Avaliação de usuários com Diabetes mellitus tipo 2 sob intervenção uni ou interprofissional na atenção básica

  • Luana Martins Maffei Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Universidade Estadual de Londrina (Paraná – Brasil). http://orcid.org/0000-0002-7800-5720
  • Kamille Karolinne Sagrilo Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Universidade Estadual de Londrina (Paraná – Brasil). http://orcid.org/0000-0002-3146-5754
  • Yuri Atamanczuk de Oliveira Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Universidade Estadual de Londrina (Paraná – Brasil). http://orcid.org/0000-0001-5285-177X
  • Clisia Mara Carreira Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família – Universidade Estadual de Londrina. http://orcid.org/0000-0001-8692-2476
Palavras-chave: Sistema Único de Saúde, Relações Interprofissionais, Diabetes mellitus tipo 2, Nutrição em Saúde Pública

Resumo

Diabetes mellitus tipo 2 é uma das maiores causas de óbito por doenças crônicas não transmissíveis, com relevante impacto econômico no sistema de saúde. O atendimento interprofissional é cada vez mais discutido para a recuperação e promoção da saúde. O objetivo desse estudo foi avaliar alterações antropométricas, laboratoriais e clínicas em diabéticos submetidos a intervenção uni ou interprofissional. Vinte usuários foram selecionados aleatoriamente, separados em dois grupos e submetidos a atendimentos uni ou interprofissional. Não foram observadas diferenças para as variáveis antropométricas e laboratoriais entre os dois grupos. Contudo, a variação percentual (momento inicial e final) de todas as variáveis estudadas foi mais benéfica para usuários da intervenção interprofissional. A incorporação dessa modalidade de atendimento mostrou-se viável, promovendo atenção integral aos usuários, otimização da vinda dos usuários a Unidade Básica de Saúde e das estruturas físicas. Com maior tempo de intervenção e número de usuários, futuros estudos podem apresentar resultados ainda mais promissores.

Referências

1. Isosaki M, Cardoso E, Oliveira A de. Manual de dietoterapia e avaliação nutricional: serviço de nutrição e dietética do Instituto do Coração – HCFMUSP. 2ª ed. São Paulo: Atheneu; 2009.
2. Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2017-2018. São Paulo: Clannad; 2017a.
3. World Health Organization (WHO). Global report on diabetes. France: WHO Library Cataloguing-in-Publication Data; 2016.
4. Malta DC, Cezário AC, Moura L de, Morais Neto OL de, Silva Junior JB da. A construção da vigilância e prevenção das doenças crônicas não transmissíveis no contexto do Sistema Único de Saúde. Epidemiol Serv Saude 2006; 15(1): 47-65.
5. American Diabetes Association (ADA). Standards of medical care in diabetes – 2019. 2019; 42(1).
6. Oliveira MA de C, Pereira IC. Atributos essenciais da atenção primária e a estratégia saúde da família. Rev Bras Enferm 2013; 66 (esp): 158-164.
7. Dietitians of Canada. Role of the registered dietitian in Primary Health Care: a national perspective. Canada; 2009.
8. Brasil. Portaria n. 2.436 de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, 183:68, 2017; 22 set.
9. Conselho Federal de Nutricionistas (CFN). O papel do nutricionista na Atenção Primária à Saúde. Brasília; 2008.
10. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Oficina de qualificação do NASF. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.
11. Peduzzi M. Equipe multiprofissional de saúde: conceito e tipologia. Rev. Saúde Pública 2001; 35(1): 103-109.
12. Oliveira ERA de, Fiorin BH, Lopes LJ, Gomes MJ, Coelho S de O, Morra JS. Interdisciplinaridade, trabalho em equipe e multiprofissionalismo: concepções dos acadêmicos de enfermagem. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde 2011; 13(4): 28-34.
13. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços e saúde: Norma técnica do Sistema e Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.
14. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO). Diretrizes Brasileiras de Obesidade. 2016; 4.
15. European Food Safety Authority (EFSA). EFSA Panel on Dietetic Products, Nutrition and Allergies (NDA). Scientific opinion on dietary reference values for water. EFSA Journal 2010; 8(3): 1459.
16. Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Guia Alimentar para a População Brasileira. Brasília, Ministério da Saúde, 2014; 2.
17. Secretaria de Estado de Saúde do Paraná (BR), Superintendência de Atenção à Saúde. Linha guia de diabetes mellitus. Curitiba: SESA; 2018; 2.
18. Prochaska JO, Velicer WF. The transtheoretical model of health behavior change. Am J Health Promot 1997; 12(1): 38-48.
19. Santos GMGC dos. Barreiras para o consumo de frutas e de verduras ou legumes em indivíduos de 44 anos ou mais do município de Cambé, Paraná [dissertação]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina; 2016.
20. Ferreira DF. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia (UFLA) 2011; 35: 1039-1042.
21. Flor LS, Campos MR. Prevalência de diabetes mellitus e fatores associados na população adulta brasileira: evidências de um inquérito de base populacional. Rev Bras Epidemiol 2017; 20(1): 16-29.
22. Flor LS, Campos MR, Oliveira AF de, Schramm JM de A. Carga de diabetes no Brasil: fração atribuível ao sobrepeso, obesidade e excesso de peso. Rev Saúde Pública 2015; 49(29).
23. Azevedo Passos VM de, Barreto SM, Diniz LM, Lima-Costa MF. Type 2 diabetes: prevalence and associated factors in a Brazilian community – the Bambuí health and aging study. Sao Paulo Med J 2005; 123(2): 66-71.
24. Huxley R, Mendis S, Zheleznyakov E, Reddy S, Chan J. Body mass index, waist circumference and waist:hip ratio as predictors of cardiovascular risk – a review of the literature. Eur J Clin Nutr 2010; 64(1): 12-22.
25. Ottaviani E, Malagoli D, Franceschi C. The evolution of the adipose tissue: a neglected enigma. Gen Comp Endocrinol 2011; 174: 1-4.
26. Galic S, Oakhill JS, Steinberg GR. Adipose tissue as an endocrine organ. Mol Cell Endocrinol 2010; 316: 129-139.
27. Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). Posicionamento oficial SBD, SBPC-ML, SBEM e FENAD 2017/2018. Atualização sobre hemoglobina glicada (A1C) para avaliação do controle glicêmico e para o diagnóstico do diabetes: aspectos clínicos e laboratoriais. São Paulo; 2017b.
28. Sociedade Brasileira de Cardiologia. Atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose – 2017. Arq Bras Cardiol 2017; 109(2) (Supl. 1).
29. Pereira R. A relação entre dislipidemia e diabetes mellitus tipo 2. Cadernos UniFOA 2011; 17.
30. Joron GE, Laryea E, Jaeger D, Macdonald L. Cause of death in 1144 patients with diabetes mellitus: an autopsy study. CMAJ 1986; 134(7): 759-764.
31. Colosia AD, Palencia R, Khan S. Prevalence of hypertension and obesity in patients with type 2 diabetes mellitus in observational studies: a systematic literature review. Diabetes Metab Syndr Obes 2013; 6: 327-338.
32. Lúcio Neto MP, Rosa F das CF, Barbosa T de JA. Monitoramento dos níveis séricos de ureia e creatinina de usuários com diabetes mellitus em um laboratório público de Teresina-PI. R Interd 2014; 7(3): 37-49.
33. Fontoura HA da. A etnografia da saúde: tecendo perspectivas interdisciplinares. Rev SOCERJ 2007; 20(4): 309-312.
34. Fazenda ICA. Interdisciplinaridade. R Interd 2010; 1: 1-10.
35. Maia DB, Sousa de ETG, Gama RM, Lima JC, Rocha PC de F, Sassaki Y. Atuação interdisciplinar na atenção básica de saúde: a inserção da residência multiprofissional. Sau & Transf Soc 2013; 4(1): 103-110.
36. Oliveira MC de, Sichieri R. Fracionamento das refeições e colesterol sérico em mulheres com dieta adicionada de frutas ou fibras. Rev Nutr 2004; 17(4): 449-459.
37. Liu S, Manson JE, Lee IM, Cole SR, Hennekens CH, Willet WC, Buring JE. Fuit and vegetable intake and risk of cardiovascular disease: the Women’s health study. Am J Clin Nutr 2000; 72(4): 922-928.
38. Popkin BM, D’Anci KE, Rosenberg IH. Water, hydration, and health. Nutr Rev 2010; 68(8): 439-458.
39. Baron S, Courbebaisse M, Lepicard EM, Friedlander G. Assessment of hydration status in a large population. Br J Nutr 2015; 113(1): 147-158.
40. Sousa GTD, Lira FS, Rosa JC, Oliveira de EP, Oyama LM, Santos RV, Pimentel GD. Dietary whey protein lessens several risk factors for metabolic diseases: a review. Lipids Health Dis 2012; 11(67).
41. Bendtsen LQ, Lorenzen JK, Bendsen NT, Rasmussen C, Astrup A. Effect of dairy proteins on appetite, energy expenditure, body weight, and composition: a review of the evidence from controlled clinical trials. Adv Nutr 2013; 4(4): 418-4358.
42. Tremblay A, Gilbert JA. Milk products, insulin resistance syndrome and type 2 diabetes. J Am Coll Nutr 2009; 28(1): 91S-102S.
43. Vinholes DB, Assunção MCF, Neutzling MB. Frequência de hábitos saudáveis de alimentação medidos a partir dos 10 Passos da Alimentação Saudável do Ministério da Saúde. Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saude Publica 2009; 25(4): 791-799.
44. Ferreira VA, Campos SMB de. Avanços farmacológicos no tratamento do diabetes tipo 2. Braz J Surg Clin Res 2014; 8(3): 72-78.
45. Cadogan CA, Ryan C, Hughes CM. Appropriate polypharmacy and medicine safety: when many is not too many. Drug Saf 2016; 39(2): 109-116.
46. Nascimento RCRM do, Álvares J, Guerra Júnior AF, Gomes IC, Silveira MR, Costa EA, Leite SN, Costa KS, Soeiro OM, Guibu IA, Karnikowski MG de O, Acurcio F de A. Polifarmácia: uma realidade da atenção primária do Sistema Único de Saúde. Rev Saude Publica 2017; 51 (Supl 2).
47. Weyerer S. Physical inactivity and depression in the community. Int J Sports Med 1992; 13: 492-496.
48. Gualano B, Tinucci T. Sedentarismo, exercício físico e doenças crônicas. Rev Bras Educ Fis Esporte 2011; 25(esp): 37-43.
49. Prochaska JO, Diclemente CC. Stages and processes of self-change of smoking: toward an integrative model of change. J Consult Clin Psychol 1983; 51(3): 390-395.
Publicado
2021-04-23
Como Citar
1.
Maffei L, Sagrilo K, de Oliveira Y, Carreira C. Avaliação de usuários com Diabetes mellitus tipo 2 sob intervenção uni ou interprofissional na atenção básica. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 23abr.2021 [citado 28nov.2022];3(2):74-3. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/388
Seção
Artigos originais