A relação das áreas cerebrais com o transtorno de personalidade antissocial: revisão integrativa

Palavras-chave: Transtorno de Personalidade Antissocial, Cérebro, Sistema Nervoso

Resumo

O transtorno de personalidade antissocial (TPA) é relacionado às variações estruturais e funcionais das regiões cerebrais. Frente a isso, buscou-se, por meio da revisão integrativa da literatura, verificar o que a literatura aponta como alterações estruturais e funcionais mais relevantes no TPA. Foram incluídos 6 artigos associados ao tema de pesquisa, independentemente do idioma, disponíveis na íntegra dentro do período de 2010 – 2023 nas seguintes bases de dados: Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e U.S. National Library of Medicine (PubMed). Concluiu-se que as regiões cerebrais mais relevantemente relacionadas com o TPA compreenderam a área pré-frontal, amígdala e o giro temporal superior, devido à importância desses locais para o funcionamento adequado das funções executivas e da regulação emocional.

Biografia do Autor

Hannara Andrade Gabina Oliveira, Centro Universitário do Maranhão

Medicina. Graduando. Centro Universitário do Maranhão, São Luís, Maranhão

Referências

1. Kaplan HI, Sadock BJ, Grebb JA. Compêndio de Psiquiatria: Ciência do Comportamento e Psiquiatria Clínica. 11ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2017.

2. Raine A. Antisocial Personality as a
Neurodevelopmental Disorder. Annu Rev Clin Psychol. 2018; 14:259–89. doi: https://doi.org/10.1146/annurev-clinpsy-050817-084819

3. Teixeira E, Medeiros HP, Nascimento MHM, Silva BACe, Rodrigues C. Revisão integrativa da literatura passo a passo & convergências com outros métodos de revisão. Rev enferm UFPI. 2014; 3(2). doi: https://doi.org/10.26694/reufpi.v2i5.1457
4. Machado A, Haertel LM. Neuroanatomia Funcional. 3ª ed. São Paulo: Atheneu; 2014.
5. Jianga W, Lic G, Liua H, Shic F, Wangc T, Shenc C, et al. Reduced Cortical Thickness and Increased Surface Area in
Antisocial Personality Disorder. Neuroscience. 2016; 337:143–52. doi: 10.1016/j.neuroscience.2016.08.052
6. Boes AD, Grafft AH, Joshi C, Chuang NA, Nopoulos P, Anderson SW. Behavioral effects of congenital ventromedial prefrontal cortex malformation. BMC Neurology. 2011; 11(1). doi: https://doi.org/10.1186%2F1471-2377-11-151
7. Schiffer B, Pawliczek C, Müller BW, Wiltfang J, Brüne M, Forsting M, et al. Neural Mechanisms Underlying Affective Theory of Mind in Violent Antisocial
Personality Disorder and/or Schizophrenia. Schizophr Bull. 2017
43(6). doi: https://doi.org/10.1093%2Fschbul%2Fsbx012
8. Yang Y, Raine A, Joshi AA, Joshi S, Chang Y-T, Schug RA, et al. Frontal information flow and connectivity in psychopathy. BJPsych. 2018; 201(5). doi: 10.1192/bjp.bp.111.107128
9. Kumari V, Uddin S, Premkumar P, Young S, Gudjonsson GH, Raghuvanshi S, et al. Lower anterior cingulate volume in seriously violent men with antisocial personality disorder or schizophrenia and a history of childhood abuse. ANZJP. 2014; 48(2). doi: https://doi.org/10.1177/0004867413512690
Publicado
2024-06-05
Como Citar
1.
Oliveira HAG. A relação das áreas cerebrais com o transtorno de personalidade antissocial: revisão integrativa. Revista de Saúde Pública do Paraná [Internet]. 5jun.2024 [citado 25jul.2024];7(2):1-3. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/880
Seção
Artigos de revisão