Depressão e exposição aos agrotóxicos em pequenas agricultoras no oeste do Paraná

Palavras-chave: Agrotóxicos. Saúde mental. Saúde Coletiva.

Resumo

Apesar de ser uma doença multifatorial, estudos indicam que a depressão pode estar associada a exposição a agrotóxicos. Objetivou-se descrever o perfil, aspectos de vida, trabalho e adoecimento de mulheres depressivas expostas a agrotóxicos em um município localizado no Oeste do Paraná. Trata-se de pesquisa descritiva, qualitativa com 10 mulheres por meio de entrevista com uma questão norteadora, no período de março a abril de 2017.com análise temática. As mulheres tinham entre 18 e 65 anos de idade, baixa escolaridade e estavam inseridas no mercado de trabalho. A partir da análise das informações identificaram-se as seguintes temáticas: Início da vida laboral na infância, exposição a agrotóxicos durante longo período da vida sem proteção, aspectos da vida e do trabalho, história de exposição e intoxicação por agrotóxicos e; adoecimento por depressão.  Sugerem-se estudos epidemiológicos e clínicos complementares sobre a relação desse fenômeno com o desenvolvimento de transtornos de humor.

Biografia do Autor

Nathália Nascimento Reis, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Enfermeira. Formada em Enfermagem pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná, situada na cidade de Cascavel/PR.

Gicelle Galvan Machineski, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Enfermeira, docente. Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que fica na cidade de Porto Alegre, RS, Brasil. Filiação Institucional: Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Manoela Carvalho, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Enfermeira, docente. Doutora em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas, que fica na cidade de Campinas, SP, Brasil. Filiação Institucional: Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Maria Lucia Frizon Rizzotto, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Enfermeira, docente. Doutora em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas, que fica na cidade de Campinas, SP, Brasil. Filiação Institucional: Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

Referências

1. Carneiro FF, Rigoto RM, Augusto LGS, et al. (Org). Dossiê ABRASCO: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos na saúde. São Paulo: Expressão Popular; 2015.
2. IPARDES- Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social. Caderno Estatístico do Município de Anahy. Curitiba/PR; 2018.
3. ADAPAR. Agência de Defesa Agropecuária do Paraná. Utilização de agrotóxicos em quilograma no município de Anahy do Oeste. Curitiba/PR: ADAPAR; 2015
4. Brasil. Ministério da Saúde. Relatório: Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos no Estado do Paraná. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.
5. Santos CA, Machado HC. O uso de Agrotóxicos e a Saúde do Trabalhador Rural- Seus Aspectos Comportamentais e Fisiológicos. Novos Direitos- Revista Acadêmica do Instituto de Ciências Jurídicas. 2015; 2: 117-126.
6. Paraná. Secretaria de Saúde do Estado do Paraná. Intoxicações agudas por agrotóxicos: atendimento inicial ao paciente intoxicado. Curitiba/ PR: Secretaria de Saúde do Estado do Paraná; 2018.

7. Bombardi LM. Geografia do uso de Agrotóxicos no Brasil e Conexões com a União EuropeiaSão Paulo: Laboratório de Geografia Agrária FFLCH- USP;2017.
8. Joo Y, Roh S. Risk factors associated with depression and suicidal ideation in a rural population. Environ Health Toxicol. 2016;26;31:e2016018.
9. Quandt AS, Chen H, Grzywacz JG, et al. Cholinesterase Depression and Its Association with Pesticide Exposure across Agricutural Season among Latino Farmworkers in North Carolina. Environ Health Perspect.2010; 118:635-639.
10. Murakami Y, Pinto NF, Albuquerque GSC, et al. Intoxicação crônica por agrotóxicos em fumicultores. Saúde Debate. 2017;41:563-76.

11. World Health Organization. World Health Organization. Depression and other common mental disorders: global health estimates. WHO; 2017.

12. Gangemi S, Miozzi E, Teodoro M, et al. Occupational exposure to pesticides as a possible risk factorfor the development of chronic diseases in humans (Review). Mol Med Rep. 2016; 14:4475-4488.

13. Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70,2004.

14. Gonçalves AMC, Teixeira BTM, Gama JRA, Lopes CS, Silva GA, Gamarra CJ, et al . Prevalência de depressão e fatores associados em mulheres atendidas pela Estratégia de Saúde da Família. J. bras. psiquiatr. 2018; 67: 101-109.

15. Souza S, Pappen M, Krug SBF, et al. Uma revisão narrativa associando a vulnerabilidade à saúde e os fatores ambientais de trabalhadores rurais. Rev Bras Med Trab. 2018; 16:503-08.
16. Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDECA). Estatuto da Criança e do Adolescente. CEDECA;2017.

17. Riquinho DL, Hennington, EA. Sistema integrado de produção do tabaco: saúde, trabalho e condições de vida de trabalhadores rurais no Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública. 2016; 32:2415.

18. Brasil. Ministério do Trabalho. NR 31- Segurança e Saúde no Trabalho na Agricultura, Pecuária Silvicultura, Exploração Florestal e Aquicultura. Brasília: Ministério do Trabalho; 2018.

19. Viero CM, Camponogara S, Cezar-Vaz MR, et al. Sociedade de risco: o uso de agrotóxicos e implicações na saúde do trabalhador rural. Esc Anna Nery. 2016; 20:99-105.

20. Neto MGF, Andrade RD, Felden ÉPG. Trabalho na agricultura: possível associação entre intoxicação por agrotóxicos e depressão. Revista Perspect. Ciência e Saúde 2018; 3:69-82.
22. Ristow LP, Battisti IDE, Stumm EMF, et al. Fatores relacionados à saúde ocupacional de agricultores expostos à agrotóxicos. Saúde Soc. São Paulo. 2020; 29:1-11.

23. Azevedo MFA de, Rosa ACS, Alves SR, et al. Prevalência do tremor essencial em população exposta ocupacionalmente a agrotóxicos no estado do Rio de Janeiro. Rev Bras Neurol.2018; 54:10-15.

24. Wahlbrinck MG, Bica JB, Rempel C. Percepção dos agricultores do município de Imigrante (RS) sobre os riscos da exposição a agrotóxicos. RBCIAMB. 2017;44: 71-84.
25. Serrano-Medina A, Ugalde-Lizárraga A, Bojorquez- Cuevas MS, et al. Distúrbios Neuropsiquiátricos em Agricultores Associados à Exposição a Praguicidas Organofosforados em uma Aldeia Rural do Noroeste do México. IJERPH. 2019;16: 689.
26. Senicato C, Azevedo RCS de, Barros MBA. Transtorno mental comum em mulheres adultas: identificando os segmentos mais vulneráveis. Ciênc. saúde coletiva. 2018; 23: 2543-54.
Publicado
2021-08-18
Como Citar
1.
Reis NN, Machineski GG, Carvalho M, Rizzotto MLF. Depressão e exposição aos agrotóxicos em pequenas agricultoras no oeste do Paraná. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 18ago.2021 [citado 24out.2021];4(2):13-4. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/527
Seção
Artigos originais