Sentimentos que motivam os pais e cuidadores a procurarem atendimento pediátrico de urgência e emergência

Palavras-chave: Emoções, Medo, Pais, Serviços médicos de Emergência, Saúde da Criança

Resumo

Esta pesquisa objetivou compreender quais são os sentimentos que motivam pais e cuidadores a procurarem atendimento pediátrico de urgência e emergência. Trata-se de um estudo qualitativo, exploratório e descritivo, desenvolvido por meio de entrevistas semiestruturadas, com perguntas relacionadas às emoções dos cuidadores mediante a busca por assistência à criança em Unidade de Pronto Atendimento. A coleta transcorreu em julho de 2022. Da análise de conteúdo por Bardin, emergiram como resultados três núcleos temáticos: sentimentos apresentados frente ao adoecimento da criança; principais sintomas; limite do cuidar. Constatou-se que as emoções dos pais e cuidadores são fundamentais em relação ao uso dos serviços de saúde. Espera-se que, por meio deste estudo, seja possível contribuir para a prática assistencial dos profissionais de saúde estimulando em seu exercício mais empatia e humanização e, ainda, que haja o fortalecimento do vínculo entre usuário e Atenção Primária em Saúde para um cuidado longitudinal e abrangente.

Biografia do Autor

Brenda Camargo Chagas, Centro de Ensino Superior de Maringá

Enfermeira. Centro de Ensino Superior de Maringá (Unicesumar), Ponta Grossa, Paraná, Brasil

Andressa Larissa Dias Müller Souza, Universidade Federal do Paraná

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Doutoranda em Enfermagem, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil.

Izabela Nataly Nass, Centro de Ensino Superior de Maringá

Enfermeira. Graduanda. Centro de Ensino Superior de Maringá (Unicesumar), Ponta Grossa, Paraná, Brasil

Victor Manoel Pontes Rosa, Centro de Ensino Superior de Maringá

Enfermeiro. Graduando. Centro de Ensino Superior de Maringá (Unicesumar), Ponta Grossa, Paraná, Brasil

Referências

1. UNA-SUS (Brasil). Redes de atenção à saúde: A Atenção à Saúde Organizada em Redes [internet]. São Luís: UNA-SUS/UFMA; 2016. p. 15-36. [citado em 2022 abr. 14]. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/7563

2. Melo MCB, Silva NLCS. Rede de Atenção: Urgências [internet]. Belo Horizonte: Nescon/UFMG. 2018. p. 13-4. [citado em 2022 abr. 24]. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/handle/ARES/2012

3. Ministério da Saúde (Brasil). Portaria no 393, de 13 de Março de 2020. Pública a proposta de Projeto de Resolução "Requisitos de Boas Práticas para Organização e Funcionamento de Serviços de Urgência e Emergência (Revogação da Res. GMC Nº 12/07)".  [internet]. Gabinete do Ministro. 2020 mar. 13 [citado em 2022 abr. 09]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2020/prt0393_17_03_2020.html

4. COFEN. Resolução COFEN nº 423/2012 - Revogada pela Resolução COFEN nº 661/2021. Normatiza, no Âmbito do Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem, a Participação do Enfermeiro na Atividade de Classificação de Riscos. [internet]. COFEN,  2012 abr. 11. [citado em 2022 fev. 10]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-n-4232012_8956.html

5. Silva BR, Robalo EC, Gabatz RIB, Couto GR, Cruz VD, Moraes CL. Perfil de crianças atendidas em um serviço de urgência e emergência no sul do Brasil. J. nurs. health [internet]. 2021 [citado em 2022 mar. 26]; 11(1):e2111118981. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/18981

6. Oliveira MD. Perfil da demanda de atendimentos realizados pela unidade de pronto atendimento (UPA) de Tramandaí/RS. [monografia] [Internet]. Rio Grande do Sul; Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre; 2019. [citado em 2022 mai. 21]. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/201878

7. Butun A, Hemingway P. A qualitative systematic review of the reasons for parental attendance at the emergency department with children presenting with minor illness. International Emergency Nursing [internet]. 2017. [citado em 2022 mar. 28]; 36: 56-62. 2017. doi: https://doi.org/10.1016/j.ienj.2017.07.002

8. Pitoli PJ, Duarte BK, Fragoso AA, Damaceno DG; Marin MJS. Febre em crianças: procura de pais por serviços médicos de emergência. Ciênc. Saúde Colet. [internet]. 2021. [citado em 2022 mar. 26]; 26(02):445-454. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232021262.40782020

9. Capp E, Nienov OH. Epidemiologia Aplicada Básica [internet]. Porto Alegre: UFRGS. 2021. [citado em 2022 mar. 27]. p-227-28. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/215459/001119979.pdf?seq

10. Minayo MCS. Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: Consensos e   controvérsias. Rev. Pesq. Qual. [internet]. 2017. [citado em 2022 jan. 17]; 5(7):1-12. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/82

11. Conselho Nacional de Saúde (Brasil). Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. [internet]. 2013. [citado em 2022 abr. 17]. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf

12. Bardin L. Análise de conteúdo. 1ª ed. São Paulo. Almedina Brasil, Edições 70, 2016. p. 123-131.

13. Rafael MS, Portela SL, Sousa P, Fernandes AC. Utilização do serviço de urgência pediátrica: a experiência de um centro português. Sci. med. [internet]. 2017. [citado em 2022 jul. 22]; 27(1). doi: https://doi.org/10.15448/1980-6108.2017.1.24919

14. Burokienė S, Raistenskis J, Burokaitetè E, Cerkauskienè R, Usonis V. Factors Determining Parents' Decisions to Bring Their Children to the Pediatric Emergency Department for a Minor Illness. Med. sci. monit. [internet]. 2017. [cited in 2022 ago. 27]; 23:4141-48. doi:10.12659/MSM.902639. Disponível em: https://medscimonit.com/abstract/index/idArt/902639

15. Magalhães FJ, Lima FET, Barbosa LP, Guimarães FJ, Felipe GF, Rolim KMC, et al. Classificação de risco de crianças e adolescentes: prioridade do atendimento na emergência. Rev. bras. enferm. [internet]. 2020 [citado em 2022 mar. 14]; 73(4). doi: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2019-0679

16. Coster JE, Turner JK, Bradbury D, Cantrell A. Why Do People Choose Emergency and Urgent Care Services? A Rapid Review Utilizing a Systematic Literature Search and Narrative Synthesis. Acad. emerg. med. [internet]. 2017. [cited in 2022 mar.28]; 24(9):1137-49. doi: https://doi.org/10.1111/acem.13220

17. Schmitt BD. Fever Phobia: misconceptions of parents about fevers. Am. j. dis. child. [internet]. 1980. [cited in 2022 ago. 23]; 134(2):176-81. doi: https://doi.org/10.1001/archpedi.1980.02130140050015

18. Santos M, Casanova C, Prata P, Bica I. Gerir a febre em crianças: Conhecimentos e práticas dos pais. Millenium [internet]. 2016. [citado em 2022 jul. 17]; 2(1):15-21. Disponível em: https://revistas.rcaap.pt/millenium/article/view/13831

19. Chiappini E, Bortone B, Galli L, De Martino M. Guidelines for the symptomatic management of fever in children: systematic review of the literature and quality appraisal with AGREE II. BMJ Open [internet]. 2017. [cited in 2022 ago. 18]; 7(7):e015404. doi: http://dx.doi.org/10.1136/bmjopen-2016-015404

20. Silva BR, Robalo EC, Gabatz RIB, Couto GR, Cruz VD, Moraes CL. Perfil de crianças atendidas em um serviço de urgência e emergência no sul do Brasil. J. nurs. health [internet]. 2021. [citado em 2022 mar. 26]; 11(1):e2111118981. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/18981

21. Butun A, Lynn F, McGaughey J, McLaughlin K, Linden M. Exploring attendance at emergency departments for children with non-urgent conditions in Turkey: a qualitative study of parents and healthcare staff perspectives. Emergency and Critical Care Medicine [internet]. 2022. [cited in 2022 ago. 25]; 2(2):50-60. doi: http://dx.doi.org/10.1097/EC9.0000000000000027

22. Bizinelli BM, Neto PP, de Albuquerque GSC, Conde RES, Scarin FC. Acesso à Atenção Primária à Saúde em Curitiba: a percepção dos usuários que frequentam uma unidade de pronto atendimento (UPA). APS em revista [Internet]. 2019 [citado em 2022 nov. 22];1(3):198-205. doi: https://doi.org/10.14295/aps.v1i3.39

23. May M, Brousseau D, Nelson DA, Flyn KE, Wolf Ms, Lepley B. et al. Why Parents Seek Care for Acute Illness in the Clinic or the ED: The Role of Health Literacy. Acad. Pediatr. [internet]. 2018. [cited in 2022 ago. 26]; 18(3):289-96. doi: https://doi.org/10.1016/j.acap.2017.06.010

Publicado
2023-03-24
Como Citar
1.
Chagas BC, Souza ALDM, Nass IN, Rosa VMP. Sentimentos que motivam os pais e cuidadores a procurarem atendimento pediátrico de urgência e emergência. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 24mar.2023 [citado 25maio2024];6(1):1-4. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/742
Seção
Artigos originais