Condição bucal de comunidades em vulnerabilidade social: análise descritiva de um projeto voluntário paranaense

Palavras-chave: Assistência Integral à Saúde, Odontologia, Saúde Bucal

Resumo

O presente trabalho relata o impacto social e o papel do cirurgião-dentista nas ações do Projeto Pró-Riso por meio de análise descritiva das ações. O projeto Pró-Riso é uma iniciativa voluntária, sem fins políticos, religiosos ou lucrativos, que leva atendimento odontológico, assistência médica e educação em saúde a comunidades em vulnerabilidade social. Foi realizada a análise dos prontuários dos pacientes atendidos pelo projeto em 2019. As ações ocorreram nas comunidades do Pilarzinho (Bairro da cidade de Curitiba), Caximba (Região metropolitana de Curitiba) e Amparo (Área de Proteção Ambiental, localizada em Paranaguá), locais de elevada prevalência de doenças bucais. Tal situação reflete uma importante questão de Saúde Pública para o país. Os resultados mostram que foram atendidos 260 pacientes, com diversas necessidades de tratamento bucal. Destes, 63% foram finalizados nas ações. Ressalta-se, assim, a importância de trabalhos sociais que proporcionem melhor qualidade de vida e saúde a comunidades em vulnerabilidade social.

Referências

1. Conselho Federal de Odontologia (CFO). Portal da Transparência do CFO. [acesso em 2020 Jan14]. Disponível em: http://transparencia.cfo.org.br/.
2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). IBGE Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). BRASIL. [acesso em 2020 Fev 22]. Disponível em: https://www.pns.icict.fiocruz.br/.
3. Ministério da Educação (MEC). Conselho nacional de educação câmara de educação superior resolução cne/ces 3, de 19 de fevereiro de 2002, institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em odontologia. [acesso em 2020 Jan 22]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ces032002.pdf.
4. Carvalho VLS, Clementino VO, Pinho LMO. Education in health on REBEn’s pages in the period from 1995 to 2005. Rev Bras Enferm. 2008;61(2):243-8.
5. Macinko J; Mendonça CS. Estratégia saúde da família, um forte modelo de atenção primária à saúde que traz resultados. Saúde Debate. 2018;42(1):18-37.
6. Weyne SC. A construção do paradigma de promoção de saúde: um desafio para as novas gerações. In: Kriger L, organizador. Promoção de saúde bucal. São Paulo: Artes Médicas; 1997 p. 1-26.
7. Antunes, JLF, Narvai PC. Políticas de saúde bucal no Brasil e seu impacto sobre as desigualdades em saúde. Rev Saúde Pública. 2010;44(2):360-5.
8. Junqueira CR, Junqueira SR, Almeida FCS, Zilbovicius C, Araujo ME, Ramos DLP. A formação humanística, social e ética do graduando em odontologia. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. 2011;14(4):25-36.
9. Garbin CAS, Garbin A, Santos K, Lima D. Oral health in schools: promoting health agents. Int J Dent Hyg. 2009; 7(3):212-6.
10. Crippa A, Isidoro T, Feijó AGS. Voluntariado e Saúde. Rev AMRIGS. 2014;58(3):247-51.
11. Figueira PO. Memórias do desastre ambiental do navio vicunña (2004). Faces da história, Assis-SP. 2019;6(1):120-40.
12. Ministério da Cidadania. Secretaria especial de desenvolvimento social. [acesso 2020 Jan 11. Disponível em: http://www.desenvolvimentosocial.gov.br/.
13. Golse B. Les très jeunes enfants en institution: un paradigme pour les psychanalystes. Organização A. Szanto-Feder. Lóczy: Un nouveau paradigme? L'institute Pikler à facettes multiples. Paris: Presses Universitaires da França; 2002. p. 23-29.
14. Burlingham D, Freud A. (1960). Meninos sem lar. Tradução de R. Real. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura;1954.
15. Silva MN. A dinâmica de produção dos espaços informais de moradia e o processo de metropolização de Curitiba. 259 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012.
16. IPPUC. Diagnóstico Regional 2017: regional Tatuquara. IPPUC. Curitiba. 2017 Censo de 2010 – Análise dos bairros de Curitiba. IPPUC, 2010. [acesso em 2020 Jan 11]. Disponível em: http://www.ippuc.org.br/mostrar Pagina.php?pagina=131.
17. Ditterich RG, Romanelli MC, Rastelli MC, Czlusniak GD, Wambier DS. Diamino fluoreto de prata: uma revisão de literatura. Publ UEPG Ci Biol Saúde. 2006;12(2):45-52.
18. Seifo N, Cassie H, Radford JR, Innes NPT. Silver diamine fluoride for managing carious lesions: an umbrella review. BMC Oral Health. 2019;19(1):145.
19. Peres KG, Bastos JR, Latorre R. Severity of dental caries in children and relationship with social and behavioral aspects. Rev Saude Publica. 2000;(34)4:402-8.
20. Pinheiro RS, Viacava F, Travassos C, Brito AS. Gênero, morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2002; 7:687-707.
Publicado
2021-08-18
Como Citar
1.
Dias VFO, Bruzamolin CD, Andrade KGN, Silva AHX, Vieira JS, Dirschnabel AJ, Mendes RT. Condição bucal de comunidades em vulnerabilidade social: análise descritiva de um projeto voluntário paranaense. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 18ago.2021 [citado 24out.2021];4(2):67-4. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/520
Seção
Artigos originais