Avaliação da efetividade da dieta isenta de glúten na diminuição da sintomatologia de doenças autoimunes

Palavras-chave: Doenças Autoimunes, Dieta livre de Glúten, Sinais e Sintomas

Resumo

O objetivo do trabalho foi avaliar a efetividade da dieta isenta de glúten em pacientes portadores de doenças autoimunes. Estudo retrospectivo com abordagem quantitativa e descritiva. Coleta de dados foi realizada a partir de prontuários de pacientes de uma clínica de nutrologia e de um consultório nutricional da região de Curitiba-PR. A amostra foi composta por 24 mulheres, portadoras de doenças autoimunes, orientadas a excluir o glúten da dieta. Obtendo-se como resultados média de idade de 57 anos, média de tempo de acompanhamento médico e/ou nutricional de 27,2 meses (±22,3), principais morbidades referidas Artrite Reumatoide e Tireoidite de Hashimoto. O estado nutricional prevalente a partir do IMC foi eutrofia com predomínio do quadro sintomatológico de dores no corpo, constipação e cansaço. Constatou se melhora no quadro sintomatológico após a adoção de dieta isenta de glúten em 76% dos pacientes. Logo, essa terapia dietética pode contribuir com uma melhor evolução clínica.

Biografia do Autor

Josiane Bueno, Universidade Tuiuti do Paraná

Nutricionista. Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, Paraná

Telma Silva Souza Gebara, Universidade Tuiuti do Paraná

Nutricionista. Doutora em Cirurgia Clinica. Professora da Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, Paraná

Andrea Vieira Pereira Coradine, Universidade Tuiuti do Paraná

Nutricionista. Doutora em Saúde da Criança e do Adolescente. Professora. Universidade Tuiuti do Paraná.  Curitiba, Paraná

Referências

1. Oliveira LJG. Manifestações extra-intestinais da doença Inflamatória intestinal. UP, 12p. (Dissertação) Repositório Aberto da Universidade do Porto: Instituto de Ciência Biomédicas Abel Salazar. Portugal [Internet]. 2011 [citado em 2021 jul 06]; Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/21152/2/Cpia%20Manifestaes%20Extraintestinais%20da%20DII.pdf
2. Lerner A, Shoenffeld Y, Mathias T. Adverse effects of gluten ingestion and advantages of gluten withdrawal in nonceliac autoimmune disease. Nutrition Reviews. [Internet].2017 [citado em 2021 out 15]; 75(12), 1046–1058. doi: https://doi.org/10.1093/nutrit/nux054
3. Araújo MDB. Prevalência de doenças autoimunes na atenção primária à saúde. Universidade Federal de Campina Grande. UFCG, Cajazeira, Paraíba, [Internet]. 2017 [citado em 2021 out 19]. Disponível em: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/jspui/handle/riufcg/7658
4. Tolentino Júnior DS. Estudo da prevalência de doenças autoimunes na microrregião de saúde de Águas Formosas - Minas Gerais – Brasil. Dissertação, 186 p. [Internet]. 2017 [citado em 2021 jul 06]; Disponível em: http://acervo.ufvjm.edu.br/jspui/handle/1/1636
5. Garcez, DR. O papel da nutrição nas doenças autoimunes. UP, 2014. 36p. (Mestrado em Medicina) - Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar-Universidade do Porto Centro Hospitalar do Porto. Portugal, [Internet]. 2014 [citado em 2018 jan 21]; Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/76597/2/32706.pdf
6. Fasano A. Zonulin, regulation of tight junctions, and autoimmune diseases. Annals of the New York Academy of Sciences [Internet]. 2012 [citado em 2018 fev 22]; 1258 (1), 25. doi: https://doi.org/10.1111/j.1749-6632.2012.06538.x
7. Santos LMO, Vilar MJ, Maia EMC. Mulheres com lúpus eritematoso sistêmico, sintomas depressivos e apoio social. Psicologia, Saúde & Doenças [Internet]. 2017 [citado em 2018 fev 22] ;18, (1), 39-54. doi: http://dx.doi.org/10.15309/17psd180104
8. Lerner A, Benzvi C. "Let Food Be Thy Medicine": Gluten and Potential Role in Neurodegeneration. Cells. [Internet]. 2021 [citado em 2021 out 19]; 30;10(4):756. Disponível em: doi: https://doi.org/10.3390/cells10040756
9. Passali M, Josefsen K, Frederiksen JL, Antvorskov CJ. Current Evidence on the Efficacy of Gluten-Free Diets in Multiple Sclerosis, Psoriasis, Type 1 Diabetes and Autoimmune Thyroid Diseases. Nutrients, [Internet]. 2020 [citado em 2021 jan 15]; 12(8), 2316. doi: https://doi.org/10.3390/nu12082316
10. Silva JGN. Diabetes mellitus tipo 1, doença celíaca e sua associação: estudo comparativo do estado nutricional, consumo alimentar e qualidade de vida em indivíduos com duas doenças crônicas. USP. 95p. Tese (Doutorado)- Universidade de São Paulo [Internet]. 2015 [citado em 2018 abr 27]; doi: https://doi.org/10.11606/D.5.2015.tde-23092015-153746
11. Ribeiro PVM, Santos AP, Andreoli CS, Ribeiro SMR, Jorge MP, Moreira AVB. Variação do estado nutricional e sintomatologia intestinal e extra-intestinal em pacientes com doença celíaca e sensibilidade ao glúten não celíaca devido a orientação dietética especializada, Rev. Nutr [Internet]. 2017 [citado em 2018 abr 27]; 30 (1): 57-67. doi: https://doi.org/10.1590/1678-98652017000100006
12. Associação brasileira para o estudo da obesidade e da síndrome metabólica diretrizes brasileiras de obesidade 2. (ABESO). Obesidade e síndrome metabólica. [Internet]. [citado em 2018 abr 27]; Disponível em: https://abeso.org.br/conceitos/obesidade-e-sindrome-metabolica
13. Baptista CG. Diagnóstico diferencial entre doença celíaca e sensibilidade ao glúten não-celíaca: uma revisão. International Journal of Nutrology. [Internet]. 2017 [citado em 2018 abr 2710 (2): 46-57. doi: https://doi.org/10.1055/s-0040-1705288
14 Sapone A, Bai JC, Ciacci C, Dolinsek J, Green PHR, Hadjivassiliou M, et al. Spectrum of gluten-related disorders: consensus on new nomenclature and classification. BMC medicine [Internet]. 2012 2017 [citado em 2019 mar 9]; 10 (1): 1-12. doi: https://doi.org/10.1186/1741-7015-10-13
15. Reig-otero Y, Mañes J, Manyes I Font L. Sensibilidad al gluten no celiaca (SGNC): manejo nutricional de la enfermedad. Nutr. clín. diet. Hosp [Internet]. 2017 [citado em 2019 mar 9]; 37: 171-182. doi: https://doi.org/10.12873/371manyesfont
16. Vojdani A, Perlmutter D. Differentiation between celiac disease, nonceliac gluten sensitivity, and their overlapping with Crohn’s disease: A Case Series [Internet]. 2013 [citado em 2019 mar 9]; 248482. doi: https://doi.org/10.1155/2013/248482
17. De Punder K, Pruimboom L. The dietary intake of wheat and other cereal grains and their role in inflammation. Nutrients [Internet]. 2013 [citado em 2019 jan 10]; 5, (3): 771-787. doi: https://doi.org/10.3390/nu5030771
18. Ferreira F, Inácio F. Patologia associada ao trigo: Alergia IgE e não IgE mediada, doença celíaca, hipersensibilidade não celíaca, FODMAP. Revista Portuguesa de Imunoalergologia. [Internet]. 2018 [citado em 2019 jan 10]; 26 (3): 171-187. Disponivel em: https://www.spaic.pt/client_files/rpia_artigos/patologia-associada-ao-trigo.pdf
19. Liontiris MI, Mazokopakis EE. A concise review of Hashimoto thyroiditis (HT) and the importance of iodine, selenium, vitamin D and gluten on the autoimmunity and dietary management of HT patients. Points that need more investigation. Hell J Nucl Med [Internet]. 2017 [citado em 2019 jan 10]; 20(1): 51-56. Disponivel em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28315909
20. Hobold D. Aspectos Nutricionais no tratamento da psoríase [Internet]. 2012 [citado em 2019 jan 15]. Disponível em: http://repositorio.unesc.net/handle/1/1081
21. Krysiak R, Szkróbka W, Okopień B. The Effect of Gluten-Free Diet on Thyroid Autoimmunity in Drug-Naïve Women with Hashimoto’s Thyroiditis: A Pilot Study. Experimental and Clinical Endocrinology & Diabetes [Internet]. 2019 [citado em 2020 jan 15]; 127(07): 417-422. doi: https://doi.org/10.1055/a-0653-7108
22. Hafstrom I, Ringertz B, Spangberg A, Zweigbergk LV, Brannemark S, Nylander J, et al. A vegan diet free of gluten improves the signs and symptoms of rheumatoid arthritis: The effects on arthritis correlate with a reduction in antibodies to food antigens. Rheumatology [Internet]. 2001 [citado em 2019 jan 15]; 40(10):1175-9. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/11600749/
23. Michaëlsson G, Gerdén B, Hagforsen E, Nilsson B, Pihl-Lundin I, Kraaz W,. et al. Psoriasis patients with antibodies to gliadin can be improved by a gluten-free diet. British Journal of Dermatology [Internet]. 2003 [citado em 2019 jan 15]; 142(1), 44-51. doi: https://doi.org/10.1046/j.1365-133.2000.03240.x
24. Peixoto AVB. Diabetes mellitus tipo I: associação de doenças autoimunes. Portugal: FMUC, 49p. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de medicina Coimbra, Portugal, [Internet]. 2014. [citado em 2020 nov 20]; Disponível em: https://estudogeral.sib.uc.pt/bitstream/10316/37462/1/Diabetes%20mellitus%20tipo%20I%20associacao%20de%20doencas%20autoimunes.pdf
25. Hogg-kollars, S, Al dulaimi D, Tait K, Rostami K. Type 1 diabetes mellitus and gluten induced disorders. Gastroenterology and hepatology from bed to bench [Internet]. 2014 [citado em 2019 fev 14]; 7(4):189-197. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4185872/
Publicado
2022-04-01
Como Citar
1.
Bueno J, Gebara TSS, Coradine A. Avaliação da efetividade da dieta isenta de glúten na diminuição da sintomatologia de doenças autoimunes. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 1abr.2022 [citado 28nov.2022];5(1):30-3. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/564
Seção
Artigos originais