brasília, p. 119, 17 dez. 2010. Seção 1.
10. Cunha CL. Informatização do processo de avaliação de risco sanitário em serviços de hemoterapia. [dissertação]. Florianópolis (SC): Universidade Federal de Santa Catarina; 2018.
11. Silva-Junior JB, Rattner D. Segurança Transfusional: um método de Vigilância Sanitária para avaliação de riscos potenciais em serviços de hemoterapia. Vig Sanit Debate. 2014; 2(2): 43-52. doi: 10.3395/vd.v2i2.126
12. Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. Resolução SESA nº 0043/2010. Dispõe sobre as condições para a instalação e funcionamento do SHTWEB - Entrada de Dados on line, no Sistema Estadual de Informação e Controle Hemoterápico do Paraná - SHT e dá outras providências. [internet]. Disponível em: http://www.saude.pr.gov.br/arquivos/File/Resolucoes2011/Resolucao0432010.pdf
13. Silva Júnior JB, Rattner D. A Vigilância Sanitária no controle de riscos potenciais em serviços de hemoterapia no Brasil. Saúde Debate. 2016; 40: 136-53. doi: 10.1590/0103-1104201610911
14. Silva Júnior JB, Rattner D, Martins RDCA. Controle de riscos potenciais em serviços de hemoterapia no Brasil: uma abordagem para autoridades reguladoras. Rev Panam Salud Públ. 2016; 40, 1-8.
Publicado
2020-07-08
Seção
Artigos originais