Cenário epidemiológico do HIV/Aids antes e durante a pandemia da Covid-19 no Estado do Rio Grande do Sul e no Brasil

Palavras-chave: Vírus da imunodeficiência humana, Estudos epidemiológicos, Indicadores de saúde

Resumo

O monitoramento epidemiológico auxilia a mensurar a distribuição e o impacto de condições de saúde na sociedade. Identificamos que o Brasil registrou 159.341 pessoas que iniciaram a TARV entre 2019 e 2021, e 2.267.330 milhões pacientes foram vinculados ao serviço de saúde, sendo 9,7% no Rio Grande do Sul, com maior proporção entre pessoas do sexo masculino (65,6%). No Brasil, a taxa de diagnóstico tardio se manteve em 26% em 2021, e o mesmo ocorreu no Rio Grande do Sul (23%). As metas 90-90-90, vigente até o ano de 2020, e a meta 95-95-95, válida a partir de 2021, não foram atingidas em nenhuma unidade analisada para o diagnóstico tardio, exceto no subgrupo de 50 anos ou mais. Os dados sugerem que a pandemia impactou os indicadores de saúde avaliados de forma rápida e que eles precisam ser acompanhados para garantir o cumprimento das metas estabelecidas pelas organizações internacionais.

Biografia do Autor

Fernanda Fávero Alberti, Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Farmacêutica. Mestra em Assistência Farmacêutica. Especialista em Dermatologia Sanitária com ênfase em HIV/AIDS. Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Sendy Sales Oliveira, Rede de Saúde Divina Providência

Farmacêutica. Especialista em Dermatologia Sanitária com ênfase em HIV/AIDS. Rede de Saúde Divina Providência. Porto Alegre,  Rio Grande do Sul

Taiara Paim Almeida, Universidade do Vale dos Sinos

Assistente Social. Especialista em Dermatologia Sanitária com ênfase em HIV/AIDS. Universidade do Vale dos Sinos - UNISINOS. Porto Alegre, Rio Grande do Sul

Gabriela Marques Ávila, Prefeitura Municipal de Chapecó

Enfermeira. Especialista em Estomaterapia. Especialista em Dermatologia Sanitária com ênfase em HIV/AIDS. Prefeitura Municipal de Chapecó, Chapecó, Santa Catarina

Referências

1. Guo W, Ming F, Dong Y, Zhang Q, Zhang X, Mo P. et al. A Survey for COVID-19 Among HIV/AIDS Patients in Two Districts of Wuhan, China. The lancet, 2020. https:// doi.org/10.2139/SSRN.3550029. Acesso: 20 de out de 2022.
2. Mendes EV. O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. 2012; 512.lDisponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cuidado_condicoes_atencao_primaria_saude.pdf. Acesso em: 12 de out de 2022.
3. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim epidemiológico do HIV. Brasília, DF: 2021. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/epidemiologicos/especiais/2021/boletim-epidemiologico-especial-hiv-aids-2021.pdf/view. Acesso em: 20 de out de 2022.
4. Porto Alegre. Secretaria da Saúde. Equipe de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Diretoria de Vigilância em Saúde. Secretaria Municial de Saúde de Porto Alegre. Boletim epidemiológico [recurso eletrônico]: HIV/Aids. - Porto Alegre: SMS, 2022. Disponível em: http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/cgvs/usu_doc/boletim82.pdf . Acesso: 12 de set de 2022.
5. Rio Grande do Sul. Secretaria da Saúde. Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde. Coordenação Estadual de Doenças de Condições Crônicas Transmissíveis. Boletim Epidemiológico [recurso eletrônico]: HIV/Aids e sífilis/ organizado por Clarice Solange Teixeira Batista; Tatiana Heidi Oliveira - Porto Alegre: ESP/RS, 2022. Disponível em: https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/202208/30110551-boletim-epidemiologico-hiv-aids-e-sifilis-2021-versao-preliminar.pdf. Acesso em: 22 de out de 2022.
6. Rio Grande do Sul. Secretaria Estadual. Departamento de Atenção Primária e Políticas de Saúde. Coordenação Estadual de IST/Aids. Boletim Epidemiológico: HIV/Aids e sífilis / organização Clarice Solange Teixeira Batista ; Tatiana Heidi Oliveira - Porto Alegre: ESP/RS, 2021. Disponível em: https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/202109/02151825-boletim-epidemiologico-hiv-aids-2020-versao-preliminar.pdf. Acesso em: 25 de out de 2022.
7. Rio Grande do Sul. Secretaria de Estado da Saúde. Departamento de Ações em Saúde. Coordenação Estadual de IST/Aids. Boletim Epidemiológico: HIV/Aids e sífilis / organização Clarice Solange Teixeira Batista, Tatiana Heidi Oliveira - Porto Alegre: ESP/RS, 2020.Disponível em: https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/202109/02151825-boletim-epidemiologico-hiv-aids-2019-versao-preliminar.pdf. Acesso em: 19 de out de 2022.
l8. Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Painel de monitoramento de dados de HIV durante a pandemia da COVID-19. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/painelcovidHIV. Acesso em: 12 de dez de 2021.
9. UNAIDS. 90-90-90 - An ambitious treatment target to help end the AIDS epidemic. UNAIDS. Joint United Nations. Programme on HIV/AIDS. Geneva, october, 2014. Disponível em: https://www.unaids.org/sites/default/files/media_asset/90-90-90_en.pdf. Acesso em: 10 de dez de 2022.
10. UNAIDS. 95-95-95 - Global commitments, local action. Programme on HIV/AIDS. Geneva, june 2021. Disponível em: https://www.unaids.org/en/resources/documents/2021/global-commitments-local-action. Acesso em: 14 de out de 2022.
11. Brasil. Ministério da Saúde. Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas para Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos. Brasília, DF: 2021. Disponível em: https://www.gov.br/aids/pt-br/centrais-de-conteudo/pcdts/2013/hiv-aids/pcdt_manejo_adulto_12_2018_web.pdf/view. Acesso em: 26 de out de 2022.
12. Who. Disruption in HIV, Hepatitis and STI services due to COVID-19. Disponível em: https://www.who.int/docs/default-source/hiv-hq/presentation-disruption-in-services-international-aids-conference-2020.pdf?sfvrsn=d4bf1f87_7. Acesso em: 02 de fev de 2022.
13. Jewell BL, Mudimu E, Stover J, Ten Brink D, Phillips AN, Smith JA, et al. Potential effects of disruption to HIV programmes in sub-Saharan Africa caused by COVID-19: results from multiple mathematical models. Lancet HIV. 2020;7:e629–e640. https:// doi.org/10.1016/S2352-3018(20)30211-3. Acesso: 13 de out de 2022.
14. Rockwell KL, Gilroy AS. Incorporating telemedicine as part of COVID-19 outbreak response systems. American J Man Care, 2020 Apr;26(4):147-148. https:// doi.org/10.37765/ajmc.2020.42784. Acesso: 14 de out de 2022.
15. Ministério da Saúde. Prevenção Combinada. Disponível em: https://www.gov.br/aids/pt-br/assuntos/prevencao-combinada/prevencao-combinada#:~:text=A%20Preven%C3%A7%C3%A3o%20Combinada%20associa%20diferentes,a%20sa%C3%BAde%20integral%20das%20pessoas. Acesso em: 17 de nov 2022.
16. Perdigão REA, Bonolo PDF, Silveira MR, Silva DID, Ceccato MDGB. Oportunidade de vinculação de pessoas vivendo com HIV em um serviço especializado de saúde, Belo Horizonte (MG). Rev Brasileira Epidemio, 2020, v. 23. https:// doi.org/10.1590/1980-549720200020. Acesso: 22 de set de 2022.
17. Turner BJ, Cunningham WE, Duan N, Andersen RM, Shapiro MF, Bozzette SA, et al. Delayed medical care after diagnosis in a US national probability sample of persons infected with human immunodeficiency virus. The Arch Inter Med, 2000; 160(17): 2614-22. https://doi.org/10.1001/archinte.160.17.2614. Acesso: 27 de out de 2022.
18. Dalmida SG, McDougall GJJr, Mugoya GCT, Payne Foster P, Plyman M, Burrage J. Engagement of African Americans with rapid HIV testing and HIV care. HIV/AIDS Res Treat, 2018; 2018: S38-S51. PMID: 31263770. Acesso: 01 de ago de 2022.
19. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim Epidemiológico - Edição Especial. Brasília, DF: 2021. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/epidemiologicos/covid-19/2022/boletim-epidemiologico-no-95-boletim-coe-coronavirus.pdf. Acesso em: 11 de out de 2022.
20. Brasil. Secretaria de Vigilância em Saúde. Ministério da Saúde. Ofício Circular nº 8/2020/CGAHV/.DCCI/SVS/MS. Brasília, DF: 2020. Disponível em: https://www.gov.br/aids/pt-br/centrais-de-conteudo/notas-informativas/2020/oficio-circular-no-8-2020-cgahv-dcci-svs-ms-1/view. Acesso em: 14 de out de 2022.
Publicado
2023-06-21
Como Citar
1.
Alberti FF, Oliveira SS, Almeida TP, Ávila GM. Cenário epidemiológico do HIV/Aids antes e durante a pandemia da Covid-19 no Estado do Rio Grande do Sul e no Brasil. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 21jun.2023 [citado 25jul.2024];6(2):1-6. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/762
Seção
Artigos originais