Atuação do sanitarista em município brasileiro de tríplice-fronteira: Covid-19 como emergência de saúde coletiva

Palavras-chave: Formação Profissional em Saúde, Saúde Coletiva, Coronavírus, Foz do Iguaçu

Resumo

Em virtude da atual crise sociossanitária decorrente da nova manifestação do coronavírus, este relato de experiência buscou descrever a inserção do profissional sanitarista no Departamento de Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu/PR, no âmbito da prevenção e combate à COVID-19 em território brasileiro de tríplice- fronteira (Argentina-Brasil-Paraguai). O trabalho privilegiou o diálogo entre a prática profissional e a formação acadêmica na modalidade de Residência Multiprofissional em Saúde da Família, buscando destacar as potencialidades da aprendizagem no trabalho através da perspectiva do cuidado integral à saúde nos diferentes ciclos da vida familiar. O sanitarista possui um perfil de atuação que visa o fortalecimento do Sistema Único de Saúde na atual conjuntura sociossanitária, estando altamente capacitado para lidar com questões relativas à vigilância em saúde, gestão das redes de cuidado, comunicação e educação em saúde e análise e planejamento situacional. 

Biografia do Autor

Roberth Steven Guitérrez Murillo, Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)

Graduado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Mestrando no Programa de Pós-graduação em Gerontologia pela Universidad Europea del Atlántico (UNEATLANTICO/Espanha) com Linha de Pesquisa em Intervenção Sanitária. Residente (Sanitarista) no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família (UNILA). Acreditação Internacional Nível Básico na Atenção à Saúde do Idoso pela Organização Pan-americana da Saúde (OPAS, 2018). 

Referências

1. Tuñas ITC, Da Silva ET, Santiago SBS, Maia KD, Silva-Junior GO. Doença pelo coronavírus 2019 (COVID-19): uma abordagem preventiva para odontologia. Revista Brasileira de Odontologia. [internet] 2020 jan;77(1):1-6. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: http://dx.doi.org/10.18363/rbo.v77.2020.e1776
2. Palacios MC et al. COVID-19, una emergencia de salud pública mundial. Revista Clínica Española. [internet] 2020 mar:1-7. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: https://doi.org/10.1016/j.rce.2020.03.001
3. Ahmad A, Rehman UM, Alkharfy KM. An alternative approach to minimize the risk of coronavirus (covid-19) and similar infections. European Review for Medical and Pharmacological Sciencies. [internet] 2020 (24):4030-4034. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: 10.26355/eurrev_202004_20873
4. Sun P, Lu X, Xu C, Sun W, Pan B. Understanding of COVID-19 based on current evidence. Jornal of Medical Virology. [internet] 2020;1-4. [Cited 2020 Jul 30]. DOI:
https://doi.org/10.1002/jmv.25722
5. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 188, de 03 de fevereiro de 2020, declara emergência em saúde publica de importância nacional, em decorrência da infecção humana pelo novo coronavírus (COVID-19). [Cited 2020 Jul 30]. Disponível em: http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-188-de-3-de-fevereiro-de-2020-241408388
6. Paraná. Casa civil. Sistema Estadual de Legislação. Diário Oficial nº 10653, de 23 de março de 2020. Declara o estado de calamidade pública, para fins do art. 65, da Lei Complementar Federal nº 101, de 04 de maio de 2000, com efeitos até 31 de dezembro de 2020, nos termos da solicitação do Governador do Estado, encaminhada à Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, por meio da Mensagem nº 15, de 23 de março de 2020. [Cited 2020 Jul 30]. Disponível em: https://leisestaduais.com.br/pr/decreto-n-4319-2020-parana-declara-o-estado-de-calamidade-publica-como-medida-para-enfrentamento-da-emergencia-de-saude-publica-de-importancia-internacional-decorrente-do-coronavirus-covid-19
7. Paraná. Secretaria de Estado da Saúde do Paraná – SESA/PR. Resolução nº 126/2020, ativar o Centro de Operações em Emergências – COE para o enfrentamento do novo coronavírus, Curitiba, 2020. [Cited 2020 Jul 30]. Disponível em: http://www.saude.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2020-04/126_20.pdf
8. Marson FAL. Um milhão de casos de COVID-19: o que aprendemos? Revista de Medicina (São Paulo). [internet] 2020, mar-abr;99(2):209-212. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.1679-9836.v99i2p209-212
9. Domingo JC. Relatos de experiencia, en busca de un saber pedagógico. Revista Brasileira de Pesquisa (Auto) Biográfica, Salvador. [internet] 2016, jan./abr;01(1):14-30. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: http://dx.doi.org/10.31892/rbpab2525-426X.2016.v1.n1.p14-30
10. Universidade Federal da Integração Latino-Americana – UNILA. Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família. 2017. [Cited 2020 Jul 30]. Disponível em: https://portal.unila.edu.br/especializacao/residencia
11. Brasil. Ministério da Saúde. Resolução no. 466, de 12 de dezembro de 2012. [Cited 2020 Jul 30]. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf
12. Guimarães, CF, & Silva, RAN. Notas para a problematização do coletivo no campo da saúde. Ciência & Saúde Coletiva [internet] 20(3), 2015; 913-924. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-81232015203.02002014
13. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Cidades e Estados: Foz do Iguaçu. [Cited 2020 Jul 30]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pr/foz-do- iguacu.html
14. Medeiros, RHA. O ensino de promoção e educação em saúde para sanitaristas. Interface - Comunicação, Saúde, Educação [internet] 22(65) 2015, 609-620. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0003
15. Guimarães, CF; Meneghel, SN. Subjetividade e saúde coletiva: produção de discursos na re-significação do processo saúde-doença no pós-moderno. Revista Subjetividades [internet] 2016, vol. 3, no 2, p. 353-371. [Cited 2020 Jul 30].
16. Teixeira, CF. Graduação em Saúde Coletiva: antecipando a formação do Sanitarista. Interface-Comunicação, Saúde, Educação [internet] 2003:7, 163-166. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-32832003000200019
17. Santos, DCL, Matias, KS, Netto, MRPF. A importância da intersetorialidade entre saúde e educação: relato de experiência. 16º Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais, Brasília [internet] 2019, 1-13. [Cited 2020 Jul 30]. Disponível em: https://broseguini.bonino.com.br/ojs/index.php/CBAS/article/view/1239
18. Brasil. A epidemiologia nas políticas, programas e serviços de saúde. Revista Brasileira de Epidemiologia [internet] 2005. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S0104-16731997000300002
19. Kessler, M et al. Longitudinalidade do cuidado na atenção primária: avaliação na perspectiva dos usuários. Acta paul. Enferm 2019 [internet] 32(2):186-193. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201900026
20. RaimondiI, GA et al. Intersetorialidade e Educação Popular em Saúde: no SUS com as Escolas e nas Escolas com o SUS. Revista Brasileira de Educação Médica [internet] 2018, 42(2), 73-78. [Cited 2020 Jul 30]. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-52712015v42n2rb20170043
Publicado
2020-12-21
Como Citar
1.
Guitérrez Murillo R, Mosquera Conde O, Wagner Leandro G, Bueno de Freitas H, Ferreira de Souza E. Atuação do sanitarista em município brasileiro de tríplice-fronteira: Covid-19 como emergência de saúde coletiva. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 21dez.2020 [citado 24out.2021];3(Supl.). Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/420