A enfermagem na abordagem com adolescentes durante uma roda de conversa: um relato de experiência

Palavras-chave: Adolescência, Atenção Básica de Saúde, Educação em Saúde, Enfermagem

Resumo

O presente estudo teve como objetivo relatar a experiência de uma roda de conversa com adolescentes do sexo feminino, em 2019. A pesquisa foi realizada de forma qualitativa de cunho descritivo. Conforme avanço da gravidez na adolescência, o aborto e as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST), a equipe da Atenção Básica tem como dever captar esse público considerando o meio social que este está inserido a fim de promover a saúde, proteção e a recuperação da saúde, fornecendo um espaço para que a jovem possa demonstrar seus pensamentos. Foram abordados assuntos como gravidez na adolescência, uso de métodos anticoncepcionais, respeito com o próprio corpo, a responsabilidade do cuidado e proposto a experiência com filhotes de pintinhos. Evidenciou-se um grande interesse das adolescentes em utilizar método anticoncepcional e grande participação durante a conversa. Conclui-se que é necessário que a equipe de enfermagem englobe o adolescente nos cuidados e realize a educação em saúde.

Biografia do Autor

Ana Carolina Silveira Ardente, Faculdades Pequeno Príncipe

Enfermeira. Residente em Enfermagem em Saúde da Criança e do Adolescente.

Débora Maria Vargas Makuch, Faculdades Pequeno Príncipe

Enfermeira. Mestre no Ensino nas Ciências da Saúde da Faculdades Pequeno Príncipe.

Alexa Aparecida Lara Marchiorato, Faculdades Pequeno Príncipe

Enfermeira. Mestre em ensino nas Ciências da Saúde e Terapeuta Holística.

Dinalva Margarete Angelo Dias, Faculdades Pequeno Príncipe

Enfermeira da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba.

Referências

1. Brasil. Lei nº8.080, de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. 1990. p. 1–16. Disponível em: https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2015/setembro/30/Lei-8080.pdf

2. Brasil. Lei nº8.089, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências [Internet]. 1990 [citado em 19 Jun 2020]. p. 1–66. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8069.htm

3. Queiroz MVO, Alcântara CM, Brasil EGM, Silva RM. Participação de adolescentes em ações educativas sobre saúde sexual e contracepção. Vol. 29, Rev Bras Promoç Saúde. dez; 2016. doi: http://doi.org/10.5020/18061230.2016.sup.p58

4. Brasil. Cuidando de adolescentes: Orientações Básicas para a Saúde Sexual e a Saúde Reprodutiva [Internet]. 2. ed. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas B, editor. Brasília; 2018. 44 p. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cuidando_adolescentes_saude_sexual_reprodutiva_2ed.pdf

5. Brasil. Ministério da Saúde. Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva [Internet]. 1. ed. Brasília; 2013. 300 p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_sexual_saude_reprodutiva.pdf

6. Sehnem DG, Crespo TTB, Lipinski MJ, Ribeiro CA, Wilhelm AL AJ. Saúde sexual e reprodutiva dosadolescentes: percepções dos profissionais emenfermagem. Av. enferm. [Internet]. 2019 Sep 1;37(3). doi: https://doi.org/10.15446/av.enferm.v37n3.78933

7. Fernandes ESF, Santos AM. Desencontros entre formação profissional e necessidades de cuidado aos adolescentes na Atenção Básica à Saúde. Interface (Botucatu). 2020;24: e190049. doi: https://doi.org/10.1590/Interface.190049

8. Cavalcante BLL, Lima UTS. Relato de experiência de uma estudante de Enfermagem em um consultório especializado em tratamento de feridas. J Nurs Health, Pelotas (RS) 2012 jan/jun;1(2):94-103. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/3447

9. Dias ESM, Rodrigues ILA, Miranda HR, Corrêa JA. Roda de conversa como estratégia de educação em saúde para a enfermagem. Rev Fund Care Online. 2018 abr/jun; 10(2):379-384. doi: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2018.v10i2.379-384

10. Ramos LAS, Pereira ES, Lopes KFAL, Filho ACAA, Lopes NC. Uso de métodos anticoncepcionais por mulheres adolescentes de escola pública. Cogitare Enferm. (23)3: e55230, 2018. doi: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v23i3.55230

11. Silva RF, Engstrom EM. Atenção integral à saúde do adolescente pela Atenção Primária à Saúde no território brasileiro: uma revisão integrativa. Interface (Botucatu). 2020; 24(Supl. 1): e190548. doi: https://doi.org/10.1590/Interface.190548

12. Jesus NF, Junior JSM. Adolescência e Saúde 4 - Construindo saberes, unindo forças, consolidando direitos Secretaria da Saúde [Internet]. São Paulo; 2018. Disponível em: http://www.alogiaonline.org/index.php/publicaciones/actualizaciones-bibliograficas/192-adolescencia-e-saude-4-construindo-saberes-unindo-forcas-consolidando-direitos

13. Pereira FAF, Silva, TS TS, Barbosa AAD, Silva TGS. Desafio das mulheres que foram mães na adolescência quanto a prevenção da gravidez precoce de suas filhas. Unimontes Científica [Internet]. 2017;19(2):73–86. Disponível em: https://www.periodicos.unimontes.br/index.php/unicientifica/article/view/1181/1217

14. Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas B. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher : princípios e diretrizes [Internet]. Brasília: Editora MS; 2004. 82 p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nac_atencao_mulher.pdf

15. Ferreira HLOC, Barbosa DFF, Aragão VM, Oliveira TMF, Castro RCMB, Aquino PS, Pinheiro AKB. Determinantes Sociais da Saúde e sua influência na escolha do método contraceptivo. Rev Bras Enferm [Internet]. 2019;72(4):1101-8. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0574

16. Farias RV, Soares CFS, Araújo RS, Almeida VRS, Leitão DS, Santos JS, et al. Gravidez na adolescência e o desfecho da prematuridade: uma revisão integrativa de literatura. Rev Eletrônica Acervo Saúde [Internet]. 2020;(56):e3977. doi: https://doi.org/10.25248/reas.e3977.2020

17. Brandão ER. Métodos contraceptivos reversíveis de longa duração no Sistema Único de Saúde: o debate sobre a (in)disciplina da mulher. Ciência & Saúde Coletiva, 24(3):875-879, 2019. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232018243.10932017

18. Silva AV, Vieira LJES, Sousa AR. Aspectos éticos e legais da prescrição de medicamentos por enfermeiro na Política Nacional de Atenção Básica do Brasil. REVISA. 2020; 9(2): 222-30. doi: https://doi.org/10.36239/revisa.v9.n2.p222a230

19. Brandt GP, Rodrigues AP, Burci LM. Conhecimento de usuáris de anticoncepcionais orais acerca de hábitos e interações medicamentosas em uma Unidade Básica de Saúde. Visão Acadêmica, Curitiba, v.17, n.4, Out. - Dez./2016. doi: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v17i4.50667

20. Gonzaga VAS, Borges ALV, Santos AO, Santa Rosa PLF, Gonçalves RFS. Barreiras organizacionais para disponibilização e inserção do dispositivo intrauterino nos serviços de atenção básica à saúde. Rev Esc Enferm USP. 2017;51:e03270. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1980-220X2016046803270

21. Farias MR, Leite SN, Tavares NUL, Oliveira MA, Arrais PSD, Bertoldi AD, et al. Utilização e acesso a contraceptivos orais e injetáveis no Brasil. Rev Saude Publica. 2016;50(supl 2):14s. doi: http://dx.doi.org/10.1590/s1518-8787.2016050006176

22. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Proteger e cuidar da saúde de adolescentes na atenção básica [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. – Brasília: Ministério da Saúde, 2017. 234 p.: il. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/proteger_cuidar_adolescentes_atencao_basica.pdf

23. Masson LN, Silva MAI, Andrade LS, Gonçalves MFC, Santos BD. A educação em saúde crítica como ferramenta para o empoderamento de adolescentes escolares frente às suas vulnerabilidades em saúde. REME • Rev Min Enferm. 2020;24:e-1294. doi: https://dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20200023
Publicado
2021-11-29
Como Citar
1.
Ardente ACS, Makuch DMV, Marchiorato AAL, Dias DMA. A enfermagem na abordagem com adolescentes durante uma roda de conversa: um relato de experiência. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 29nov.2021 [citado 28nov.2022];4(3):132-44. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/539
Seção
Relatos de Experiência