Identificação dos potenciais doadores de órgãos no Paraná (2011-2019) em razão dos óbitos hospitalares

Palavras-chave: Obtenção de Tecidos e Órgãos, Transplante, Epidemiologia, Saúde Pública, Estatísticas de Saúde

Resumo

Milhares de pessoas aguardam a disponibilização de órgãos para transplante. Estima-se que 2,2% dos óbitos hospitalares são potenciais doadores de órgãos, razão adotada como padrão ouro pelo modelo espanhol, benchmark mundial dos sistemas de busca de órgãos para transplante. Estudo transversal da razão entre os óbitos hospitalares e potenciais doadores identificados no Paraná de 2011 a 2019, assim denominada Índice Paraná. A média do índice em 2019 foi de 1,34±0,98. Inicialmente 13,63% e ao fim do período 59,09% das Regionais de saúde superavam o padrão-ouro, não havendo diferença no número de leitos hospitalares disponíveis entre as regionais. Todas as Organizações de Procura de Órgãos do Paraná apresentaram Índices Paraná semelhantes, sendo o maior (1,78±0,57) atingido pela OPO Cascavel. Concluímos que sob a métrica do Índice Paraná, o estado suplanta o padrão ouro preconizado pelo modelo espanhol.

Biografia do Autor

Fabio Silveira, Hospital do Rocio

Médico. Centro Digestivo e Transplante de Órgãos. Hospital do Rocio, Campo Largo, Paraná

Arlene Terezinha Cagol Badoch, Central Estadual de Transplantes do Paraná.

Médica. Diretora da Central Estadual de Transplantes do Paraná. Curitiba, Paraná

Altair Von Stein, Central Estadual de Transplantes do Paraná.

Enfermeiro. Central Estadual de Transplantes do Paraná, Curitiba, Paraná

Juliana Ribeiro Giugni, Central Estadual de Transplantes do Paraná.

Enfermeira. Central Estadual de Transplantes do Paraná, Curitiba, Paraná

Referências

1. Garcia VD. Por uma política de transplantes no Brasil. São Paulo: Office Editora; 2000. 165 p.
2. RBT - Registro Brasileiro de Transplantes. ABTO - Associação Brasileira de Transplante de Órgãos, 2020. [citado em 2020 Mar 20]. Disponível em: https://site.abto.org.br/publicacao/xxvi-no-4-anual/
3. Matesanz R, Dominguez-Gil B, Coll E, Mahillo B, Marazuela R. How Spain Reached 40 Deceased Organ Donors per Million Population. Am J Transplant. 2017 Jun;17(6):1447-54. doi: http://dx.doi.org/10.1111/ajt.14104
4. Matesanz R, Dominguez-Gil B. Strategies to optimize deceased organ donation. Transplantation Reviews. 2007 2007/10/01/;21(4):177-88. doi: http://dx.doi.org/https://doi.org/10.1016/j.trre.2007.07.005
5. SETPR SEdTdP. Dados do Sistema Estadual de Transplantes do Paraná. 2022 [citado em 2022 26/01/2022]; Disponível em: http://www.paranatransplantes.pr.gov.br/Pagina/Nossos-Dados
6. TABNET - Informações de Saúde [database on the Internet]. Ministério da Saúde. 2020 [acesso em 29/10/2020]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=02
7. Paraná Gd. Plano Estadual de Doação e Transplantes de Órgãos e Tecidos 2018-2022. In: Transplantes SEd, editor. 2018. [acesso em 29/10/2020]. Disponível em: https://www.saude.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2020-05/plano_estadual_de_doacao_e_transplante_parana_19_09_2018.pdf
8. Portaria de Consolidação nº4, de 28 de setembro de 2017.
9. Weiss J, Elmer A, Mahillo B, Dominguez-Gil B, Avsec D, Nanni Costa A, et al. Evolution of Deceased Organ Donation Activity Versus Efficiency Over a 15-year Period: An International Comparison. Transplantation. 2018 Oct;102(10):1768-78. doi: http://dx.doi.org/10.1097/TP.0000000000002226
10. Mizraji R, Godino M, Tommasino N, Alvarez I. Donation rates: what matters? Transplant Proc. 2014 Nov;46(9):2940-4. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.transproceed.2014.07.021
11. Badoch AT, Silveira F, Silveira FP, Von Stein A, Giugni J. Doadores de órgãos efetivos no Paraná e correlação com o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal. Revista de Saúde Pública do Paraná. 2021;4(1). doi: http://dx.doi.org/https://doi.org/10.32811/25954482-2021v4n1p12
12. Silva CR, Carvalho BG, Cordoni Júnior L, Nunes EdFPdA. Dificuldade de acesso a serviços de média complexidade em municípios de pequeno porte: um estudo de caso. Ciência & Saúde Coletiva. 2017;22:1109-20. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232017224.27002016
13. Ploeg RJ, Niesing J, Sieber-Rasch MH, Willems L, Kranenburg K, Geertsma A. Shortage of donation despite an adequate number of donors: a professional attitude? Transplantation. 2003 Sep 27;76(6):948-55. doi: http://dx.doi.org/10.1097/01.TP.0000079317.75840.0F
14. Matesanz R. [Transplantations, management, and health systems]. Nefrologia. 2001;21 Suppl 4:3-12. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11642178/
15. ONT. Meeting the organ shortage: An European Consensus Document. 1999. [acesso em 29/10/2020]. Disponível em: http://www.ont.es/infesp/Paginas/DocumentosdeConsenso.aspx
Publicado
2022-04-01
Como Citar
1.
Silveira F, Badoch ATC, Von Stein A, Giugni JR. Identificação dos potenciais doadores de órgãos no Paraná (2011-2019) em razão dos óbitos hospitalares. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 1abr.2022 [citado 28nov.2022];5(1):19-. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/559
Seção
Artigos originais