Perfil farmacoepidemiológico e conhecimento do uso de medicamentos no contexto da saúde da mulher

Palavras-chave: Farmacoepidemiologia, Uso de Medicamentos, Mulheres, Saúde da Mulher

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi identificar e caracterizar os medicamentos utilizados por mulheres acima de 18 anos e comparar os conhecimentos dessas mulheres sobre o medicamento com referências científicas do produto utilizado. É um estudo farmacoepidemiológico observacional transversal, com dados coletados por meio de um formulário respondido online voluntariamente, com acesso pelas redes sociais. A população alvo do estudo foi constituída por mulheres acima de 18 anos. Cerca de mil mulheres participaram do estudo, sendo na maioria brancas, jovens, classe média e residentes no Estado do Paraná. Anticoncepcionais, antidepressivos e analgésicos foram as classes terapêuticas mais citadas. A maioria das participantes demonstrou conhecer a indicação dos medicamentos em uso e declarou administrá-los nos horários recomendados, porém, ficou evidente a inobservância do tempo de tratamento e a prática de condutas inadequadas de utilização de medicamentos. Esses resultados evidenciam que existem necessidades e lacunas no cuidado voltado à saúde da mulher, particularmente em idade reprodutiva, que podem ser contempladas pelo aconselhamento farmacêutico.

Biografia do Autor

Joice Mara Cruciol, Universidade Estadual de Londrina

Graduação em Farmácia. Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Paraná

Isabela Cristina Ávila Oliveira, Universidade Estadual de Londrina

Farmacêutica-Bioquímica, doutorado em Medicina. Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Paraná

Referências

1 IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. “Quantidade de Homens e Mulheres, 2019.” IBGEduca. [internet] [citado em 2020 set 01]. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o-brasil/populacao/18320- quantidade-de-homens-e-mulheres.html
2 Ministério da Saúde (Brasil). Política Nacional de Atenção Integral a Saúde da Mulher: princípios e diretrizes [internet]. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. [citado em 2020 set 01]. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2007/politica_mulher.pdf
3 Leite SN, Vieira M, Veber AP. Estudos de utilização de medicamentos: uma síntese de artigos publicados no Brasil e América Latina. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2008 [citado em 2020 mai 23], (13):0:793-802. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232008000700029&script=sci_abstract&tlng=pt
4 Fernandes CS, Azevedo RC, Goldbaum MB. Psychotropic use patterns: Are there differences between men and women? Plos one [internet]. 2018 [citado em 2020 set 14]; (13):11:1-16. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0207921
5 Arrais PS, Fernandes ME, Pizzol TD, Ramos LR, Mengue SS, Luiza VL, et al. Prevalence of self-medication in Brazil and associated factors. Rev Saúde Publica. [internet]. 2016 [citado em 2020 set 01] Dec;50(suppl 2):13s. Identificador doi: 10.1590/S1518-8787.2016050006117.
6 Bertoldi AD, Pizzol TS, Ramos LR, Mengue SS, Luiza VL, Tavares NU et al. Sociodemographic profile of medicines users in Brazil: results from the 2014 PNAUM survey. Rev. Saúde Pública [internet]. 2016 [citado em 2020 out 19]; 50 (Suppl 2): 5s. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102016000300310&lng=en&tlng=en .
7 Luiza V., Mendes LV, Tavares NU, Bertoldi AD, Fontanella AT, Oliveira MA et al. PNAUM Group. Inappropriate use of medicines and associated factors in Brazil: an approach from a national household survey. Health Policy and Planning [internet]. 2019 [citado em 2020 jun 08]; (34):3:iii27–iii35. Disponível em: https://academic.oup.com/heapol/article/34/Supplement_3/iii27/5670619
8 Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Direitos sexuais, direitos reprodutivos e métodos anticoncepcionais. Brasília: Ministério da Saúde, 2009. [citado em 2020 set 01]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/direitos_sexuais_reprodutivos_metodos_anticoncepcionais.pdf
9 Paniz VM, Fassa AG, Silva MC. Conhecimento sobre anticoncepcionais em uma população de 15 anos ou mais de uma cidade do Sul do Brasil. Cad. Saúde Pública [internet]. 2005 [citado em 2020 abr 16]; (21):6:1747-1760. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-311X2005000600022&script=sci_abstract&tlng=pt
10 Mendes SS, Moreira MRF, Martins CBG, Souza SPS. Saberes e atitudes dos adolescentes frente à contracepção. Revista Paulista de Pediatria [online]. 2011, v. 29, n. 3 [citado em 2021 jun 11], pp. 385-391. Disponível em: . Epub 14 Out 2011. ISSN 1984-0462. https://doi.org/10.1590/S0103-05822011000300013
11 OMS - Organização Mundial da Saúde. “Farmacocinética.” Guia para a boa prescrição médica, por Cláudia Buchweitz, 124. Porto Alegre: Artmed, 1998.
12 Cruciol-Souza JM, Thomson JC, Castiti, DG. Avaliação de prescrições medicamentosas de um hospital universitário brasileiro. Revista Brasileira de Educação Médica [internet]. 2008 [citado em 2020 out 05]; (32):188-196. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0100-55022008000200006&script=sci_abstract&tlng=pt
13 Reis TM, Guidoni CM, Girotto E, Rascado RR, Mastroiani PD, Cruciol JM et al. Knowledge and conduct of pharmacists for dispensing of drugs in community pharmacies: a crosssectional study. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences [internet]. 2015 [citado em 2020 jul 12]; (51):3:699-788. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-82502015000300733
14 Obreli-Neto PR, Nobili A, Baldoni AD, Guidoni CM, Lyra Júnior DP, Pilger D et al. Adverse drug reactions caused by drug-drug interactions in elderly outpatients: a prospective cohort study. European Journal of Clinical Pharmacology [internet]. 2012 [citado em 2020 abr 23]; 68(12):1667-76. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/22644345/
15 Scritta. Os horários de ingestão dos medicamentos influenciam na adesão? Assistência farmacêutica Avançada [Internet]; 2020 [citado em 2020 nov 20]. Disponível em: https://www.assistenciafarmaceutica.far.br/os-horarios-de-ingestao-dos-medicamentos-influenciam-na-adesao/
16 Guia da Carreira. “Guia das Profissões.” Guia da Carreira. [Citado em 2020 set 03]. Disponível em: https://www.guiadacarreira.com.br/profissao/guia-das-profissoes/
17 BRASIL. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. Diretrizes brasileiras de obesidade. [internet]. São Paulo, 2016 [citado em 2020 set 04]. Disponível em: https://abeso.org.br/wp-content/uploads/2019/12/Diretrizes-Download-Diretrizes-Brasileiras-de-Obesidade-2016.pdf
18 Anvisa. Bulário eletrônico. [Internet]. 2007 [citado em 2020 jul 10]. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp
19 WHO - World Health Organization. Collaborating Centre for Drugs Statistics Methodology. ATC classification and DDD Index [Internet]; 2020 [citado em 2020 set 13]. Disponível em: https://www.whocc.no/atc_ddd_index/
20 Dias, M. OPUS Pesquisa. Perfil dos usuários das redes sociais: WhatsApp, Facebook e Instagram [Internet]; 2020 [citado em 2020 set 08]. Disponível em: https://www.opuspesquisa.com/blog/estudo/perfil-usuarios-redes-socais- whatsapp-facebook-instagram/
21 Melo LA, Lima KC. Fatores associados às multimorbidades mais frequentes em idosos brasileiros. Ciência & saúde coletiva [periódico na internet]. 2020 [citado em 2020 mar 18]; (25):10:3879-3888. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232020001003879#:~:text=Dentre%20as%20multimorbidades%20presentes%2C%20as,Diabetes%20(23%2C3%25)
22 Oenning D, Oliveira BV, Blatt CR. Conhecimento dos pacientes sobre os medicamentos prescritos após consulta médica e dispensação. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2011 [citado em 2020 mar 12]; (16):7:3277-3283. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000800027
23 Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos estratégicos. Relação Nacional de Medicamentos Essenciais: RENAME 2020. [internet] Brasília: Ministério da Saúde, 2020 [citado em 2020 ago 23]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/relacao_medicamentos_rename_2020.pdf
24 Zeni ALB, Parisotto AV, Mattos G, Helena ETS. Utilização de plantas medicinais como remédio caseiro na Atenção Primária em Blumenau, Santa Catarina, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2017, v. 22, n. 8 [citado 2021 jun 11], pp. 2703-2712. Disponível em: . ISSN 1678-4561. https://doi.org/10.1590/1413-81232017228.18892015
25 Prado MA, Francisco PM, Barros MB. Uso de medicamentos psicotrópicos em adultos e idosos residentes em Campinas, São Paulo: um estudo transversal de base populacional. Epidemiol. Serv. Saúde [internet]. 2017 [acesso em 2020 mai 03]; (26):4:747-758. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2237-96222017000400747&script=sci_abstract&tlng=pt
26 Quintana MI, Andreoli MP, Ribeiro WS, Feijo MM, Bressan RA, Coutinho ES et al. Psychotropic Drug Use in São Paulo, Brazil: An Epidemiological Survey. Plos One. [internet] 2015 [citado em 2020 abr 18]; (10):8:1-14. Disponível em: https://journals.plos.org/plosone/article?id=10.1371/journal.pone.0135059
27 Dresch AP, Amador TA, Heineck I. Conhecimento dos pacientes sobre medicamentos prescritos por odontólogos no sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva [internet]. 2016 [citado em 2020 set 06]; (21):2:475-483. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016000200475
28 Toren O, Kerzmana H, Korena N, Baron-epela O. (2005). Patients’ knowledge regarding medication therapy and the associtation with health services utilization. Eur J Cardiovasc Nurs [internet]. 2005 [citado em 2020 abr 20]; (5):4:311-316. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/16427361/
29 Romano-lieber NS. Revisão dos estudos de intervenção do farmacêutico no uso de medicamentos por pacientes idosos. Caderno Saúde Pública [internet]. 2002 [citado em 2020 jun 04]; (23):4:927-937. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0102-311X2002000600002&lng=en&nrm=iso&tlng=pt
30 Santana GM, Santos ED. Manual de fontes de informação sobre medicamentos. CRF - Conselho Regional de Farmácia do Paraná [Internet]; 2018 [citado em 2020 set 16]. Disponível em: https://www.crf-pr.org.br/midia/revista?tipo=4
Publicado
2021-12-23
Como Citar
1.
Cruciol JM, Oliveira IC Ávila. Perfil farmacoepidemiológico e conhecimento do uso de medicamentos no contexto da saúde da mulher. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 23dez.2021 [citado 28nov.2022];4(4):92-13. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/566
Seção
Artigos originais