Atributos da Atenção Básica no atendimento de usuários pós COVID-19: perspectiva dos profissionais de saúde

Palavras-chave: Política de Saúde, Atenção Primária à Saúde, COVID-19

Resumo

A pandemia causada pela COVID-19 trouxe enormes desafios à Saúde Pública, além da fase crítica da doença e das hospitalizações. O objetivo deste estudo é analisar o papel da atenção básica no atendimento do usuário pós-COVID-19. A pesquisa foi conduzida com 24 profissionais de nível superior da atenção básica de três municípios do interior do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Os dados foram coletados por meio de questionário eletrônico adaptado do PCATool-Brasil e analisados descritivamente. Em relação ao acesso, os resultados mostraram 50% dos profissionais afirmarem que o tempo de espera dos usuários é superior a 30 minutos. Na longitudinalidade, 45,8% dos profissionais indicaram não conhecer os usuários. Na coordenação, 41,6% dos profissionais não receberam informações após a alta hospitalar e 50% dos pesquisados participaram de educação permanente. Na orientação comunitária, 58,3% dos profissionais afirmaram haver avaliações dos serviços. Os dados apontaram aspectos positivos quanto ao atendimento de usuários pós-COVID-19. No entanto, as principais fragilidades evidenciaram pouca articulação da rede de atenção, bem como desfavorável tempo de espera dos usuários para atendimento na Unidade de Saúde

Biografia do Autor

Xavéle Braatz Petermann, Centro Universitário Internacional

Fisioterapeuta. Mestra em Gestão de Organizações Públicas.

Ivana Maria Saes Busato, Centro Universitário Internacional

Cirurgiã-dentista. Doutora em Odontologia.

Referências

1. Barker-Davies RM, O'Sullivan O, Senaratne KPP, Baker P, Cranley M, Dharm-Datta S et al. The Stanford Hall consensus statement for post-COVID-19 rehabilitation. Br J Sports Med. 2020 [citado 18 abr 2022];54(16):949-959. doi: https://doi.org/10.1136/bjsports-2020-102596
2. Demeco A, Marotta N, Barletta M, Pino I, Marinaro C, Petraroli A et al. Rehabilitation of patients post-Covid-19 infection: a literature review. Int. J. Med. Res. 2020 [citado 18 abr 2022];48(8):1-10. doi: https://doi.org/10.1177/0300060520948382
3. Daumas PR, Silva GA, Tasca R, Leite IC, Brasil P, Greco DB et al. O papel da atenção primária na rede de atenção à saúde no Brasil: limites e possibilidades no enfrentamento da COVID-19. Cad. Saúde Pública. 2020 [citado 18 abr 2022];36(6):1-7. doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00104120
4. Brasil. COVID-19: Guia Orientador para o enfrentamento da pandemia na Rede de Atenção à Saúde. 4. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2021 [citado 18 abr 2022]. Disponível em: https://www.conasems.org.br/wp-content/uploads/2020/05/Instrumento-Orientador-Conass-Conasems-VERS%C3%83O-FINAL-3.pdf
5. Brasil. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário oficial da União. 2017 set 22 [citado 18 abr 2022]. (seção 1):68. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html
6. Salawu A, Green A, Crooks MG, Brixey N, Ross DH, Sivan M. A Proposal for Multidisciplinary Tele-Rehabilitation in the Assessment and Rehabilitation of COVID-19 Survivors. Int J Environ Res Public Health. 2020 [citado 18 abr 2022];17(13):4890. doi: https://doi.org/10.3390/ijerph17134890
7. Pan American Health Organization (PAHO). Rehabilitation considerations during the COVID-19 outbreak. 2020 [citado 18 abr 2022]. Disponível em: https://iris.paho.org/handle/10665.2/52035
8. Farias ABG, Colares MP, Barretoti FKA, Cavalcanti LPG. O papel da atenção primária no combate ao Covid-19: impacto na saúde pública e perspectivas futuras. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2020 [citado 30 mai 2022];15(42):2455. Disponível em: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/2455
9. Bousquat A, Giovanella L, Medina MG, Mendonça MHM, Facchini LA, Tasca R. (coords.). Desafios da Atenção Básica no enfrentamento da pandemia da COVID-19 no SUS. Relatório de Pesquisa. Rio de Janeiro: Rede de Pesquisa em APS Abrasco; 2020 [citado 18 abr 2022]. Disponível em: https://redeaps.org.br/wp-content/uploads/2020/08/Relato%CC%81rioDesafiosABCovid19SUS.pdf
10. Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde; 2002 [citado 18 abr 2022]. Disponível em: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/0253.pdf
11. Brasil. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção em Saúde, Departamento de Atenção Básica; 2010 [citado 30 mai 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_avaliacao_pcatool_brasil.pdf
12. Hair JF et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman Editora; 2009.
13. Fraser E. Long term respiratory complications of Covid-19. BMJ [internet]. 3 ago 2020 [citado 18 abr 2022]. doi: https://doi.org/10.1136/bmj.m3001
14. Li Z, Zheng C, Duan C, Zhang Y, Li Q, Dou Z et al. Rehabilitation needs of the first cohort of post-acute COVID-19 patients in Hubei, China. Eur. J. Phys. Rehabil. Med. 2020 [citado 18 abr 2022];56(3):339-344. doi: https://doi.org/10.23736/S1973-9087.20.06298-X
15. Carfì A, Bernabei R, Landi F. Persistent symptoms in patients after acute COVID-19. Jama. 2020 [citado 18 abr 2022];324(6):603-605. doi: https://doi.org/10.1001/jama.2020.12603
16. Peghin M, Palese A, Venturini M, Martino M, Gerussi V, Graziano E, et al. Post-COVID-19 symptoms 6 months after acute infection among hospitalized and non-hospitalized patients. Clinical microbiology and infection: the official publication of the European Society of Clinical Microbiology and Infectious Diseases. 2021 [citado 30 mai 2022];27(10):1507–1513. doi: https://doi.org/10.1016/j.cmi.2021.05.033
17. Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Organização Pan-Americana da Saúde, 2011 [citado 18 abr 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/redes_de_atencao_saude.pdf
18. Soeiro RE, Bedrikow R, Ramalho BDS, Niederauer AJS, Souza CV, Previato, CS et al. Atenção Primária à Saúde e a pandemia de COVID-19: reflexão para a prática. InterAm J Med Health. 2020;3:e202003010. [citado 30 mai 2022]. doi: https://doi.org/10.31005/iajmh.v3i0.83
19. Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). Guia Orientador para o enfrentamento da pandemia Covid-19 na Rede de Atenção à Saúde. 4. ed. Brasília: Ministério da Saúde, CONASS, CONASEMS; 2020 [citado 18 abr 2022]. Disponível em: https://www.conass.org.br/biblioteca/covid-19-guia-orientador-para-o-enfrentamento-da-pandemia-na-rede-de-atencao-a-saude/
20. Sarti TD, Lazarini WS, Fontenelle LF, Almeida APSC. Qual o papel da Atenção Primária à Saúde diante da pandemia provocada pela COVID-19? Epidemiol. Serv. Saúde. 2020 [citado 18 abr 2022];29(2). doi: https://doi.org/10.5123/S1679-49742020000200024
Publicado
2022-09-22
Como Citar
1.
Petermann XB, Busato IMS. Atributos da Atenção Básica no atendimento de usuários pós COVID-19: perspectiva dos profissionais de saúde. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 22set.2022 [citado 30set.2022];5(3):1-4. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/669
Seção
Artigos originais