Fatores associados a pior prognóstico da COVID-19 em Francisco Beltrão - PR

Palavras-chave: Epidemiologia, Infecções por Coronavírus, SARS-CoV-2

Resumo

A pandemia causada pelo vírus SARS-CoV-2 impactou de diversas formas a população mundial, sendo importante conhecer a ação da doença em seus diferentes contextos. Este trabalho objetivou analisar os fatores associados a pior prognóstico da doença em Francisco Beltrão, Paraná. Realizou-se um estudo do tipo caso-controle com pacientes acometidos pela COVID-19 no município entre março de 2020 e novembro de 2021. Dentre os resultados, verificou-se que a presença de um maior número de comorbidades favorece o óbito como desfecho, havendo 3,981 (IC95%: 2,312 – 6,853) mais chances de um indivíduo ir a óbito. Notou-se que os pacientes que tiveram o pior desfecho possuíam uma média de IMC mais elevada (31,86). Os pacientes com histórico de tabagismo apresentaram 1,787 (IC95%: 1,068 – 2,990) mais chances de ir a óbito. Em suma, em Francisco Beltrão, a presença de comorbidades, obesidade e histórico de tabagismo foram fatores de pior prognostico.

Biografia do Autor

Tiago Santos Carvalho, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Graduando em Medicina. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, Paraná, Brasil.

Fernando Mazetto Brizola, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Matemático. Mestre em Matemática. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, Paraná, Brasil.

Jacqueline Vergutz Menetrier, Universidade Paranaense

Enfermeira. Mestre em Plantas Medicinais e Fitoterápicos na Atenção Básica. Universidade Paranaense, Francisco Beltrão, Paraná, Brasil.

Fernando Santos Sampaio, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Geógrafo. Doutor em Geografia. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, Paraná, Brasil.

Lirane Elize Defante Ferreto, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Farmacêutica. Doutora em Saúde Coletiva. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, Paraná, Brasil.

Fernando Rodrigo Treco, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Biólogo. Doutor em Biologia das Interações Orgânicas. Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Francisco Beltrão, Paraná, Brasil.

Referências

1. Corman VM, Muth D, Niemeyer D, Drosten C. Hosts and sources of endemic human coronaviruses. Adv virus res. [Internet]. 2018 [Acesso em 2021 jun 25]; 100:163-188. doi: https://doi.org/10.1016/bs.aivir.2018.01.001
2. V'kovski P, Kratzel A, Steiner S, Stalder H, Thiel V. Coronavirus biology and replication: implications for SARS-CoV-2. Nat Rev Microbiol. [Internet]. 2021 [Acesso em 2021 jun 25]; 19(3):155-170. doi: https://doi.org/10.1038/s41579-020-00468-6
3. Wang C, Horby PW, Hayden FG, Gao GF. A novel coronavirus outbreak of global health concern. Lancet [Internet]. 2020 [Acesso em 2021 jun 25]; 395(10223):470-473. doi: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(20)30185-9
4. Andersen KG, Rambaut A, Lipkin WI, Holmes EC, Garry RF. The proximal origin of SARS-CoV-2. Nat Med. [Internet]. 2020 [Acesso em 2021 jun 25]; 26(4):450-452. doi: https://doi.org/10.1038/s41591-020-0820-9
5. Ministério da Saúde (Brasil). Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico Especial Nº 16 [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2020 [Citado em 2021 jun 25]. Disponível em: https://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2020/May/21/2020-05-19-BEE16-Boletim-do-COE-13h.pdf
6. Silva GA, Jardim BC, Santos CVB. Excesso de mortalidade no Brasil em tempos de COVID-19. Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2020 [Acesso em 2021 jun 25]; 25(9): 3345-3354. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232020259.23642020
7. Zhou L, Ayeh SK, Chidambaram V, Karakousis P. Modes of transmission of SARS-CoV-2 and evidence for preventive behavioral interventions. BMC Infect Dis. [Internet]. 2021 [Citado em 2021 jun 26]; 21:496-504. doi: https://doi.org/10.1186/s12879-021-06222-4
8. Doremalen NV, Bushmaker T, Morris DH, Mindy GH, Gamble A, Williamson BN et al. Aerosol and Surface Stability of SARS-CoV-2 as Compared with SARS-CoV-1. N Engl J Med. [Internet]. 2020 [Acesso 2021 jun 26]; 382(16):1564-1567. doi: https://doi.org/10.1056/NEJMc2004973
9. Stokes EK, Zambrano LD, Anderson KN, Marder EP, Raz KM, Felix SEB et al. Coronavirus Disease 2019 Case Surveillance — United States, January 22–May 30, 2020. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. [Internet]. 2020 [Acesso 2021 jun 26]; 69:759-765. doi: http://doi.org/10.15585/mmwr.mm6924e2
10. Zhu J, Zhong Z, Ji P, Li H, Li B, Pang J et al. Clinicopathological characteristics of 8697 patients with COVID-19 in China: a meta-analysis. Fam Med Community Health [Internet]. 2020 [Acesso em 2021 jun 26]; 8(2). doi: http://doi.org/10.1136/fmch-2020-000406
11. Brandão SCS, Godoi ETAM, Cordeiro LHO, Bezerra CS, Ramos JOX, Arruda GFA et al. COVID-19 and obesity: the meeting of two pandemics. Arch Endocrinol Metab. [Internet]. 2021 [Acesso em 2021 jun 27]; 65(1):3-13. doi: http://doi.org/10.20945/2359-3997000000318
12. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades [Internet]. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2021 [Citado em 2022 fev 21]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/francisco-beltrao/panorama
13. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO). Diretrizes brasileiras de obesidade: 2016 [Internet]. São Paulo: ABESO; 2016 [Citado em 2022 fev 21]. Disponível em: https://abeso.org.br/wp-content/uploads/2019/12/Diretrizes-Download-Diretrizes-Brasileiras-de-Obesidade-2016.pdf
14. Lustosa FDD, Minuzzo EAS, Oliveira MA, Ferreira KG, Nicolella A, Rabelo RQ et al. Perfil epidemiológico dos óbitos ocasionados por COVID-19 no município de Redenção, PA. Braz J Infect Dis [Internet]. 2022 [Acesso em 2022 fev 22]; 26(1). doi: https://doi.org/10.1016/j.bjid.2021.102053
15. Maciel EL, Jabor P, Goncalves JE, Tristão-Sá R, Lima RCD, Reis-Santos B et al. Fatores associados ao óbito hospitalar por COVID-19 no Espírito Santo, 2020. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2020 [Acesso em 2022 fev 22]; 29(4). doi: http://dx.doi.org/10.1590/s1679-49742020000400022
16. Klokner SGM, Luz RA, Araujo PHM, Knapik J, Sales SS, Torrico G et al. Perfil epidemiológico e preditores de fatores de risco para a COVID-19 na região sul do Brasil. Res., Soc. Dev. [Internet]. 2021 [Acesso em 2022 fev 22]; 10(3). doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13197
17. Kalligeros M, Shehadeh F, Mylona EK, Benitez G, Beckwith CG, Chan PA et al. Association of Obesity with Disease Severity Among Patients with Coronavirus Disease 2019. Obesity (Silver Spring) [Internet]. 2020 [Acesso em 2022 fev 22]; 28(7):1200-1204. doi: https://doi.org/10.1002/oby.22859
18. Ferreira APS, Szwarcwald CL, Damacena, GN. Prevalência e fatores associados da obesidade na população brasileira: estudo com dados aferidos da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Rev. bras. epidemiol. [Internet]. 2019 [Acesso em 2022 fev 22]; 22. doi: https://doi.org/10.1590/1980-549720190024
19. Steinberg E, Wright E, Kushner B. In Young Adults with COVID-19, Obesity Is Associated with Adverse Outcomes. West J Emerg Med [Internet]. 2020 [Acesso em 2022 fev 23]; 21(4):752-755. doi: https://doi.org/10.5811/westjem.2020.5.47972
20. Martelleto GKS, Alberti CG, Bonow NE, Giacomini GM, Neves JK, Miranda ECA et al. Principais fatores de risco apresentados por pacientes obesos acometidos de COVID-19: uma breve revisão. Braz. J. Dev. [Internet]. 2021 [Acesso em 2022 fev 23]; 7(2):13438-13458. doi: https://doi.org/10.34117/bjdv7n2-116
21. Banerjee M, Gupta S, Sharma P, Shekhawat J, Gauba K. Obesity and COVID-19: A Fatal Alliance. Indian J Clin Biochem [Internet]. 2020 [Acesso em 2022 fev 23]; 35(4):410-417. doi: https://doi.org/10.1007/s12291-020-00909-2
22. Galvão MHR, Roncalli AG. Fatores associados a maior risco de ocorrência de óbito por COVID-19: análise de sobrevivência com base em casos confirmados. Rev Bras de Epidemiol [Internet]. 2020 [Acesso em 2022 fev 23]; 23. doi: https://doi.org/10.1590/1980-549720200106
23. Silva ALO, Moreira JC, Martins SR. COVID-19 e tabagismo: uma relação de risco. Cad de Saúde Pública [Internet]. 2020 [Acesso em 2022 fev 23]; 36(5). doi: https://doi.org/10.1590/0102-311X00072020
24. Brake SJ, Barnsley K, Lu W, McAlinden KD, Eapen MS, Sohal SS. Smoking Upregulates Angiotensin-Converting Enzyme-2 Receptor: A Potential Adhesion Site for Novel Coronavirus SARS-CoV-2 (Covid-19). J Clin Med [Internet]. 2020 [Acesso em 2022 fev 23]; 9(3):841. doi: https://doi.org/10.3390/jcm9030841
25. Sales MPU, Araújo AJ, Chatkin JM, Godoy I, Pereira LFF, Castellano MVCO et al. Update on the approach to smoking in patients with respiratory diseases. J Bras Pneumol [Internet]. 2019 [Acesso em 2022 fev 23]; 45(3). doi: https://doi.org/10.1590/1806-3713/e20180314
26. Zyl-Smit RNV, Richards G, Leone FT. Tobacco smoking and COVID-19 infection. Lancet Respir Med [Internet]. 2020 [Acesso em 2022 fev 23]; 8(7):664-665. doi: https://doi.org/10.1016/S2213-2600(20)30239-3
Publicado
2022-11-18
Como Citar
1.
Carvalho TS, Brizola FM, Menetrier JV, Sampaio FS, Ferreto LED, Treco FR. Fatores associados a pior prognóstico da COVID-19 em Francisco Beltrão - PR. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 18nov.2022 [citado 26nov.2022];5(4):1-5. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/696
Seção
Artigos originais