Percepção sobre mercado de trabalho em enfermagem entre acadêmicos ingressantes e formados

Palavras-chave: Programas de Graduação em Enfermagem, Recursos Humanos em Saúde, Mercado de trabalho

Resumo

O objetivo do estudo foi analisar a percepção sobre o mercado de trabalho entre ingressantes e formandos do curso de Enfermagem de uma universidade pública. O estudo qualitativo foi realizado com ingressantes (2019) e formandos (2018) do curso de Enfermagem da Universidade Estadual de Ponta Grossa. A amostra foi definida pelo método de saturação, a coleta de dados gravada com roteiro-guia. O material transcrito recebeu análise temática de conteúdo. Sobre o mercado de trabalho foram identificadas as categorias: amplo, saturado, exigente e desvalorizado. O mercado amplo deriva da percepção de diversidade no campo de atuação, porém houve sentimento de saturação, e por isto, exige experiência e maior formação profissional, tornando-o desvalorizado, principalmente no retorno financeiro. Houve uma percepção aproximada entre ingressantes e formandos sobre o mercado de trabalho em Enfermagem. Sendo assim, ao escolher o curso, o estudante tem ciência das dificuldades enfrentadas no mercado de trabalho relacionado à profissão.

Referências

1. Machado MH, Aguiar-Filho W, Lacerda WF, Oliveira E, Lemos W, Wermelinger M, et al. Relatório final da Pesquisa Perfil da Enfermagem no Brasil (Convênio: Fiocruz/Cofen). Rio de Janeiro: 28 volumes, NERHUS-DAPS-Ensp/Fiocruz e Cofen; 2015.
2. Machado MH, Aguiar Filho W, Lacerda WF, Oliveira E, Lemos W, Wermelinger M, et al. Características gerais da enfermagem: o perfil sociodemográfico. Enferm Foco 2016;7:9-14.
3. Caetano AS, Prado JTC. Mercado de trabalho: condições gerais do trabalho da enfermagem. Divulg Saúde Debate. 2016; 56:98-105.
4. Barbosa TLA, Gomes LMX, Reis TC, Leite MTS. Expectativas e percepções dos estudantes do curso técnico em enfermagem com relação ao mercado de trabalho. Texto Contexto Enferm, 2011;20:45-51.
5. Andrade MV, Coelho AQ, Xavier Neto M, de Carvalho LR, Atun R, Castro MC. Transition to universal primary health care coverage in Brazil: Analysis of uptake and expansion patterns of Brazil's Family Health Strategy (1998-2012). PLoS One. 2018;13(8):e0201723.
6. Ximenes-Neto FRG, Lopes Neto D, Cunha ICKO, Ribeiro MA, Freire NP, Kalinowski CE, et al. Reflexões sobre a formação em Enfermagem no Brasil a partir da regulamentação do Sistema Único de Saúde. Ciênc Saúde Colet. 2020; 25(1):37-46.
7. Lima A, Lopes LCS, Soane AMNC, Fortes AFA. Egressos de enfermagem: potencialidades no processo de formação profissional para inserção no mercado de trabalho. Indagatio Didactica. 2017;9(4):65-80.
8. Jesus BH, Gomes DC, Spillere LBB, Prado ML, Canever BP. Inserção no mercado de trabalho: trajetória de egressos de um curso de graduação em enfermagem. Esc Anna Nery, 2013;17(2):336-45.
9. Mattia BJ, Kleba ME, Prado ML. Formação em enfermagem e a prática profissional: uma revisão integrativa da literatura. Rev Bras Enferm. 2018;71(4):2157-68.
10. Püschel VAA, Costa D, Reis PP, Oliveira LB, Carbogim FC. Nurses in the labor market: professional insertion, competenciesandskills. Rev Bras Enferm. 2017;70(6):1220-6.
11. Barbosa ACS, Luiz FS, Friedrich DBC, Püschel VAA, Farah BF, Carbogim FC. Perfil de egressos de Enfermagem: competências e inserção profissional. Rev Lat-Amer Enferm. 2019;27:e3205. 
12. Cambiriba TDC, Ferronato AF, Fontes KB. Percepções de egressos de enfermagem frente a inserção no mercado de trabalho. Arq Ciênc Saúde UNIPAR. 2014;18(1):27-32.
13. Oliveira JSA, Pires DEP, Alvarez AM, Sena RR, Medeiros SM, Andrade SR. Trends in the job market of nurses in theviewof managers. Rev Bras Enferm. 2018;71(1):148-55.
14. Colenci R, Berti HW. Formação profissional e inserção no mercado de trabalho: percepções de egressos de graduação em enfermagem. Rev Esc Enferm USP. 2012;46(1):158-66.
15. Bardin L. Análise de conteúdo. 3 ed. São Paulo: Edições 70; 2016.
16. Souza NVDO, Penna LHG, Cunha LS, Mafra IF, Mariano DCA. Perfil socioeconômico e cultural do estudante ingressante no curso de graduação em enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2013;21(2):718-22.
17. Corrêa AK, Prebill GM, Ruiz JC, Souza MCBM, Santos RA. O perfil do aluno ingressante em um curso de bacharelado e licenciatura em enfermagem de uma instituição de ensino superior pública. Educ Rev, 2018;34:e185913.
18. Palazzo J, Gomes CA. Origens sociais dos futuros educadores: a democratização desigual da educação superior. Rev Aval Educ Sup. 2012;17(3):877-98.
19. Silva TA. Identidade e escolhas profissionais na perspectiva de graduandos de enfermagem [Dissertação]. São Paulo, SP: Universidade de São Paulo; 2015.
20. Anderson JSN, Schneider S. Brazilian demographic transitionand the strategic role of youth. Espace Popul Soc. 2015; 2/3.
21. Meira MDD, Kurcgant P. Nursing education: training evaluation by graduates, employers and teachers. Rev Bras Enferm. 2016;69(1):16-22.
22. Umpiérrez AHF, Merighi MAB, Muñoz LA. Percepções e expectativas dos enfermeiros sobre sua atuação profissional. Acta Paul Enferm. 2013;26(2):165-71.
23. Leal LA, Soares MI, Silva BR, Bernardes A, Camelo SHH. Clinicaland management skills for hospital nurses: perspective of nursing university students. Rev Bras Enferm. 2018;71(Suppl 4):1514-21.
Publicado
2021-04-30
Como Citar
1.
Silva Junior M, Martinelli AL, Euzébio ME, Mello E, Fadel C. Percepção sobre mercado de trabalho em enfermagem entre acadêmicos ingressantes e formados. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 30abr.2021 [citado 19set.2021];4(1):91-07. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/451
Seção
Artigos originais