Motivos de inaptidão de candidatos à doação de sangue em hemocentro brasileiro

Palavras-chave: Doadores de Sangue. Bancos de Sangue. Seleção do Doador. Serviço de Hemoterapia

Resumo

Inaptidões clínicas em serviços de coleta de sangue correspondem a recusas de candidatos. Este estudo teve como objetivo identificar as causas e a frequência de inaptidões de candidatos à doação de sangue no hemocentro coordenador do Paraná. Fez-se análise exploratória e documental com dados do período 2010 a 2015 coletados do Sistema HEMOVIDA e relatórios do hemocentro; os dados foram analisados por estatística descritiva. Entre 220.496 candidatos, 30.950 (14,0%) foram classificados como inaptos à doação de sangue, risco para transmissão de doenças (36,6%), sinais e sintomas clínicos (23,4%) e exclusão médica (9,9%) foram as causas mais frequentes de recusa. Considerando o ônus aos candidatos e ao hemocentro, ações coordenadas são necessárias para prevenir e reduzir a prevalência de inaptidão à doação de sangue.

 

Biografia do Autor

Elaine Drehmer Almeida Cruz, Universidade Federal do Paraná

Possui graduação em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1982), mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996), doutorado em Enfermagem pela Universidade de São Paulo (2008). Professor associado aposentado pelo Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Paraná. Professor Sênior Permanente dos Programas de Pós-Graduação em Enfermagem - Mestrado profissional, Mestrado e Doutorado Acadêmico da Universidade Federal do Paraná. Professor Sênior Bolsista pela UFPR. Apoiadora da OPAS junto à SESA PR para o enfrentamento da COVID-19.Tem experiência na área de Enfermagem, atuando nos seguintes temas: enfermagem, segurança do paciente, controle de infecção hospitalar.

Aline Batista Maurício, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira intensivista no Hospital das Nações, Curitiba-PR, Doutoranda em Enfermagem pela Escola Paulista de Enfermagem da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Mestre em Enfermagem, Bacharel e licenciada em Enfermagem pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), com período sanduíche na graduação através do programa Ciências sem Fronteiras na Lehman College - City University of New York (CUNY)-EUA. Bolsista: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Referências

1. World Health Organization (WHO). Blood safety and availability [Internet]. Geneva: WHO; 2019. [acesso 2021 jan 18]. Disponível em: https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/blood-safety-and-availability

2. Ventura C. Dezesseis a cada mil brasileiros doam sangue [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2019 [acesso em 2021 jan 17]. Disponível em: https://antigo.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45520-dezesseis-a-cada-mil-brasileiros-fazem-doacao-de-sangue

3. Secretaria de Estado da Saúde (SESA). Plano Diretor de sangue, componentes e hemoderivados, 2016 a 2019 [Internet]. Curitiba: SESA; 2016. [acesso 2021 jan 18]. Disponível em: https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Hemepar-Centro-de-Hematologia-e-Hemoterapia-do-Parana

4. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria de Consolidação nº 5, de 28 de setembro de 2017. Consolidação das normas sobre as ações e os serviços de saúde do Sistema Único de Saúde [Internet]. Brasília: Diário Oficial da União, 2017 [acesso em 2020 out 17]. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/marco/29/PRC-5-Portaria-de-Consolida----o-n---5--de-28-de-setembro-de-2017.pdf

5. Santana MP, Souza-Santos R, Almeida AS. Prevalência da doença de Chagas entre doadores de sangue do Estado do Piauí, Brasil, no período de 2004 a 2013. Cad Saúde Pública [Internet]. 2018. [acesso em 2020 set 20]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311x00123716

6. Rodrigues AMX, Barbosa ML, Silva KMR, Santos JS, Costa ACR. Prevalência das principais doenças investigadas na triagem sorológica em unidades de um hemocentro [Internet]. Maranhão: Rev. Ciência & Saberes; 2018 [acesso em 2020 jan 22]. Disponível em: http://www.facema.edu.br/ojs/index.php/ReOnFacema/article/view/377

7. Secretaria de Estado da Saúde (SESA). Conselho Estadual de Saúde. Plano Estadual de Saúde Paraná 2020 a 2023 [Internet]. Curitiba: SESA; 2020 [acesso em 2021 jan 16]. Disponível em: https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Plano-Estadual-de-Saude

8. Departamento de Informática do SUS (DATASUS). HEMOVIDA: Sistema de Gerenciamento em Serviços de Hemoterapia [Internet]. Brasília: Portal da Saúde; 2017 [acesso em 2020 jan 22]. Disponível em: http://datasus.saude.gov.br/sistemas-e-aplicativos/hospitalares/hemovida

9. Santos TO, Pereira LP, Silveira DT. Implantação de sistemas informatizados na saúde: uma revisão sistemática. Reciis – Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde [Internet]. 2017 [acesso em 2020 jun 20]. Disponível em: https://doi.org/10.29397/reciis.v11i3.1064

10. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.101, de 12 de junho de 2002 [Internet]. Brasília: Diário Oficial da União; 2002 [acesso em 2020 jul 20]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt1101_12_06_2002.html

11. Kameda K, Corrêa MCDV, Cassier M. A incorporação do teste diagnóstico baseado na amplificação de ácidos nucleicos (Nat) para triagem de sangue no SUS: arranjos tecnológicos para a nacionalização do “NAT brasileiro”. Physis [Internet]. 2018 [acesso em 2020 ago 05]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0103-73312018280108

12. Teles SA. Viral hepatitis: a challenge for nursing. Rev. Bras. Enferm. [Internet]. 2017 [acesso em 2020 set 16]. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167.2017700201

13. Motté MO, Lopes ACDS, De Mello CL, Renon TF, Carneiro RDC, Freitas NA. Soroprevalência de infecção pelos vírus das hepatites B e C em doadores de sangue do norte-fluminense. Revista Científica da FMC [Internet]. 2018 [acesso em 2020 nov 13]. Disponível em: https://doi.org/10.29184/1980-7813.rcfmc.195.vol.13.n1.2018

14. Machado AC, Sell AM, Macedo LC, Reis PG, Visentainer JEL. Phenotypic frequencies of the Kell, Duffy and Kidd blood groups in blood donors from Apucarana Blood Center, southern Brazil. RBAC - Rev Brasil Anal Clín [Internet]. 2018 [acesso em 2020 nov 13]. Disponível em: http://fi-admin.bvsalud.org/document/view/wup5z

15. Santos RF, Bordin RO, Alves SM, Medeiros MO. Prevalência da distribuição do sistema abo/rh entre mulheres doadoras de sangue na unidade de coleta e transfusão “Dr. Marcio Curvo de Lima” no município de Rondonópolis-MT. Biodiversidade [Internet]. 2019 [acesso 2020 jan 24]. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/biodiversidade/article/view/8245

16. Ohtani RF, Nascimento JOV, Nishimoto T, Mota NV y VP, Lambert S. Proposta de otimização da produtividade do setor de coleta externa de um hemocentro do Estado de São Paulo. Rev. Adm. Saúde [Internet]. 2018 [acesso em 2020 fev 24]. Disponível em: http://dx.doi.org/10.23973/ras.71.98
Publicado
2021-08-18
Como Citar
1.
Covo MZ, Cruz EDA, Maurício AB. Motivos de inaptidão de candidatos à doação de sangue em hemocentro brasileiro. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 18ago.2021 [citado 19set.2021];4(2):02-. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/538
Seção
Artigos originais