Percepção de residentes sobre qualidade de vida e atuação profissional durante a pandemia da COVID-19

Palavras-chave: COVID-19, Capacitação de Recursos Humanos em Saúde, Qualidade de Vida, Internato não Médico

Resumo

Este trabalho teve como objetivo compreender o significado, as vivências e a percepção dos residentes do Programa de Saúde Coletiva da Secretaria de Saúde do Recife (SESAU/Recife), quanto à qualidade de vida e atuação profissional durante a pandemia da COVID-19. Trata-se de pesquisa qualitativa, realizada com coleta de dados através de formulário on-line e roteiro semiestruturado, e a utilização da análise de conteúdo de Bardin. Os dados mostram que qualidade de vida foi compreendida pelos residentes como um conjunto de direitos sociais que envolve a satisfação de necessidades básicas e que proporciona bem-estar. Ademais, que a formação profissional foi comprometida devido o cenário da COVID-19.  Conclui-se que as sensações e vivências relatadas pelos residentes vão de encontro a um espaço favorável de formação e trabalho.

Biografia do Autor

Jaciara José Costa, Secretaria de Saúde do Recife

Assistente Social. Pós-graduada em Atenção Básica e Saúde da Família. Egressa do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva da Secretaria de Saúde do Recife, Vitória de Santo Antão, Pernambuco, Brasil

Alcieros Martins Paz, Universidade de Pernambuco

Odontóloga. Mestra em Saúde Coletiva. Professora assistente da Universidade de Pernambuco (UPE) e sanitarista da Prefeitura do Recife, Recife, Pernambuco, Brasil

Referências

1. Brasil. Ministério da saúde. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – ProJovem; cria o Conselho Nacional da Juventude – CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis nº 10.683, de 28 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. 2005 jun 30. Brasília. [internet]. 2005 [acesso em 2020 out 16]; Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11129.htm
2. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial MEC/MS Nº 1.077, DE 12 DE NOVEMBRO DE 2009. Diário Oficial da União: Seção I, Brasília, DF, 7 p., 13 nov. 2009. Revoga a Portaria Interministerial MEC/MS Nº 45, DE 12-01-2007, alterada pela Portaria Interministerial MEC/MS Nº 1.224, DE 03-10-2012. [internet] 2009 nov 12 [acesso em 2020 out 17]; Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15462-por-1077-12nov-2009&Itemid=30192
3. Lai J, Ma S, Wang Y, Cai Z, Hu J, Wei N, et al. Factors associated with mental health outcomes among health care workers exposed to Coronavirus Disease 2019. JAMA Netw Open. 2020; 3(3):1-12. doi: https://doi.org/10.1001/jamanetworkopen.2020.3976
4. Teixeira CFDS, Soares CM, Souza EA, Lisboa ES, Pinto ICDM, Andrade LRD, et al. A saúde dos profissionais de saúde no enfrentamento da pandemia de Covid-19. Ciênc. Saúde Colet. 2020; 25(9):3465-3474. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232020259.19562020
5. The Whoqol Group. The World Health Organization Quality of Life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Soc Sci Med. 1995v. 41, n. 10, p. -1403-1409, 1995. In: Cruz DSM, Collet N, Nóbrega VM. Qualidade de vida relacionada à saúde de adolescentes com dm1 - revisão integrativa. Ciênc. Saúde Colet. 2018; 23(3):973-989.
6. Minayo MCS, Deslandes SF, Gomes R. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.
7. Bardin L. Análise de Conteúdo. 3ª reimp. da 1ª ed. São Paulo: Edições 70, 2016.
8. Zanei SSV, Oliveira RA, Whitaker IY. Qualidade de vida dos profissionais de saúde dos programas de residências multidisciplinares. Rev. Enferm, UFSM. 2019; 9(e35):1-20.
9. Oliveira LAD, Oliveira EDL. A mulher no mercado de trabalho: algumas reflexões. REFAF. [internet]. 2019 jun [acesso em 2021 mar 10]; 8(1):17-27. Disponível em: http://refaf.com.br/index.php/refaf/article/view/287/pdf
10. Silva TS, Nascimento LS, Marcos Rabelo AR, Brito JS, Rosas MA, Cavalcanti GLOS, et al. Qualidade de vida dos residentes de um Programa Multiprofissional Integrado em Saúde na pandemia da COVID-19. Res. Soc. Dev. 2021; 10(5):1-17.
11. Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS). Protagonismo feminino na saúde: mulheres são a maioria nos serviços e na gestão do SUS. Brasília. [internet]. 2020 [acesso em: 2022 mar 30]; Disponível em: https://www.conasems.org.br/o-protagonismo-feminino-na-saude-mulheres-sao-a-maioria-nos-servicos-e-na-gestao-do-sus/
12. Camargo SPS, Oliveira SV. Perfil, qualidade de vida e perspectivas futuras de residentes do programa de residência em área profissional da saúde. RESU. 2020; 8(1):50-63.
13. Brasil. Ministério da Saúde. Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Resolução nº 2, de 13 de abril de 2012. Brasília. [internet] 2012 [acesso em: 2022 mar 29]; Disponível em: https://abmes.org.br/legislacoes/detalhe/1209/-resolucao-cnrm-n-2
14. Secretaria de Saúde do Recife (SESAU-Recife). Diretoria Executiva de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (DEGTES). Projeto Político Pedagógico do programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva da Secretaria de Saúde do Recife; 2019.
15. Rotta DS, Pinto MH, Lourenção LG, Teixeira PR, Gonsalez EG, Gazeta CE. Anxiety and depression levels among multidisciplinary health residents. Rev. Rene. 2016; 17(3):372-377.
16. Minayo MCS, Hartz ZMA, Buss PM. Qualidade de vida e saúde: um debate necessário. Ciênc. Saúde Colet. 2000; 5(1):7-18. doi: https://doi.org/10.1590/S1413-81232000000100002
17. Oliveira G, Moreira AP, Floriano LSM, Bordin D, Bobato GR, Cabral LPA. Impacto da pandemia da COVID-19 na formação de residentes em saúde. BJD. 2020; 6(11): 90068-90083.
18. Brasil. Ministério da Saúde. Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Resolução nº 5, de 7 de novembro de 2014. Brasília. [internet] 2014 [acesso em: 2022 mar 29]; Disponível em: https://abmes.org.br/legislacoes/detalhe/1662/resolucao-cnrms-n-5
19. Costa R, Lino MM, Souza AIJD, Lorenzini E, Fernandes GCM, Brehmer LCDF, et al. Ensino de Enfermagem em tempos de COVID-19: como se reinventar nesse contexto? Texto & Contexto Enferm. 2020; 29:1-3.
20. Brasil. Ministério da Saúde. Ação Estratégica “O Brasil Conta Comigo – Residentes na área de Saúde. Portaria nº 580, de 27 de março de 2020. Brasília. [internet] 2020 [acesso em 2022 mar 28]; Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-580-de-27-de-marco-de-2020-250191376
21. Lucena JF, Sena JGB. Residência Integrada Multiprofissional em Saúde e a pandemia COVID-19: um relato de experiência. REAS/EJCH. 2020; 12(9):1-6.
22. Silva VO, Pinto ICM. Identidade do sanitarista no Brasil: percepções de estudantes e egressos de cursos de graduação em Saúde Pública/Coletiva. Interface (Botucatu). 2018; 22(65):539-50.
23. Dias IMÁV, da Silva SB, da Silva MV, de Lima GC, Lira CS. A escolha de um caminho: desistência de um programa de residência multiprofissional. Tempus (Brasília). 2016; 10(4):215–227.
24. Cruz RM, Andrade JEB, Moscon DCB, Micheletto MRD, Esteves GGL, Delben PB, et al. COVID-19: Emergência e Impactos na Saúde e no Trabalho. Rev. Psicol. Organ. Trab. 2020; 20(2):1–3.
25. Silva HGN, Santos LES, Oliveira AKS. Efeitos da Pandemia do novo Coronavírus na saúde mental de indivíduos e coletividades. J. nurs. health. 2020; 10(n.esp): 1-10. doi: https://doi.org/10.15210/jonah.v10i4.18677
26. Secretaria de Saúde do Recife (SESAU-Recife). Diretoria Executiva de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (DEGTES). Regimento Interno do Programa de Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva (PRMSC); 2020.
Publicado
2022-11-17
Como Citar
1.
Costa JJ, Paz AM. Percepção de residentes sobre qualidade de vida e atuação profissional durante a pandemia da COVID-19. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 17nov.2022 [citado 26nov.2022];5(4):1-5. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/672
Seção
Artigos originais