Caracterização dos sintomas e funcionalidade de idosos com necessidade de cuidados paliativos na Estratégia Saúde da Família

Palavras-chave: Cuidados Paliativos, Idoso, Atenção Primária à Saúde, Estratégia Saúde da Família

Resumo

O cuidado paliativo (CP) visa propiciar qualidade de vida aos pacientes com doenças que ameaçam a vida, porém, as características de idosos com esta necessidade na Estratégia Saúde da Família (ESF) ainda são pouco exploradas. O objetivo desse estudo foi identificar e caracterizar os idosos com indicação de CP na ESF. Trata-se de um estudo descritivo exploratório quantitativo, com triagem inicial de 428 idosos. Destes, 15 tiveram indicação de CP e foram avaliados por questionário sociodemográfico e instrumentos padronizados. A maioria dos pacientes eram do sexo feminino, com idade média de 75 anos e apresentavam síndromes demenciais, doenças neurológicas, fragilidade e déficit funcional. Os principais sintomas foram dor, alteração no sono e perda de apetite. As principais demandas de saúde observadas foram preocupação familiar e o manejo da dor. Observou-se que os idosos participantes apresentam condições de fragilidade, dificuldade no manejo dos sintomas e baixa capacidade funcional, impactando sua qualidade de vida.

Biografia do Autor

Emilly Pennas Marciano Marques, Universidade Estadual de Londrina

Fisioterapeuta. Especialista em Saúde da Família. Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Paraná

Daniela Wosiack Silva, Universidade Estadual de Londrina

Fisioterapeuta. Doutora em Saúde Coletiva. Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Paraná

Fernando Cesar Iwamoto Marcucci, Secretaria de Saúde do Paraná

Fisioterapeuta. Doutor em Saúde Coletiva. Hospital Dr. Anísio Figueiredo – Secretaria de Saúde do Paraná, Londrina, Paraná

Ligia Maria Facci, Universidade Estadual de Londrina

Fisioterapeuta. Doutora em Ciências da Saúde. Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Paraná

Geovana Pizzaia Pretti, Universidade Estadual de Londrina

Fisioterapeuta. Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Paraná

Referências

1. Valcarenghi RV, Lourenço LFL, Siewert JS, Alvarez AM. Produção científica da Enfermagem sobre promoção de saúde, condição crônica e envelhecimento. Rev. Bras. Enferm [Internet]. 2015 [acesso em 14 out 2019]; 68(4): 705-12. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680419i
2. Trelha CS, Dellaroza MSG. Cuidando do Idoso e sua família em situação de vulnerabilidade. Londrina: EDUEL, 2015.
3. World Health Organization. Saving lives, spending less: a strategic response to noncommunicable diseases. Geneva: WHO [Internet]. 2018 [Acesso em 09 abr 2020]. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/272534/WHO-NMH-NVI-18.8-eng.pdf
4. Pessini L, Bertachini L. Novas perspectivas em cuidados paliativos: ética, geriatria, gerontologia, comunicação e espiritualidade. O mundo da saúde [Internet]. 2005 [Acesso em 09 abr 2020]; 29(4): 491-509. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/bb8b/ddc7effc8baf6af58d3190e86bbe872d3db1.pdf
5. Dalacorte RR, Rigo JC, Schneider RH, Schwanke CHA. Cuidados Paliativos em Geriatria e Gerontologia. São Paulo: Editora Atheneu, 2012. 384p.
6. Malta DC, Bernal RTI, Lima MG, Araújo SSC de, Silva MMA da, Freitas MIF et al. Noncommunicable diseases and the use of health services: analysis of the National Health Survey in Brazil. Rev. Saúde Públ [Internet]. 2017 [Acesso em 09 abr 2020]; 51(1): 4s. doi: https://doi.org/10.1590/s1518-8787.2017051000090
7. Radbruch L, Lima L, Knau F, Wenk R, Ali Z, Bhatnaghar S, Blanchard C et. al. Redefining Palliative Cared: A New Consensus-Based Definition. J Pain Symptom Manage [Internet]. 2020 [acesso em 10 abr 2020]; 20(1). doi: https://doi.org/10.1016/j.jpainsymman.2020.04.027
8. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria MS Nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília (DF): Ministério da Saúde [Internet]. 2017 [Acesso em 15 out 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html
9. Sena GR. Cuidados Paliativos na atenção primária em saúde: estamos preparados para este desafio? In: Oliveira JT, Orange FA, Bezerra MR, Sena GR, Gusmão TL. Educação Permanente em Cuidados Paliativos: pauta para atenção primária. Recife: MIP, 2016. Cap. 1. p. 9-13.
10. Marcucci FCI. Identificação e caracterização dos indivíduos com indicação de cuidados paliativos cadastrados na estratégia saúde da família [Tese]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina [internet]. 2016 [acesso em 13 out 2019]. 121 p. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000208832
11. Highet G, Crawford D, Murray SA, Boyd, K. Development and evaluation of the Supportive and Palliative Care Indicators Tool (SPICT): a mixed-methods study. BMJ Support Palliat. Care [Internet]. 2014 [acesso em 23 mar 2020];4(3):285-90. doi: http://dx.doi.org/10.1136/bmjspcare-2013-000488
12. Mitchell G, Senior H, Rhee J, Ware R, Young S, Teo P et al. Using intuition or a formal palliative care needs assessment screening process in general practice to predict death within 12 months: A randomised controlled trial. Pall Medicine [Internet]. 2017 [acesso em 14 abr 2020] ;32(2):384-94. doi: https://doi.org/10.1177/0269216317698621
13. Moraes E, Carmo J, Moraes F, Azevedo R, Machado C, Montilla D. Clinical-Functional Vulnerability Index-20 (IVCF-20): rapid recognition of frail older adults. Rev. Mar Saúde Públ [Internet]. 2016 [acesso em 07 mar 2020]; 50(0). doi: https://doi.org/10.1590/S1518-8787.2016050006963
14. Monteiro DR, Almeida MA, Kruse MHL. Tradução e adaptação transcultural do instrumento Edmonton Symptom Assessment System para uso em cuidados paliativos. Rev Gaúcha Enferm [Internet]. 2013 [acesso em 12 abr 2020]; 34(2):163-171. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v34n2/v34n2a21.pdf
15. Victoria Hospice Society. Palliative Performance Scale (PPSv2). Victoria Hospice Society, Canadá [Internet]. 2009 [acesso em 16 mai 2020]. Disponível em: https://victoriahospice.org/wp-content/uploads/2020/08/PPSv2-QA-Instructions-and-Definitions-updated-July-2020.pdf
16. Correia FR. Tradução, adaptação cultural e validação inicial no Brasil da Palliative care Outcome Scale (POS). 2012. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto [Internet]. 2012 [acesso em 23 mar 2020]. doi: https://doi.org/10.11606/D.22.2012.tde-27032012-153946
17. Hearn J, Higginson IJ. Development and validation of a core outcome measure for palliative care: the palliative care outcome scale. Palliative Care Core Audit Project Advisory Group [Internet]. 1999 [acesso em 22 mar 2020]; v. 8, n. 4, 1999. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2483665/
18. Azevedo C, Rates C, Pessalacia J, Da Mata L. Perspectivas para os cuidados paliativos na atenção primária à saúde: estudo descritivo. Online Brazilian Journal of Nursing [Internet]. 2016 [acesso em 13 fev 2019]; 15(4):683. doi: https://doi.org/10.17665/1676-4285.20165370
19. Rizzotti MLA, Cordeiro SMA, Pastor M. Gestão de Políticas Sociais: território usado, intersetorialidade e participação. Londrina: Eduel, 2017.
20. Brasil. Ministério da Saúde. DATASUS. Estatísticas Vitais. Óbitos por causas evitáveis de 5 a 74 anos [Internet]. 2017 [acesso em 07 mar 2020]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sim/cnv/evitb10uf.def
21. Miranda R, Penders Y, Smets T, Deliens L, Miccinesi G, Vega Alonso T et al. Quality of primary palliative care for older people with mild and severe dementia: an international mortality follow-back study using quality indicators. Age and Ageing [Internet]. 2018 [acesso em 20 ago 2019]; 47(6):824-33. doi: https://doi.org/10.1093/ageing/afy087
22. Corrêa SR, Mazuko C, Mitchell G, Pastrana T, De Lima L, Murray SA. Identifying patients for palliative care in primary care in Brazil: Project Estar ao Seu Lado ́s experience. Rev. Bras. Med. Fam. Comunidade [Internet]. 2017 [acesso em 13 fev 2020]; 12(39):1-8. doi: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1507
23. Cardoso D, Muniz R, Schwartz E, Arrieira I. Cuidados paliativos na assistência hospitalar: a vivência de uma equipe multiprofissional. Texto & Contexto – Enferm [Internet]. 2013 [acesso em 14 out 2019]; 22(4):1134-41. doi: https://doi.org/10.1590/S0104-07072013000400032
24. Sant’ Ana L, D’Elboux M. Suporte social e expectativa de cuidado de idosos: associação com variáveis socioeconômicas, saúde e funcionalidade. Saúde em Debate [Internet]. 2019 [acesso em 25 mar 2020]; 43(121):503-519. doi: https://doi.org/10.1590/0103-1104201912117
25. Amaral JG. Medida de Independência Funcional de idosos portadores de doença crônica. 2010. 91 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade de Guarulhos, Guarulhos, 2010. Disponível em: http://tede.ung.br/bitstream/123456789/229/1/Juliana+Gimenez+Amaral.pdf
26. Carvalho GAFL, Menezes RMP de, Enders BC, Teixeira GA, Dantas DNA, Oliveira DRC de. Significados atribuídos por profissionais de saúde aos cuidados paliativos no contexto da atenção primária. Texto contexto – enferm [Internet]. 2018 [acesso em 04 mar 2020]; 27(2): e5740016. doi: https://doi.org/10.1590/0104-070720180005740016
27. Souza H, Zoboli E, Paz C, Schveitzer M, Hohl K, Pessalacia J. Cuidados paliativos na atenção primária à saúde: considerações éticas. Rev. Bioét [Internet]. 2015 [acesso em 20 mar 2020]; 23(2):349-59. doi: https://doi.org/10.1590/1983-80422015232074
28. Corrêa SR; Supportive and Palliative Care Indicators Tool (Brazilian version) [Internet]. Acesso em 15 jan 2019.Disponível em: https://www.spict.org.uk/the-spict/spict-br/
29. Paraná. Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. Avaliação multidimensional do idoso. Curitiba: SESA, 2018. 118 p. [acesso em 20 jan 2020]. Disponível em: https://www.saude.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2020-04/avaliacaomultiddoidoso_2018_atualiz.pdf
30. Marcucci F, Perilla A, Brun M, Cabrera M. Identificação de pacientes com indicação de Cuidados Paliativos na Estratégia Saúde da Família: estudo exploratório. Cad. Saúde Coletiva [Internet]. 2016 [acesso em 15 jan 2019]; 24(2):145-152. doi: https://doi.org/10.1590/1414-462X201600020012
Publicado
2021-12-23
Como Citar
1.
Marques EPM, Silva DW, Marcucci FCI, Facci LM, Pretti GP. Caracterização dos sintomas e funcionalidade de idosos com necessidade de cuidados paliativos na Estratégia Saúde da Família. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 23dez.2021 [citado 28nov.2022];4(4):127-44. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/568
Seção
Artigos originais