Conhecimento dos responsáveis sobre a importância da vacinação infantil

Palavras-chave: Vacinação. Família. Conhecimento. Criança.

Resumo

O objetivo desse estudo foi avaliar o conhecimento dos pais e responsáveis sobre imunização nos primeiros quinze meses de idade. Estudo de campo, transversal e quantitativo, realizado com 62 pais e responsáveis. Os dados foram coletados por meio de questionário, formulado com base na literatura, que avaliou o conhecimento quanto à proteção conferida pela vacina, idade de administração e eventos adversos. A análise ocorreu de forma descritiva e relativa. Observaram-se fragilidades no conhecimento dos pais quanto à proteção conferida pelas vacinas que protegem contra tuberculose (27,4%) e rotavírus humano (43,5%). Obtiveram-se frequências inferiores a 50% na idade correta de administração do imunobiológico e nos eventos adversos que podem ocorrer (Vacina de Febre Amarela, Tetra e Tríplice Viral, Hepatites A e B, Vacina oral contra poliomielite e difteria, tétano e coqueluche). Constatou-se conhecimento mediano e fragilidades importantes na identificação da idade adequada de imunização e da ocorrência de eventos adversos.

Biografia do Autor

Ernanda Stepaniak Barros, Universidade Paranaense

Acadêmica de Enfermagem

Jolana Cristina Cavalheiri, Universidade Paranaense

Mestre em Ciências Aplicadas a Saúde

Referências

1 Cordeiro EL, Silva LSR, Urquiza JC, Nascimento MA, Silva RM, Souza GCS et al. Knowledge of mothers on the vaccine scheme of their children assisted in a basic health unit. Braz. J. Hea. Rev. 2019 [acesso em 2020 mar 03] 2(1):644-6660. Disponível em: http://www.brjd.com.br/index.php/BJHR/article/view/1190/1045
2 Martins KM, Santos WL, Álvares ACM. The importance of immunization: integrative review. Rev. Inic Cient Ext. 2019 [acesso em 2020 mar 03]; 2(2): 96-101. Disponível em: https://revistasfacesa.senaaires.com.br/index.php/iniciacao-cientifica/article/view/153/108
3 Lima AA, Pinto ES. The historical context of the implementation of the National Immunization Program (NIP) and its importance for the Brazilian Health System (SUS). Rev. Scire Salutis. 2017 [acesso em 2020 mar 03]; 7(1):53-62. Disponível em: https://www.sustenere.co/index.php/sciresalutis/article/download/SPC2236-9600.2017.001.0005/1008/
4 Brasil. Ministério da Saúde. Alerta: 312 cidades têm baixa cobertura vacinal da pólio. Ministério da Saúde. Brasília, jul., 2018 [acesso em 2020 mar 03]. Disponível em: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/43797-ministerio-da-saude-alerta-para-baixas-coberturas-vacinais-para-polio
5 Datasus. Ministério da Saúde. Cobertura vacinal no Brasil por regiões. Tabnet. 2020 [acesso em 2020 jun 15]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?pni/cnv/cpniuf.def
6 Arroyo LH, Ramos ACV, Yamamura M, Weiller TH, Crispim JA, Cartagena-Ramos D et al. Areas with declining vaccination coverage for BCG, poliomyelitis, and MMR in Brazil (2006-2016): maps of regional heterogeneity. Cad. Saúde Pública. 2020 [acesso em 2020 jun 15]; 36(4):e00015619. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00015619
7 Datasus. Ministério da Saúde. Cobertura vacinal no Brasil por imuno segundo imuno. Tabnet. 2020 [acesso em 2020 jun 15]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?pni/cnv/cpniuf.def
8 Datasus. Ministério da Saúde. Cobertura vacinal no Brasil por imuno segundo imuno. Tabnet. 2019 [acesso em 2020 jun 15]. Disponível em: http: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?pni/cnv/cpniuf.def
9 Souza CCF. O conhecimento sobre o calendário infantil até 15 meses de idade entre seus acompanhantes e os profissionais de saúde. 2018 [acesso em 2020 jul 2]; Trabalho de Curso. Centro Universitário Uni - Evangélica. Goiás. 2018. doi: http://dx.doi.org/10.34117/bjdv6n4-119
10 Barbieri CLA, Couto MT, Aith FMA. Culture versus the law in the decision not to vaccinate children: meanings assigned by middle-class couples in São Paulo, Brazil. Cad. Saúde Pública 2017 [acesso em 2020 jul 2]; 33(2). doi: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00173315
11 Carvalho IVRL, Lima LHO, Formiga LMF, Silva AKA, Rocha SS. Knowledge of mothers concerning the vaccines administered in the first year of life. Revista Brasileira Ciências Saúde. 2015 [acesso em 2020 jul 2]; 19(3):205-210. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/rbcs/article/view/15885/15071
12 IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Panorama. Índice populacional do último censo. 2019. [acesso em 2020 jul 15]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/nova-esperanca-do-sudoeste/panorama
13 Nunes DM, Menezes FC, Igansi CN, Araujo WN, Segatto TCV, Costa KCC et al. Vaccination coverage survey of DTP and MMR vaccines and factors associated with non-vaccination in Santa Maria, Distrito Federal, Brazil, 2012. Rev Pan-Amaz Saúde, 2018 [acesso em 2020 jul 2]; 9(1):9-17. doi: http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232018000100002

14 Teixeira A, Costa R. Fake News put human life at risk: the controversy of the yellow fever vaccination campaign in Brazil. Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde. 2020 [acesso em 2020 jul 2];14(1):72-89. doi: https://doi.org/10.29397/reciis.v14i1.1979
15 Kupeck E, Vieira ILV. Impact of PCV10 pneumococcal vaccine on mortality from pneumonia in children less than one year of age in Santa Catarina State, Brazil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, mar 2016 [acesso em 2020 jul 2]; 32(3): e00131414. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00131414
16 Oliveira TPS, Silva LS, Lima BSS, Cavalcante BN, Macedo AC, Santana VVRS. Occurrence of adverse events after immunobiological administration: an integrative review. Rev. Eletr. Evid & Enferm. 2017 [acesso em 2020 ago 27];1(2):110-122. Disponível em: https://www.revistaevidenciaenfermagem.com.br/l/ocorrencia-de-eventos-adversos-apos-a-administracao-de-imunobiologicos-uma-revisao-integrativa/
17 Santos MCS, Netto VBP, Andrade MS. Prevalence and factors associated with the occurrence of adverse events following immunization in children. Acta Paul Enferm. 2016; [acesso em 2020 ago 27]; 29(6):626-32. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201600088
18 Moraes JC, Luna EJA, Grimaldi RA. Immunogenicity of the Brazilian hepatitis B vaccine in adults. Rev Saúde Pública 2010; [acesso em 2020 ago 27]; 44(2):353-9. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102010000200017
19 Brasil. Ministério da Saúde. Manual de vigilância epidemiológica de eventos adversos pós-vacinação / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. 3. ed. Brasília. Ministério da Saúde, 2014: [acesso em 2020 ago 27] Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/dezembro/10/manual-eventos-adversos-pos-vacina--ao-dez14-web.pdf
20 Costa NMN, Leão AMM. Reported cases of adverse events following immunization: contribution to nursing care. Rev enferm UERJ, Rio de Janeiro, 2015 [acesso em 2020 set 03]; 23(3):297-303. doi: http://dx.doi.org/10.12957/reuerj.2015.14850
21 Lucena ARFP, Souza LRO, Percio J, Carvalho SMD, Romano APM, Domingues CMAS. Factors associated with severity of adverse events following yellow fever vaccination during the biggest outbreak of the disease recorded in Brazil, 2016-2017. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 2020 [acesso em 2020 set 03]; 29(1):e2018331. doi: https://doi.org/10.5123/s1679-49742020000100017
22 Achkar TCS, Almeida MR, Silva LL, Maraschin MS, Ross C. Eventos adversos na vacinação em crianças, escolares e adolescentes: revisão da literatura. Revista Thêma et Scientia. 2014 [acesso em 2020 set 03];4 (2):127-139. Disponível em: http://www.themaetscientia.fag.edu.br/index.php/RTES/article/view/217/226
23 Sales MCV, Araújo MCB, Almeida CAPL, Moura LKB. Post-vaccination adverse events: integrative review. Rev Enferm UFPE on line. 2017 [acesso em 2020 set 03];11 (10): 4243-53. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/download/231188/25172

24 Castro LHA, Moreto FVC, Pereira TT. Ações de saúde e geração de conhecimento nas ciências médicas 8ª edição. Paraná: Atena, 2020. [acesso em 2020 set 13] doi: https://doi.org/10.22533/at.ed.043202707

25 Jacobsen FT, Velasquez LG. Vaccination coverage among children up to one year old, adverse effects and composition of vaccines from 2014 to 2018 in Brazil. Acta Elit Salutis- AES. 2019 [acesso em 2020 set 13]; 1(1):1-16. Disponível em: http://e-revista.unioeste.br/index.php/salutis/article/view/23724/15199

26 Martins NA. Vacinação oportuna da série primária da vacina pentavalente no município de Goiânia, Goiás. Dissertação de mestrado, 2018 [acesso em 2020 set 13]; Goiânia. Universidade Federal de Goiás. Disponível em: http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/8954

27 Braga PCV, Silva AEBC, Mochizki LB, Lima JC, Souza MRG, Bezerra ALQ. Incidence of post-vaccination adverse events in children. Rev Enferm UFPE online. 2017 [acesso em 2020 set 13]; 11:10:4126-35. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/231174

28 Silveira B, Bentes AA, Andrade MCV, Carvalho AL, Diniz LMO, Romanelli RMC. Update on polyomyliti. Rev Med Minas Gerais. 2019 [acesso em 2020 set 13]; 29(13): S74-S79. doi: https://www.dx.doi.org/10.5935/2238-3182.20190084

29 Moura ADA, Carnneiro AKB, Braga AVL, Bastos EC, Canto SVE, Figueiredo TWS, et al. Vaccination strategies and results for tackling the measles outbreak in Ceará State, Brazil, 2013-2015. Epidemiol. Serv. Saúde, 2018 [acesso em 2020 set 13]; 27(1):e201634310. doi: https://doi.org/10.5123/s1679-49742018000100010
Publicado
2021-11-29
Como Citar
1.
Barros ES, Cavalheiri JC. Conhecimento dos responsáveis sobre a importância da vacinação infantil. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 29nov.2021 [citado 28nov.2022];4(3):29-5. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/504
Seção
Artigos originais