Qualidade de vida de idosas participantes de um grupo de convivência no município de Bocaiúva – MG

Palavras-chave: Qualidade de Vida. Feminização. Envelhecimento.

Resumo

Introdução: Os idosos representam 12% da população mundial, com previsão de duplicar esse quantitativo até 2050 e triplicar em 2100, A maior longevidade pode ser considerada uma história de sucesso para a humanidade. Objetivo: O propósito deste estudo foi avaliar a qualidade de vida de idosas participantes de um grupo de convivência. Materiais e Métodos: A amostra foi composta de 110 mulheres com idade a partir de 60 anos. Trata-se de um estudo transversal, analítico realizado no município de Bocaiúva- MG. Para a coleta dos dados foram utilizados os instrumentos WHOQOL-OLD e WHOQOL-bref e questionário sociodemográfico. Resultado: idade 60 e 82 anos, média de idade 67 anos, maior Faixa etária entre 60-70 anos 78 (70,9%), sem companheiro 67 (60,9%), escolaridade 1-8 anos 67 (60,9%), recebem aposentadoria 82 (74,5%), não tem acesso a plano de saúde 94 (85,5%). Domínio do WHOQol-bref  os resultados demonstram que alguns domínios exercem uma maior influência na qualidade de vida em mulheres idosas obtiveram maiores scores domínio geral qualidade de vida 67,84 (DP±18,11), domínio psicológico 67,45 (DP±9,86), domínio físico 66,87 (DP±14,68). Conclusão: A qualidade de vida é um importante indicador de saúde e os questionários WHOQOL-OLD e BREF são instrumentos preciosos que podem avaliá-la, e ainda dar subsídios para tomadas de ações que visem promover o bem-estar da população idosa.

Biografia do Autor

Mariza Alves Barbosa Teles, Universidade Estadual de Montes Claros

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual de Montes Claros -Unimontes (2001). Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros (2013). Especialista em Saúde da Família pela Universidade Estadual de Montes Claros - Unimontes (2003). Especialista em Geriatria e Gerontologia pelas Faculdades Unidas do Norte de Minas (2003). Especialista em Educação Profissional na Área de Saúde-Enfermagem pela FIOCRUZ (2004). Atualmente é docente da Universidade Estadual de Montes Claros e Rede Soebras - FUNORTE/ FASI. É enfermeira do Centro de Referência em Assistência à Saúde do Idoso (CRASI) da Universidade Estadual de Montes Claros. Atua principalmente nos seguintes temas de pesquisa: saúde do idoso, qualidade de vida, Atenção Primária à Saúde e Saúde da Família.

Mirna Rossi Barbosa Medeiros, Faculdades Unidas do Norte de Minas

Graduada em Fonoaudiologia pela Universidade Católica de Petrópolis (2002). Mestre e Doutora em Ciências da Saúde pela UNIMONTES. Atualmente é docente do Curso de Fonoaudiologia das Faculdades Unidas do Norte de Minas (FUNORTE) e dos cursos de Odontologia e Medicina da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Tem experiência na área de Fonoaudiologia, com especialização em Linguagem.

Noely Soares Veloso Moura, Universidade Estadual de Montes Claros

Graduação em Medicina no ano de 2002, residência em Clínica Médica pela Fundação Hospitalar de Brasília-DF(2006) e residência em Medicina de Família e Comunidade (2008) pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Em fevereiro de 2015 concluiu residência em GERIATRIA também pela UNIMONTES em parceria com o CRASI (Centro de Referência em Assistência à Saúde do Idoso)- Montes Claros. MESTRADO ACADÊMICO em Ciências da Saúde concluído em Outubro de 2016 pela UNIMONTES. Professora de Ensino Superior I da Universidade Estadual de Montes Claros desde 2006, tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Clínica Médica, Geriatria e Educação em Saúde.

Cibele Souza Santos, Faculdades Unidas do Norte de Minas

Enfermeira

Carlos Roberto Pereira Dias, Universidade Estadual de Montes Claros

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Montes Claros (2007). É mestre em Desenvolvimento Social pela Unimontes (2008 - 2010). Atuou como professor da disciplina Metodologia Científica e Iniciação Científica na Universidade Estadual de Montes Claros (2016-2017), é professor efetivo da disciplina Sociologia na Escola Estadual Professor Gastão Valle em Bocaiuva e na Escola de Ensino Médio em Montes Claros. Exerceu a função de Secretário Adjunto de Planejamento e Modernidade Administrativa (01/2009 a 04/2010) da Prefeitura de Bocaiuva, onde também veio a ocupar as funções de Chefe de Gabinete (05/2010 a 12/2012), Secretário de Assistência e Promoção Social (no ano de 2012) e de Assessor de Comunicação Social da Prefeitura de Bocaiuva (01/2013 a 12/2016).

Tallisson Matheus Matheus Oliveira Sales, Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna

Enfermeiro graduado pelas Faculdade de Saúde e Humanidade Ibituruna-FASI. Bolsista de Iniciação Cientifica (PROIC). Atuou como Estagiário Acadêmico no Pronto Socorro durante 02 (2017-2019) anos na Instituição Santa Casa de Montes Claros-MG, acreditado em Nível III pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) no serviço de Urgência e Emergência (Pronto Socorro), Durante esse Período ficou responsável por 02 enfermarias SUS ênfase com pacientes Ortopédicos, Oncológicos e clínicos. Estagiou na Fundação Hospitalar de Montes Claros- HAT (Hospital Aroldo Tourinho) 2019-2020 nos setores de Clínicas, CTI ,Clínica psicossocial, Clínica Covid-19. Participou da Implementação do Projeto Lean nas Emergências no Hospital Santa casa de Montes Claros. Experiência em Enfermagem, ênfase na área de Urgência e emergência e Terapia Intensiva.

Raquel Conceição Ferreira, Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais

Graduação em Odontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1998), mestrado (2001) e doutorado (2007) em Odontologia, área de concentração Clínica Odontológica pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais. Pós-doutorado na School of Public Health (Harvard University - Bolsa CAPES-PVE). Sou professora adjunta no Departamento de Odontologia Social e Preventiva da Faculdade de Odontologia da UFMG (2012/atual) e orientadora do Programa de Pós-graduação em Odontologia (2013/atual - nível mestrado e doutorado) e do Mestrado Profissional em Odontologia em Saúde Pública (2013/atual). Coordeno a área de Saúde Coletiva do Programa de Pós-graduação em Odontologia da Faculdade de Odontologia da UFMG (2016/atual). Membro do Comitê Assessor de Ciências da Saúde da Pró-reitoria de Pesquisa da UFMG. Fui professora do curso de graduação em Odontologia da Universidade Estadual de Montes Claros (2003 a 2012) e da Funorte (2006 a 2012) e membro do colegiado do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade Estadual de Montes Claros (2010 a 2012). Atuo como editora associada do periódico BMC Oral Health (2016/atual) e como revisora ad hoc para os seguintes periódicos: Journal of Aging Research, Brazilian Oral Research, Quality of Life Research, Journal of Infection and Public Health, Archives of Gerontology and Geriatrics, Journal of Public Health Dentistry, Ciência e Saúde Coletiva. Tem experiência na área de Odontologia, com ênfase em Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: Saúde do idoso, Epidemiologia das doenças bucais, Avaliação de programas e serviços de saúde.

Referências

1. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estudos e Pesquisas Informação Demográfica e Socioeconômica número 27. Síntese de Indicadores Sociais: Uma Análise das Condições de Vida da População Brasileira. Rio de Janeiro: IBGE; 2010. Disponível em: . Acesso em : 13/11/2019.

2. GUIMARÃES M. Para uma (re) Educação dos Idosos do Grupo “PROGRAMA DA MELHOR IDADE” de Paraíso/Tocantins, Frente às Mudanças do Mundo Contemporâneo. Dissertação de mestrado, 2011. Disponível em: http://recil.grupolusofona.pt. Acesso em: 15/04/2019.

3. BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas, Área Técnica Saúde do Idoso. – Brasília, 2006

4. LIMA LCV, BUENO CMLB. Envelhecimento e Gênero: a Vulnerabilidade de Idosas no Brasil. Revista Saúde e Pesquisa 2009; 2(2): 273-280.

5. CASTRO JA de; AQUINO L (Orgs.). Juventude e políticas sociais no Brasil.Brasília: Ipea, abril de 2008 (Texto para discussão, 1.335). Disponível em: . Acesso em: 12/11/2019

6. COELHO, D. N. P. et al. Percepção de Mulheres Idosas sobre Sexualidade: Implicações de gênero e no cuidado de enfermagem. Revista Rene. Fortaleza 2010; 11(4):163-173.

7. SPRANGERS MA. et al. Which chronic conditions are associated with better or poorer quality of life? J Clin Epidemiol. 2000 Sep;53(9):895-907.

8. ROCHA SV. et al. Qualidade de vida entre mulheres participantes de grupos de convivência. Revista APS: Juiz de Fora 2010; 13(3): 352-356.

9. WHOQOL Group. The World Health Organization Quality of Life assessment (WHOQOL): Position paper from the World Health Organization. Social Sci. 1995; 41: 1403-1409.

10. MIRANDA LC; BANHATO EFC. Qualidade de vida na terceira idade: a influência da participação em grupos. Psicologia em Pesquisa 2008; 2(01): 69-80.

11. POWER M, SCHMIDT S. Manual WHOQOL-OLD. Genebra: 5. World Health Organization; 1998. p.19 p.]. Disponível em: .Acesso em: 12/05/2020

12. POWER, M. et al. Development of the WHOQOL Old module. Quality of Life Research 2005;14:2197-2214.

13. SERBIM AK, FIGUEIREDO AEPL. Qualidade de vida de idosos em um grupo de convivência. Scientia Medica 2011; 21(4):166-172.

14. SILVA MIS; KINOSHITA F. A participação dos idosos nos grupos de convivência como uma possibilidade de um envelhecimento saudável. Extensio, Revista Eletrônica de Extensão 2009; 6(7).

15. FLECK MPA; CHACHAMOVICH E; TRENTINI C. Desenvolvimento e validação da versão em Português do módulo WHOQOL-OLD. Revista Saúde Pública 2006; 40(5):785-91.

16. FLECK MPA. O instrumento de avaliação de qualidade de vida da Organização Mundial de Saúde (WHOQOL-100): características e perspectivas. Ciênc. saúde coletiva, 2000; 5 (1): 33-8.

17. BRASIL. Ministério da Saúde. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. 19 ed. Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2006b.192 p. Disponível em:. Acesso em: 12/11/2012

18. SANTOS LF et al. "Qualidade de vida de idosos que participam de grupo de promoção da saúde." Enfermería Global 2015; 40:12.

19. NOGUEIRA ALG et al. Fatores terapêuticos identificados em um grupo de promoção da saúde de idosos. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(6):1352-8

20. BENEDETTI TRB, MAZO GZ, BORGES LJ. Condições de saúde e nível de atividade física em idosos participantes e não participantes de grupos de convivência de Florianópolis. Cien Saude Colet. 2012;17(8):2087-93.

21. MAUÉS CR, et al. Avaliação da qualidade de vida: comparação entre idosos jovens e muito idosos. Rev Bras Clin Med. 2010; 8:405-10.

22. WICHMANN FMA et al. Grupos de convivência como suporte ao idoso na melhoria da saúde. Rev. bras. geriatr. gerontol. [Internet]. 2013 Dec [cited 2015 Dec 06]; 16(4): 821-832. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-98232013000400821&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232013000400016.

23. ALMEIDA EA et al.. Comparação da qualidade de vida entre idosos que participam e idosos que não participam de grupos de convivência na cidade de Itabira-MG. Rev Bras Geriatr Gerontol [Internet] 2010 [acesso em 11 ago 2011];13(3):435-44. Disponível em: http://revista.unati.uerj.br/pdf/rbgg/v13n3/v13n3a10.pdf


24. SANTOS GS, CUNHA IC. Avaliação da qualidade de vida de mulheres idosas na comunidade. R. Enferm. Cent. O. Min. 2014; 4:1135-1145.

25. TAVARES DMS et al. Fatores associados à qualidade de vida de idosos com osteoporose residentes na zona rural. Esc Anna Nery 2012; 16:371-8.

26. CARVALHO ED et al. Atividade física e qualidade de vida em mulheres com 60 anos ou mais: fatores associados. Rev Bras Ginecol. Obstet. 2010; 32:433-40.
Publicado
2021-08-18
Como Citar
1.
Teles MAB, Medeiros MRB, Moura NSV, Santos CS, Souza JA, Dias CRP, Sales TMMO, Ferreira RC. Qualidade de vida de idosas participantes de um grupo de convivência no município de Bocaiúva – MG. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 18ago.2021 [citado 24out.2021];4(2):75-9. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/503
Seção
Artigos originais